Colunista
ANO 2019 ficará marcado pelo ataque dos parlamentares aos cofres do país. Um ataque legal, porque eles legalizaram no papel, diga-se, mas imoral diante do buraco financeiro em que a nação se encontra. Recentemente os parlamentares aumentaram os fundos eleitoral e partidário, que passaram de R$ 1,7 bilhão para R$ 1,86 bilhão. Mas a facada maior veio na forma de emendas parlamentares: R$ 16,15 bilhões, um recorde histórico. Somando-se todas essas manobras ao fundo partidário eles terão R$ 17,11 bilhões para torrar no próximo ano. O volume de recursos equivale a 88,6% do total de dinheiro que estará disponível para o governo federal gastar em 2020: R$ 19,3 bilhões. As informações são da revista Veja. 
NA miríade de projetos improdutivos, as bizarrices abundam: quase uma dezena de deputados destinou verbas para a castração de animais, por exemplo. Encontram-se também obras de claro apelo eleitoral que não deveriam ser prioridade em momento de aperto de cintos, como acessos a rodovias e a construção de uma ponte estaiada em Aracaju. A farra dos legisladores exaspera o Executivo. Assessores de Paulo Guedes, ministro da Economia, passaram o chapéu pelas duas Casas nas últimas semanas para pedir que as emendas alavancassem programas já estabelecidos no governo na área da saúde. Não há, até agora, sinal de que serão atendidos. 
NO vale-tudo dos últimos anos da discussão orçamentária, o Congresso levou a melhor, conquistando uma licença para gastar. As emendas impositivas foram criadas em 2015 e, desde as eleições de 2018 as campanhas são bancadas somente com dinheiro público e de pessoas físicas. Sem as fontes tradicionais de financiamento, os políticos usam agora essa verba para fazer obras e impulsionar as campanhas em seus redutos eleitorais.
DE acordo com as regras de rateio aprovadas quinta-feira (10) pela Câmara Federal o Paraná receberá mais de R$ 1,2 bilhão dos recursos do leilão do petróleo do pré-sal. Desse total, R$ 494,4 milhões ficarão com o governo do Estado e outros R$ 714 milhões serão divididos entre os 399 municípios paranaenses, segundo cálculos da Confederação Nacional dos Municípios (CMN). A matéria agora deve ser votada na semana que vem pelo Senado.
 “LUTAR para derrubar o veto” do presidente Jair Bolsonaro ao projeto de lei que garante o atendimento de profissionais do serviço social e da psicologia nas equipes das escolas da rede básica de ensino de todo o país é o que propõe o deputado federal Fernando Giacobo (PL-PR). “São profissionais que fazem falta e fundamentais no dia-a-dia das escolas, podem contribuir, de forma significativa, na resolução de conflitos e no apoio aos estudantes e suas famílias”, disse o parlamentar. Alegando inconstitucionalidade e vício de origem, por prever despesas ao Executivo, Bolsonaro vetou integralmente a proposta aprovada em setembro na Câmara na forma de um substitutivo elaborado pelo Senado.
DIA 12 de outubro é uma data comemorativa de vários eventos significativos do Brasil: é o Dia da Criança, Dia de Nossa Senhora Aparecida (Padroeira do Brasil), Dia do Engenheiro Agrônomo, Dia do Corretor de Seguros, Dia Nacional da Leitura e Dia do Descobrimento da América. Nesta data se recorda a chegada do navegador Cristóvão Colombo ao continente americano. Com três caravelas – Santa Maria, Pinta e Niña, Colombo partiu da Espanha em agosto de 1492 e chegou às Bahamas em 12 de outubro de 1492. Ainda esteve em Cuba, Haiti e São Domingos. Essa viagem mudaria para sempre o curso da história da humanidade, pois novos povos, culturas, alimentos e climas seriam conhecidos pelos europeus.
