Colunista
CONTRARIANDO informações da semana passada, o presidente Bolsonaro reafirmou ontem que não trocará, por enquanto, seus ministros. “Tem 22 ministros. Por enquanto não está previsto ninguém. Falar “por enquanto” dá a entender que amanhã pode trocar, né. Zero chance, no momento, de trocar ministro”, disse. O presidente também disse que irá na posse presidencial no Uruguai se confirmada a vitória de Lacalle Pou.
BOLSONARO anunciou que o governo prepara um projeto de lei para permitir operações de Garantia da Lei e da Ordem em reintegrações de posse na área rural. De acordo com Bolsonaro, mesmo quando determinado pela Justiça, os governadores acabam protelando o envio da Polícia Militar para retirar invasores das propriedades rurais. “Pode ser um governador, ou o próprio presidente poderia, pelo nosso projeto, criar a GLO rural, para tirar o cara da propriedade. O cara invade a fazenda, queima o gado, depreda patrimônio, mata animais e fica por isso mesmo”, disse Bolsonaro.
DEPUTADOS e senadores devem derrubar na próxima sessão conjunta do Congresso Nacional, convocada para hoje, nove dos onze vetos do presidente Jair Bolsonaro a projetos aprovados pelo Legislativo. Cinco deles trancam a pauta e impedem a análise de outras matérias pelo Congresso.
EM entrevista ao jornal Valor, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse que não está descartada a saída do Brasil do Mercosul. Bolsonaro voltou a torcer pela vitória de Lacalle Pou a presidente do Uruguai. “Espero, pelo que tudo indica, vai ser confirmado o Lacalle no Uruguai. Uma vez confirmando, vou ligar para cumprimentá-lo, e em março irei à posse”, disse.
BOLSONARO repetiu críticas ao presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández. “Agora, não vou à posse de um cara que se elege falando Lula Livre, não vou”, declarou. Bolsonaro criticou proposta de Fernandez de congelar preços e subir salários. “Você acha que vai dar certo? Vai ser a primeira vez no mundo que dará certo. No Brasil tentaram várias vezes e não deu. Boa sorte para ele, só acho que não vai dar certo”, afirmou.
SEGUNDO Bolsonaro a ideia do Brasil será reforçar acordo com a União Europeia em encontro da cúpula do Mercosul, que ocorre de 2 a 6 de dezembro em Bento Gonçalves-RS. “Depende dos parlamentos. União Europeia e nossos aqui. A gente vai divulgar o que for possível. É muito bom para o comércio nosso e da Europa”.
DOS 30 integrantes da bancada federal paranaense 21 votam a favor da PEC que tramita no Congresso Nacional que prevê prisão em 2ª Instância. Dois são contra (Enio Verri e Gleisi Hoffmann, ambos do PT) e três não responderam à consulta feita pelo jornal Estadão. Até ontem, dos 503 deputados federais, 292 disseram votar a favor e apenas 52 contra (os outros 169 ou não quiseram responder ou não foram encontrados). Para aprovar a PEC são necessários 308 votos. No Senado os três representantes do Paraná – Alvaro Dias, Oriovisto Guimarães e Flávio Arns – são favoráveis à emenda. Nesta Casa são necessários 49 votos e o placar mostrava ontem 51 senadores a favor e 8 contra.
EX-DEPUTADO Nereu Moura assumiu segunda-feira a presidência da Fundação Ulysses Guimarães (FUG) do MDB do Paraná em lugar do deputado Maurício Requião. A solenidade foi realizada no Plenarinho da Assembleia Legislativa. 
IMBRÓGLIO envolvendo o uso de meios eletrônicos para validar o apoio à criação de partidos políticos pode facilitar a conclusão dos 76 pedidos de criação de novos partidos atualmente em tramitação no Tribunal Superior Eleitoral, sem contar o Aliança pelo Brasil lançado pelo presidente Bolsonaro semana passada. Caso seja aceito o uso de aplicativos, sites ou a biometria da própria Justiça Eleitoral, as eleições 2020 podem contar com até 109 legendas. Os 77 possíveis novos partidos se somariam aos 32 registrados no TSE e criariam um problema: seus números passariam a três dígitos. Um pedido de registro chamou atenção por aliar temas polêmicos como política e futebol: o Partido Nacional Corinthiano está na lista do TSE.O último partido criado é o Rede, de Marina Silva, em 2015. Antes, o Solidariedade em 2013 e o Patriota (ex-Ecológico Nacional) em 2012.
