Colunista
CONSELHO Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) vai ao Congresso entregar um estudo que se opõe ao pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro. O documento elaborado por juristas e associações do direito, como IBCCrim (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais), IAB (Instituto dos Advogados Brasileiros) e Condege (Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais), tece críticas ao projeto e apresenta sugestões.
PARA o grupo de trabalho da OAB, ao menos dez medidas do plano do governo Jair Bolsonaro (PSL) precisam ser revistas, pois ferem a Constituição. São elas: 1) execução antecipada da pena; 2) execução antecipada de decisões do Tribunal do Júri; 3) modificações nos embargos infringentes; 4) mudanças no instituto da legítima defesa, em especial aos agentes de segurança pública; 5) alterações no regime de prescrição; 6) mudanças no regime de cumprimento da pena; 7) mudanças em relação ao crime de resistência; 8) criação do confisco alargado; 9) interceptação de advogados em parlatório; 10) acordos penais.
A QUE mais provocou contrariedade entre os conselheiros é a possibilidade de interceptação de advogado em parlatório – gravação de conversas entre advogado e cliente preso. As informações são da Folhapress.
PRESIDENTES do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Paraguai, Mario Abdo Benítez, voltarão a Foz do Iguaçu para participar da solenidade de lançamento da pedra fundamental da segunda ponte entre os dois países, no dia 10 de maio. O anúncio foi feito logo depois que o Conselho de Administração da Itaipu aprovou a construção da obra com recursos da própria binacional. A reunião ocorreu na usina, na sexta-feira, data de aniversário de 46 anos do Tratado de Itaipu.
DÍVIDA pública federal, que inclui o endividamento interno e externo do Brasil, aumentou 1,15%, em termos nominais, em março, na comparação com fevereiro deste ano.Informeda Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Economia. O estoque da dívida chegou a R$ 3,873 trilhões no mês passado.
DOS 30 deputados federais do Paraná, seis têm dívidas com a União. Os débitos somam R$ 52 milhões, de acordo com dados da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional compilados em outubro do ano passado. Nesse montante há casos em que as dívidas estão em situação irregular e outros em que estão regularizadas porque os parlamentares ou suas empresas aderiram ao programa de regularização de débitos – Refis. 
DEPUTADOS com as maiores dívidas – que representam 99% dos compromissos de todos os parlamentares do Paraná, são Vermelho (PSD) e Giacobo (PR). A dívida de Vermelho é de R$ 35 milhões e está toda renegociada com a União. Por isso, nos registros da PGFN a situação do deputado é indicada como regular. Todas as dívidas estão relacionadas à empresa V-tech Construtora, que era de propriedade do parlamentar. Vermelho é o único deputado paranaense que deve para a previdência social. Da dívida total, R$ 956 mil estão inscritos como dívida previdenciária. A assessoria do deputado informou apenas que ele não faz mais parte do quadro de sócios da empresa. 
EM entrevista sobre o tema ao Estadão ele afirmou que seu sócio, que assumiu suas cotas na companhia, continuaria pagando os débitos com a União. Ao lado de Vermelho, Giacobo forma a dupla de paranaenses entre os 10 maiores devedores da União no Congresso Nacional. Ao todo, R$ 2,2 milhões estão em Refis e R$ 14,6 milhões em cobrança pela Fazenda Nacional. As dívidas são referentes a impostos federais não pagos por três empresas de propriedade do parlamentar, a F.L. Giacobo Comercio de Veiculos; Giacobo& Cia Ltda; e a GII Locadora de Veículos.”
AUTOR de um pedido de impeachment contra o general Hamilton Mourão, o deputado Marco Feliciano (Pode-SP) voltou a atacar o vice-presidente em entrevista para a revista Época, dizendo que ele tenta derrubar o presidente Jair Bolsonaro para ficar em seu lugar e o chama de “Judas”. Além disso, o que causa estranheza é que muitas das contraditas do Mourão atacam promessas de campanha do presidente Bolsonaro. 
ESTRATÉGIA por trás dos ataques dos filhos de Jair Bolsonaro ao vice-presidente Hamilton Mourão é mitigar o poder dos militares no governo. Em alentada reportagem, a revista Época mostra que os ataques sistemáticos do núcleo mais ideológico do governo e da família a Mourão e aos demais generais abre uma nova fase nesse governo ainda em início: retira a blindagem sobre a ala militar.
POR determinação do ministro Dias Toffoli, O STF fez uma reforma no gabinete da presidência que incluiu a substituição de carpete por piso frio e até a instalação de um chuveiro. A obra custou R$ 443.908,43 aos cofres públicos.
STF, onde estão instalados os poderosos ministros que mandam e desmandam no poder judiciário brasileiro em nome da constituição e dos “guardiões da justiça”, comenta o jornalista Pedro Ribeiro, divulgou sexta-feira (26), informações sobre um pregão eletrônico para “serviços de fornecimento de refeições institucionais”, com gasto estimado de R$ 1,134 milhão. O processo de contratação do buffet prevê o fornecimento de pelo menos 2,8 mil refeições (almoços ou jantares), 180 cafés da manhã, outros 180 brunchs (cafés mais reforçados) e três tipos de coqueteis para 1.600 pessoas. 
“MENU” inclui desde a oferta para café da manhã, passando pelo “brunch”, almoço, jantar e coquetel. Na lista, estão produtos para pratos como bobó de camarão, camarão à baiana e “medalhões de lagosta com molho de manteiga queimada”. Exige ainda que sejam colocados à mesa bacalhau a Gomes de Sá, frigideira de siri, moqueca (capixaba e baiana), arroz de pato. Tem ainda vitela assada, codornas assadas, carré de cordeiro, medalhões de filé e “tournedos de filé”, com molho de mostarda, pimenta, castanha de caju com gengibre.
E MAIS: Se for vinho tinto fino seco tem de ser Tannat ou Assemblage, contendo esse tipo de uva, de safra igual ou posterior a 2010 e que “tenha ganhado pelo menos 4 (quatro) premiações internacionais”. “O vinho, em sua totalidade, deve ter sido envelhecido em barril de carvalho francês, americano ou ambos, de primeiro uso, por período mínimo de 12 (doze) meses.”Se a uva for tipo Merlot, só serão aceitas as garrafas de safra igual ou posterior a 2011 e que tenha ganho pelo menos quatro premiações internacionais. Nesse caso, o vinho, “em sua totalidade, deve ter sido envelhecido em barril de carvalho, de primeiro uso, por período mínimo de 8 (oito) meses”.
PARA os vinhos brancos, “uva tipo Chardonnay, de safra igual ou posterior a 2013”, com no mínimo quatro premiações internacionais.A caipirinha deve ser feita com “cachaça de alta qualidade”.Leia-se: “cachaças envelhecidas em barris de madeira nobre por 1 (um) ou 3 (três) anos.”Destilados, como uísques de malte, de grão ou sua mistura, têm que ser envelhecidos por doze, quinze ou dezoito anos. “As bebidas deverão ser perfeitamente harmonizadas com os alimentos”, descreve o edital, informa a revista Época.
FRASE: Se ele não me quer, é só me dizer. Pego minhas coisas e vou embora (Do vice-presidente Hamilton Mourão que, segundo reportagem da Veja, está abalado com os constantes ataques do clã Bolsonaro).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.