Bem Estar

Silvana Kennedy é proprietária da Clínica Doutora Kennedy, enfermeira graduada no ano de 2005 pela Universidade Unimar, pós-graduada em Urgência e Emergência, Instrumentação Cirúrgica, Podiatria Clínica Anhembi Morumbi e pós-graduada em Enfermagem Estética

Os benefícios da Vitamina D para a pele já podem ser obtidos por meio de proeminentes ativos em cosméticos que age para combater o envelhecimento. As pesquisas científicas da área médica indicam que, além de estar relacionada à manutenção de ossos fortes, a Vitamina D está associada ao bom funcionamento do organismo como um todo, inclusive para a beleza e saúde, pois a falta desse nutriente deixa a pele opaca, sem viço e mais propensa ao aparecimento de rugas e linhas de expressão.
A Vitamina D é na verdade um hormônio que modula o funcionamento de vários sistemas do nosso organismo, como o imunológico, por exemplo, tendo influência direta em ossos, coração, processos infecciosos, entre outros. Ela pode ser obtida de fontes externas, como o óleo de fígado, além de ser produzida de maneira endógena pelo próprio corpo humano, através da epiderme, quando ocorre a exposição aos raios solares.
O processo de envelhecimento é justamente um dos responsáveis por fazer com que haja diminuição nos níveis dessa vitamina, além da baixa exposição solar e do uso de medidas de fotoproteção. Depois dos 50 anos o organismo passa a enfrentar fortes processos degenerativos de modo gradual. A hidratação da pele e a absorção de nutrientes ficam bastante comprometidos, reduzindo a nutrição celular. As células epidérmicas não se reproduzem tão rapidamente, as rugas ficam ainda mais evidentes e a pele fica fragilizada, com tendência a descamar. Nessa etapa é recomendado o uso de cosméticos com ativos e tratamentos específicos que ajudem na reestruturação da pele, recuperando-a dos danos causados pelo envelhecimento.
De um modo geral, as peles maduras sofrem com a carência de minerais e vitaminas, menor nutrição e oxigenação, função protetora e reparativa reduzida, ou seja, há perda da ação antioxidante bem como redução das funções enzimáticas e de síntese, menor comunicação celular, redução de espessura e qualidade da barreira cutânea, resultando em desidratação, além do aparecimento de manchas e de sofrer perda na função imunológica, na produção de sebo pelas glândulas sebáceas e menor reposição de NMF, que é o fator de hidratação natural da pele.
E nada me faz mais feliz do que ver as minhas pacientes satisfeitas e bem consigo mesmas. Eu não faço apenas procedimentos estéticos avançados, eu devolvo a essência do amor próprio e do bem-estar para o público, e cada sorriso de gratidão é o que me completa dia após dia. Minha profissão, minha paixão.