Colunista
GOVERNADOR Ratinho Junior cumpre roteiro nesta quinta (12) na região Noroeste do Paraná. Pela manhã, às 10h30, inaugura o Meu Campinho de Santa Cruz de Monte Castelo, que faz parte do Programa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas. Depois segue para Paranavaí.
RATINHO deve anunciar em Paranavaí às 14h no Auditório da Unipar, colocado à disposição pela diretora Edwirge Vieira Franco, recursos para ativação da Unidade Morumbi da Santa Casa. Em seguida, às 15h, no Recinto Felício Jorge do Parque de Exposições Presidente Arthur da Costa e Silva o governador lança o Programa Estadual de Irrigação – Irriga Paraná. Também confirmada a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara e secretário do Meio Ambiente, Márcio Nunes. O convite está sendo feito pelo presidente da Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, Ed Wilson Baldan Mendes. 
EM assembleia realizada terça (10) à tarde, além do indicativo de suspensão do vestibular deste ano da Universidade Federal do Paraná, os participantes  também aprovaram a adesão à greve de 48 horas convocada nacionalmente pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior. No Paraná o indicativo é para a parada nos dias 17 e 18. Ainda foi aprovado o indicativo de greve por tempo indeterminado a ser definido. Um outro evento está marcado para o dia 17 de setembro, próxima terça-feira, para quando foi convocada uma assembleia comunitária a partir das 9h na Reitoria da UFPR. Outras universidades federais também estão com manifestações contra o corte dos recursos – o contingenciamento, segundo o governo federal.
PRESIDENTE da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano (PSDB), promulgou a Lei 19.924, de 2 de setembro de 2019, de autoria do deputado Anibelli Neto (MDB), que obriga as concessionárias de pedágio a divulgar cronograma de obras. O projeto havia sido vetado pelo governador Ratinho Júnior, mas numa votação histórica, o veto foi derrubado por unanimidade. Com a promulgação da lei as concessionárias de pedágio terão que atualizar as informações sobre o andamento das obras semanalmente e as informações terão que estar em local visível, em todas as cabines de cobrança, bem como nas áreas destinadas ao atendimento ao usuário.
TEVE queda de 0,9% no mês passado o Índice de confiança do Empresário do Comércio (Icec), aferido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR). O índice caiu de 117,4 pontos em julho para 116,3 pontos em agosto.
MAIS uma derrota dos políticos corruptos: o Conselho Nacional do Ministério Público rejeitou um pedido de afastamento do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Operação Lava Jato no Paraná, por publicações em rede social com posicionamento contrário à candidatura do senador Renan Calheiros (MDB-AL) à presidência do Senado no início do ano. O plenário do conselho também adiou a decisão sobre o pedido da abertura de um processo administrativo disciplinar contra o procurador pelo mesmo tema, graças a um pedido de vistas (mais tempo para análise). 
VOTO do relator Orlando Rochael foi pela abertura de processo administrativo, apontando que Dallagnol “denegriu e menosprezou” as atribuições constitucionais do MPF por ter se manifestado “contra a eleição de Renan Calheiros buscando descredenciá-lo perante a opinião pública”. Um pedido de vista do conselheiro Fábio Estica, contudo, suspendeu a análise, que não tem data para ser retomada.
MODELO Najila Trindade Mendes de Souza foi indiciada terça (10) pela polícia de S. Paulo por fraude processual, denúncia caluniosa e extorsão. Em maio deste ano ela fez um boletim de ocorrência onde acusava o jogador Neymar por estupro ocorrido no dia 15 de maio em Paris. O caso ganhou grande repercussão, mas acabou arquivado em julho. Najila foi indiciada após a conclusão de dois inquéritos na polícia. Os inquéritos seguem em segredo de justiça. A defesa de Najila disse estranhar o indiciamento neste momento, mas que ainda não teve acesso aos autos e que não se manifestaria.
ACUSADOS há quase quatro anos de participar do esquema investigado pela Operação Quadro Negro, receberam nesta semana a sentença do juiz da 9.ª Vara Criminal de Curitiba, Fernando Bardelli Fischer. O juiz deu sentença relativa a 15 réus – condenando uns, absolvendo outros ou aplicando a vários os benefícios acordados em delações premiadas. As denúncias foram apresentadas pelo Ministério Púbico Estadual em 2015 após comprovação de desvios de cerca de R$ 20 milhões (em valores da época) de recursos que deveriam ter sido aplicados pelo governo do estado na construção e/ou reforma de sete escolas públicas de Curitiba e região metropolitana. 
DOIS principais implicados são Maurício Fanini, ex-diretor da Educação e arquiteto do esquema que possibilitava – mediante falsas medições de obras e aditivos de preço concedidos pelo então governador Beto Richa – “sobras” de dinheiro que era distribuído entre integrantes do grupo político do ex-governador; e seu cúmplice Eduardo Lopes de Souza, dono da Construtora Valor, que operava na prática a distribuição das propinas. Ambos firmaram acordos de colaboração premiada e, embora condenados à prisão em regime fechado, vão cumprir penas em regime semi-aberto.
PRESIDENTE da Câmara Federal, Rodrigo Maia, defendeu nesta semana  emenda para impedir que juízes de 1ª Instância determinem medidas contra políticos como prisão, quebras de sigilo bancário e telefônico e mandados de busca e apreensão, registra o Estadão. Com o aval do presidente da Câmara, parlamentares pretendem incluir o dispositivo na PEC que limita o foro privilegiado a apenas cinco autoridades: presidente e vice da República e os presidentes da Câmara, do Senado e do STF. “O que a gente está dizendo é o seguinte: não pode ter influência emocional na decisão de um juiz. O caso do [Anthony] Garotinho, por exemplo, é um caso claro de influência política. Não tinha motivo para mais aquela prisão”, afirmou Maia.
SETOR da construção civil começou a dar sinais de melhora no último ano. É o que aponta pesquisa realizada pela Catho. Segundo o estudo “Mapa do Emprego”, a área, que foi fortemente impactada na recessão econômica, cresceu 9% em vagas no último ano. Embora abaixo do esperado, o cenário ainda é otimista.
ANUÁRIO Brasileiro de Segurança Pública, em sua 13ª edição, registra exposição à violência fatal a que os policiais brasileiros estão sujeitos. Em 2018 nada menos que 343 policiais civis e militares foram assassinados e 75% dos casos ocorreram quando estavam fora de serviço e não durante operações de combate à criminalidade. A violência a que os policiais estão permanentemente expostos tem efeitos psicológicos graves. Em 2018 cometeram suicídio 104 policiais – número maior do que o de policiais mortos durante o horário de trabalho (87 casos) em confronto com o crime. O Anuário registra que houve queda de 10,43% de mortes violentas intencionais em 2018. 
MAS apesar da queda verificou-se que ao mesmo tempo cresceu em 19,6% o número de mortes decorrentes de intervenções policiais. A ação da polícia foi responsável por 11 de cada 100 mortes violentas intencionais no ano passado, quando 6.220 pessoas morreram após intervenção policial, uma média de 17 pessoas mortas por dia. O perfil das vítimas repete a situação encontrada em outros anuários: 99,3% eram homens, quase 78% tinham entre 15 e 29 anos, e 75,4% eram negros.
FRASE: Sou um pouco de todos que conheci, um pouco dos lugares que fui, um pouco das saudades que deixei e sou muito das coisas que gostei (ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.