Colunista
POLÍCIA federal e Ministério Público paralisaram investigações sobre lavagem de dinheiro em pelo menos 12 estados. Além da Lava Jato, alguns desses inquéritos envolvem facções criminosas e milícias. O motivo é decisão tomada pelo presidente do STF, Dias Toffoli, que barrou o uso de informações detalhadas do antigo Coaf sem autorização prévia da Justiça, há menos de dois meses e que atingiu investigações em todo o país. 
JORNAL Nacional confirmou que existem inquéritos parados sobre lavagem de dinheiro em São Paulo, Rio, Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, Pará, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e Ceará. O MP do Ceará paralisou 44 investigações por causa da decisão do Supremo – são crimes contra a administração pública e outros envolvendo facções criminosas. No Rio, um levantamento publicado pelo G1 mostra que pelo menos 140 inquéritos da Polícia Civil estão engavetados e mais 40 sendo analisados.
FAMÍLIA herdeira do Parque Beto Carrero desistiu de vender o complexo de entretenimento. A família havia recebido ofertas dos fundos americanos Advent e HIG Capital e do grupo paranaense Cacau Show e rede de restaurantes Madero e havia optado por estes. As negociações começaram em novembro de 2018 e foram encerradas há cerca de duas semanas, com a desistência da família, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. 
FUNDOS haviam proposto comprar o complexo por cerca de R$ 1 bilhão. O Madero, que havia começado na disputa sozinho, aliou-se à Cacau Show e quase fechou contrato por R$ 1,1 bilhão, de acordo com fontes próximas às conversas. O fundador da rede de restaurante, Junior Durski, pretende levar sua empresa à Bolsa e o parque encorparia o negócio. Já Alexandre Costa, fundador da Cacau Show, pensava em desenvolver projeto semelhante ao Hershey’s Chocolate World, um parque nos Estados Unidos.
PETROBRÁS elevou o preço médio da gasolina nas refinarias em 1,33%, para R$ 1,701 por litro. O novo valor representa uma alta de R$ 0,02 por litro. O combustível permanecia sem alteração desde o último dia 28 de agosto.
Desta vez a estatal também elevou o preço do diesel, que estava estável desde o dia 1º de agosto. A alta foi de 2,5%, para o preço médio de R$ 2,142/litro. O novo valor representa alta de R$ 0,0525 por litro. Os números foram divulgados no site da empresa, nesta quinta-feira (5).
ACORDO foi fechado pela Procuradoria-Geral da República, a Câmara Federal e o Palácio do Planalto – por meio da Advocacia-Geral da União (AGU) – para que R$ 1,06 bilhão do Fundo da Lava Jato seja direcionado às ações de prevenção, fiscalização e combate ao desmatamento e outros ilícitos ambientais nos Estados da Amazônia Legal, incluindo a faixa de fronteira. Outro R$ 1,6 bilhão será destinado para a Educação. Um requerimento conjunto para destinação dos valores ainda deverá ser homologado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.
DA quantia global, R$ 630 milhões deverão ser destinados para ações diretas da União, como operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), ao Ministério do Meio Ambiente e ao Ibama, e ainda ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para ações de apoio à regularização fundiária e de assistência técnica e extensão. Os R$ 430 milhões restantes deverão ser investidos de forma descentralizada para articulação entre governo federal e Estados. Para Raquel, a defesa da Amazônia vai viabilizar recursos para a prevenção de queimadas. 
NOS últimos 12 meses, entre agosto de 2018 e o mesmo mês de 2019, com exceção de Aracaju (-2,02%) todas as capitais brasileiras acumularam alta na cesta básica, que oscilaram entre 5,61%, em Natal, e 13,40%, em Curitiba, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
A capital com a cesta mais cara foi São Paulo (R$ 481,44), seguida de Porto Alegre (R$ 469,17), Florianópolis (R$ 464,24) e Rio de Janeiro (R$ 462,24). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 337,96) e Salvador (R$ 350,75). Em agosto de 2019, a Cesta Básica de Curitiba calculada pelo Dieese apresentou variação de -0,54%, sendo a menor queda entre as 17 capitais, passando de R$ $ 443,68 para R$ 441,28.
CRÍTICO da Lava Jato, o procurador Augusto Aras será o substituto de Raquel Dodge na Procuradoria Geral da República, cujo mandato termina em 17 de setembro. Ele foi indicado nesta quinta-feira (5) pelo presidente Jair Bolsonaro. O nome ainda precisa ser aprovado pelo Senado. Aras não fazia parte da lista tríplice eleita pelos procuradores, rompendo uma tradição que vinha desde 2003. Nos últimos meses Aras se reuniu com Bolsonaro ao menos cinco vezes, fora da agenda do presidente. A escolha do subprocurador também expõe mais uma vez o desprestígio do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que foi escanteado das discussões sobre o sucessor de Raquel Dodge. Em entrevistas, Aras defendeu uma “disruptura” no Ministério Público para a instituição “retomar os trilhos” da Constituição e superar o aparelhamento em seus órgãos. Os argumentos, segundo apoiadores do presidente que reagiram contra, seriam um suposto “esquerdismo” de Aras, críticas à Lava Jato e suposto alinhamento com o discurso petista, além da defesa de movimentos sociais como o MST.
EM evento quinta-feira (5) em Fortaleza-CE, o ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou o comentário do presidente Bolsonaro à primeira-dama francesa, Brigitte Macron, ao dizer que “ela é feia mesmo”. Guedes afirmou que Bolsonaro apenas reagiu às críticas de Emmanuel Macron sobre os recentes incêndios na Amazônia. “O Macron falou que estão colocando fogo na Amazônia. O presidente [Bolsonaro] devolveu, falou que a mulher do Macron é feia. O presidente falou a verdade, ela é feia mesmo. Mas não existe mulher feia, existe mulher observada do ângulo errado. E fica essa xingação”. Guedes participou da palestra “A Nova Economia do Brasil”, promovida pelo Sistema Jangadeiro, grupo de comunicação com emissoras de TV e rádio afiliadas ao SBT e à Rede Bandeirantes. Na semana passada, a primeira-dama francesa agradeceu o apoio que recebeu de brasileiros em relação ao episódio. 
UM dia após ter defendido o afrouxamento na emenda do teto de gastos – instrumento de política orçamentária que proíbe que as despesas cresçam acima da inflação de um ano para o outro – o presidente Jair Bolsonaro foi convencido pela equipe econômica a desistir da ideia. “Seria uma rachadura em um transatlântico”, disse quinta-feira (5), o presidente. Na quarta-feira (4), o porta-voz da Presidência havia afirmado que Bolsonaro defendia o abrandamento do teto.
EM Fortaleza o ministro Guedes criticou os altos salários de servidores e citou o gasto com pessoal como um dos que pressionam as despesas. “O teto de gastos é um aviso dizendo o seguinte: não pode furar o teto mais. Então nós preferimos propor no pacto federativo o controle das despesas em vez de simplesmente furar o teto. Porque furar o teto é o que fazemos há 40 anos, e não deu certo.”
POR outro lado o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, confirmou que a área técnica do governo está preparando medidas para reduzir as despesas obrigatórias – que respondem por 96% do Orçamento – e garantir o acionamento antecipado das medidas de ajuste. “A causa do problema é o crescimento das despesas obrigatórias, que avançaram R$ 200 bilhões em três anos”. Segundo ele, nesse ritmo, não vai haver “espaço para mais nada”.
FRASE: Ame a tua Pátria! Ela não tem culpa dos filhos que tem (Pensador).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.