Colunista
MDB de Paranavaí trabalha na articulação de uma nova constituição de seu Diretório Municipal, com a desistência de alguns de seus integrantes, como Valdir Tetila, da Presidência. O partido tem outros nomes fortes, inclusive citados como prováveis postulantes às eleições do ano que vem, como o ex-deputado estadual Eduardo Baggio e o suplente de deputado federal Valdemar Delatorre, que abriram mão de assumir cargos na Executiva. Pelo menos por enquanto.
NESTA semana um grupo de emedebistas fez consultas a filiados para indicação de nomes. Um dos consultados foi o ex-secretário municipal de Saúde e ex-vereador Agamenon Arruda de Souza. Um grupo ligado a Agamenon ainda deve insistir com ele e outros nomes para compor uma possível Diretoria.
EX-GOVERNADOR Orlando Pessuti pode deixar o MDB nos próximos meses. O Patriota ofereceu a presidência estadual para que ele ajudasse na reorganização no Paraná, visando as eleições de 2020. Pessuti é um dos últimos caciques do MDB velho de guerra que permaneceu no partido após o ex-senador Roberto Requião derrubar a executiva estadual, hoje encabeçada pelo ex-deputado federal João Arruda.
PETISTAS – parlamentares e dirigentes – estão preocupados com os efeitos colaterais da confusão no STF. Acham que a animosidade entre os ministros, agravada pelos caminhos e descaminhos do inquérito aberto por Dias Toffoli para investigar notícias falsas e pelo episódio da censura, pode inviabilizar qualquer tentativa de análise pela Corte da prisão em 2ª Instância, uma das portas que Lula sonha destravar juridicamente para deixar a prisão. O julgamento, considerado nitroglicerina pura, foi adiado e não tem data para voltar à pauta do STF, segundo o Estadão.
INCERTEZAS que o país vive em torno da reforma da Previdência e das declarações do presidente Jair Bolsonaro prejudicam o setor produtivo e preocupam o empresariado, além de colocar os investidores estrangeiros em compasso de espera.Mas o Brasil ainda não saiu do radar, de acordo com o hoje investidor Lawrence Pih em entrevista à Folha de S. Paulo.”Lá fora eles [investidores] nunca descartam um país. Estamos na expectativa, mas não se esperam grandes investimentos sem que haja estabilidade e previsibilidade”, afirma Pih, que vendeu o Moinho Pacífico, um dos maiores processadores de trigo do país, para a Bunge em 2015. “Como investidor com capital, estou aguardando oportunidades no Brasil e no mundo. No Brasil, só depois do quadro político e econômico se estabilizarem. Por enquanto não há condições de investir aqui.”
MERCADO de consórcios teve um ótimo ano em 2018. Desde 1960 nunca os resultados alcançados pelo setor em vendas de cotas e negócios contratadosforam tão altos.É o que mostra o Anuário 2019 do Sistema de Consórcios, publicado pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC). 
INSTITUIÇÕES financeiras reduziram pela 8ª vez seguida a projeção para o crescimento da economia brasileira neste ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – agora caiu de 1,95% para 1,71%. Para 2020 também houve redução de 2,58% para 2,50%.
UNESPAR, uma das sete universidades estaduais, tem déficit atual de 427 professores concursados, aproximadamente 40% das vagas totais da instituição, admite o próprio governo. A informação consta de resposta oferecida pela Secretaria de Estado de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia ao deputado estadual Requião Filho (MDB). Segundo a resposta hoje não existe previsão de realização de novo concurso para preencher as vagas existentes. A única contratação deve ser a de 17 professores aprovados em concurso já realizado. As demais aulas continuarão sendo assumidas por professores temporários.
ELEITORES que não votaram nem justificaram a ausência às urnas nas três últimas eleições (regulares ou suplementares) têm até o dia 6 de maio para procurar a Justiça Eleitoral e evitar o cancelamento do título.A partir do dia 24 de maio o TSE irá disponibilizar os nomes dos eleitores cujos títulos serão cancelados caso não regularizem sua situação até esta data.
PRESIDENTE Bolsonaro disse que vai instar parlamentares a criminalizar de fato as invasões de terra no País. Ele citou a queda nas ocupações pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). “No que depender de mim vai ser tipificado como terrorismo”, disse ele. As informações são do Broadcast /Estadão. “Invasão de domicílio, uma chácara, o proprietário pode se defender atirando, e se o outro lado resolver morrer é problema dele. A propriedade privada é sagrada na Itália, e tem que ser no Brasil também”, afirmou o presidente.
EX-MINISTRO da Saúde, Ricardo Barros (Progressistas), afirmou durante audiência pública na Comissão de Seguridade Social da Câmara Federal que os problemas do SUS são sobretudo de gestão e que o sistema universal integral não é sustentável. “A capacidade de arrecadação do governo não permite dar tudo para todos”, disse. O economista sênior do Banco Mundial, Edson Araújo, concorda e reforça que o SUS brasileiro tem problema de sustentabilidade por conta do crescimento dos gastos de saúde acima do crescimento do Produto Interno Bruto entre 2003 e 2017. O representante do Tribunal de Contas da União, Carlos Augusto Ferraz, afirmou que as recomendações do Banco Mundial são consistentes com as recomendações do TCU, por exemplo, em relação à implantação de redes integradas de atenção à saúde e ao fortalecimento à atenção básica.
CONCESSIONÁRIA Rodonorte comunicou ontem (23) a redução de 30% no preço dos pedágios que opera no Paraná, após fechar um acordo de leniência com a força tarefa da Operação Lava Jato. A redução nos preços começa a 0h do próximo sábado (27) e deve durar pelo menos 12 meses. Na nota, a Rodonorte, controlada pela empresa CCR, diz que “admitiu que foramcometidos atos de corrupção pela concessionária e, por esse motivo, formalmente pede desculpas”.
DESCONTO valerá para todos os trechos operados pela Rodonorte no Paraná, como a ligação entre Curitiba e Londrina da BR-376, por exemplo, onde os preços atuais para carros variam entre R$ 11,60 e R$ 12,40, a depender da praça de pedágio. Junto com outras concessionárias, a Rodonorte foi apontada pelas investigações como responsável pelo pagamento de propinas para o financiamento de campanhas políticas, em troca de ser beneficiada em processos de licitação. 
TRIBUNAL Regional Federal da 4ª Região determinou a redução das tarifas cobradas nas praças de pedágio pelas concessionárias Caminhos do Paraná em 25,77% e da Viapar em 19,02% (trecho Paranavaí-Maringá). O pedido foi feito por procuradores da força-tarefa do Ministério Público Federal no Paraná (MPF-PR) em conjunto com procuradores de Paranavaí, Ponta Grossa, Apucarana e Guarapuava que atuam na Operação Integração, desmembramento da Lava Jato. A redução nas tarifas deve ocorrer a partir da data em que as concessionárias foram intimadas. Cabe recurso da decisão do TRF-4.
FRASE: Curioso como as pessoas têm certezaabsoluta do que não fazem a menor ideia (Popular).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.