ANALISTAS têm opiniões diversas sobre a revelação de que ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot teria ido armado ao Supremo Tribunal Federal para matar o ministro Gilmar Mendes. É que são várias as contradições. De acordo com o site Jota, Janot teria viajado para Belo Horizonte um dia antes do suposto fato, em 11 de maio de 2017, e retornado cinco dias depois. O ex-procurador tinha compromissos profissionais e ainda teria feito uma palestra na Universidade Federal de Minas Gerais. A Força Aérea, diz o site, confirma que recebeu ofício para uso de aeronave em compromisso oficial de Janot. 
AINDA de acordo com o site, a ata do Supremo do dia mencionado por Janot mostra que quem representava a Procuradoria-Geral da República na sessão era o subprocurador Bonifácio de Andrada. O Salão Branco do STF – onde Janot diz que sacou a arma – é vigiado por câmeras e seguranças. Depois de revelar o plano contra Gilmar, o ex-PGR foi alvo de operação de busca e apreensão da Polícia Federal – a pedido do STF. A arma de Janot foi apreendida e a posse suspensa, os celulares e o tablet foram recolhidos. 
PARANÁ é, hoje, o quarto estado brasileiro que mais registra ocorrências de ataques contra bancos. Só neste ano, segundo informações da Pesquisa Nacional de Ataques a Instituições Financeiras, do Contrasp, foram 68 ocorrências. Apenas os estados de São Paulo (128), Minas Gerais (105) e Rio Grande do Sul (81) registraram mais casos de ataques a banco ou caixa eletrônico, a carros-fortes, aos Correios ou Lotéricas. Em 2018 o Paraná já havia terminado o ano em 4º lugar no ranking nacional, com 161 ataques. Dessa forma, temos que entre janeiro do ano passado e setembro deste ano foram registrados 229 ataques no estado, o que dá a média de uma ocorrência a cada três dias, aproximadamente.
PARA o presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), Kamil Salmen, o nível de profissionalismo de organizações criminosas é muito grande, ao ponto de já existirem grupos cujo nível de profissionalismo chega a superar até mesmo o da própria polícia, o que dificulta e também torna mais arriscada a intervenção policial. E em episódios como ataques a banco essa diferença de força costuma ficar evidente. 
ADVOGADA Lilian Velleda Soares escreveu em documento encaminhado ao STF que “é com lástima que viemos aos autos juntar a cópia de atestado de óbito de Celmar Lopes Falcão, e dar-lhe os parabéns. Parabéns, Ministra, pela demora!”. No documento, a advogada informa que seu cliente, um homem de 80 anos que aguardava julgamento da Corte há 11 anos, morreu no último dia 16 na cidade de Pelotas-RS. “A sociedade está cansada de um Judiciário caríssimo e que, encastelado, desconsidera os que esperam pela ‘efetividade’ e pelo cumprimento das promessas constitucionais”, escreveu a advogada na prestação de informações protocolada no Tribunal na última quarta-feira (25/09), como noticia o jornal O Estado de S. Paulo. 
NO texto endereçado à ministra Rosa Weber a advogada afirmou ainda que a ministra ‘encarna’ ‘desprezo’ do Judiciário ‘pelo outro’ e diz ainda. ‘Informamos também que as pompas fúnebres foram singelas, sem as lagostas e os vinhos finos que os nossos impostos suportam’ – em referência à licitação de R$ 1,1 milhão que o STF anunciou, em abril, para a compra de refeições. Em petições juntadas ao processo no STF, a advogada apontou que Celmar era parte em um processo na 2.ª Vara Federal de Rio Grande-RS que em 2001, em fase de cumprimento, teria sido alvo de embargos de declaração. O objeto da ação seria o reajuste de 28,86% de seu benefício, que segundo relatado pela defensora nos autos, teria sido concedido a Celmar administrativamente pelo Poder Judiciário em 1999.
FRASE: A Terra é redonda e nada impede que, com minhas naus, chegue a seu outro confim, além dos mares (Cristóvão Colombo – Genova, 1451 – Valladolid, 20/05/1506 – in “Isabel, Rainha de Castela”).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.