SITE do Congresso Nacional publicou o nome do deputado Ricardo Barros na lista dos líderes indicados pelo Governo Bolsonaro. Barros foi indicado para ser o 1º vice-líder no Congresso. O deputado maringaense foi líder de FHC, vice-líder da Câmara de Lula e de Dilma, ministro da Saúde de Michel Temer e agora ocupa uma posição de destaque na gestão Bolsonaro e se consolida como um líder entre líderes e não há nenhum outro deputado com essa trajetória de reconhecimento da capacidade de articulação política.
CORPO do apresentador da TV Record, Gugu Liberato, que faleceu sexta-feira (22) em sua residência em Orlando, na Florida-EUA, será velado a partir de hoje (27) na Assembleia Legislativa de S. Paulo. Ele deixou uma fortuna milionária como herança para sua mulher Rose Miriam e três filhos: João Augusto, 18 anos, e as gêmeas Marina e Sofia de 15. Em março deste ano, o apresentador ficou em 7º lugar no ranking das 10 pessoas famosas mais ricas do país, segundo a revista Forbes Brasil. O valor estimado de sua fortuna é de R$ 170 milhões. 
NA lista Gugu estava na frente de grandes nomes como Ana Maria Braga, Roberto Justus e a cantora Daniela Mercury. Em sua frente, liderava o ranking, na ordem; Silvio Santos, seu ex-patrão do SBT, Xuxa, Pelé, Ivete Sangalo e Gisele Bündchen. Além dos trabalhos na TV, aonde já passou pelas emissoras SBT e Record, Gugu se arriscou no ramo de empreendedorismo. Em 1997, o apresentador foi sócio de um canal de televisão no Mato Grosso, a TV Pantanal, detendo 19% das ações da Pantanal Som e Imagem. Gugu também fechou um acordo de cessão dos estúdios da produtora GGP para a produção paulista da programação da Rede JB, antiga CNT. Ele detém apenas 25% de participação na unidade da Rede Graal, localizada em Barueri, São Paulo.
MINISTRO da Economia, Paulo Guedes, disse que é “uma insanidade” que o ex-presidente Lula da Silva peça a presença do povo em manifestações na rua e sugeriu que o pedido por “um AI-5” é uma consequência do discurso do petista. “Quando o outro lado ganha, com 10 meses você já chama todo mundo pra quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5”, afirmou o ministro, em visita a Washington (EUA). 
“CHAMAR o povo para rua pra dizer que tem o poder, para tomar. Tomar como? Aí o filho do presidente fala em AI-5, aí todo mundo assusta, fala “o que que é?” (…) Aí bate mais no outro. É isso o jogo? É isso o que a gente quer? Eu acho uma insanidade chamar o povo pra rua pra fazer bagunça. Acho uma insanidade.” Guedes afirmou que “assim que ele (Lula) chamou para a confusão, veio logo o outro lado e disse “é, saia para a rua, vamos botar um excludente de ilicitude, vamos botar o AI-5, vamos fazer isso, vamos fazer aquilo. Que coisa boa, né? Que clima bom”, criticou o ministro. 
GUEDES admitiu que as reformas desaceleraram com receio a manifestações como as vistas em outros países da região. “É verdade que desacelerou. Quando começa todo mundo a ir pra rua por “no apparent reason”, você não sabe qual é a razão, você fala: Segundo ele, Bolsonaro está comprometido com as reformas, mas tem preocupação com o que aconteceu nos demais países da região.
FRASE: Sem dúvida a maior invenção da humanidade foi a cerveja. Tudo bem, a roda também foi importante; mas garanto que ela não desce tão bem acompanhada de uma pizza (Dave Berry, cantor britânico).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.