Colunista
COMISSÃO criada na reunião entre lideranças sindicais e integrantes do Governo do Estado segunda-feira (29) durante manifestação do funcionalismo público, para retomar as discussões sobre o descongelamento de salários de servidores públicos estaduais do Paraná, realizou ontem à tarde sua primeira reunião. O governo, que até agora sinalizava por manter o congelamento salarial adotado há três anos pelo Governo Richa (PSDB), cedeu e concordou em retomar uma negociação. A partir deste dia 1º de maio, data-base do funcionalismo, as perdas chegam a 17% dos salários que deixaram de ser corrigidos pela inflação desde 2016.
REUNIÃO de segunda-feira (29) foi realizada no Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, e conduzida pelo vice-governador Darci Piana. Em acordo com servidores, o governo aceitou criar a comissão. Entre reivindicações diversas, de mais de 10 sindicatos, a principal é o descongelamento dos salários defasados em 16% de inflação que deixou de ser paga, chegando a 17,02% a partir da data-base, que é nesta quarta-feira (1º). A proposta que os sindicatos apresentaram é de ao menos um reajuste de 4,8% neste ano, referente a inflação de 12 meses, e uma negociação em relação ao passivo dos 11,53% restantes dos anos em que os salários não foram corrigidos. Darci Piana afirma que uma alternativa seria parcelar a recomposição atrasada. 
ALÉM dos dados do Caged, referentes ao mercado formal de trabalho, outra importante estatística sobre emprego no Brasil é a PNAD Contínua, cujos dados por estado são divulgados trimestralmente pelo IBGE. No Paraná, há um total de 6,023 milhões de pessoas ocupadas – equivalente a 64% da população em condições e idade para trabalhar. A informalidade, contudo, é grande. Dessas 6 milhões de pessoas ocupadas, 1,84 milhões são consideradas trabalhadoras informais (33,14% do pessoal ocupado), ou seja, trabalham sem carteira assinada ou então são pessoas que trabalham por conta própria sem CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica). E aí o salário chega a ser menos da metade do que ganha um funcionário CLT. 
NO Setor Público, por exemplo, a remuneração média de alguém com carteira assinada é de R$ 3.660. Os sem carteira, contudo, recebem, em média, R$ 1.630. Para um grande número de paranaenses, a dificuldade não é só em conseguir se estabelecer numa boa vaga de emprego, mas simplesmente conseguir colocação em algum lugar. E a prova disso é que, segundo dados do IBGE, atualmente quatro em cada 10 paranaenses estão fora do mercado de trabalho. 
DE acordo com a PNAD Contínua do último trimestre de 2018, dos 9,39 milhões de paranaenses em idade para trabalhar, 3,84 milhões (40,89% do total) estavam sem emprego ou mesmo haviam desistido de procurar uma vaga. O número de desocupados (pessoas em busca de uma colocação e prontas para assumir de imediato a vaga) é de 471 mil. Entretanto, há ainda 3,37 milhões de paranaenses classificados como fora da força de trabalho (sem emprego, mas que também não estão procurando vaga), dos quais 109 mil são classificadas como ‘desalentadas’ (aqueles que já desistiram de procurar emprego).
JUSTIÇA Federal de Brasília aceitou segunda (29) a denúncia que a força-tarefa da Operação Greenfield ratificou contra o ex-presidente Michel Temer (MDB) no caso do Decreto dos Portos. O emedebista havia sido acusado formalmente pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em dezembro, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no âmbito do inquérito dos Portos, que apura se houve favorecimento a empresas do setor portuário na edição de um decreto de 2017. A decisão foi tomada pelo juiz federal Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12.ª Vara Federal. 
DE acordo com a acusação, a investigação comprovou que Temer, o coronel reformado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho e Carlos Alberto Costa (que foi sócio do coronel), “atuando de modo concertado e em unidade de desígnios desde 31/8/2016 até o momento, ocultaram valores de pelo menos R$ 32 milhões provenientes diretamente de crimes contra a administração pública praticados por membros de organização criminosa por meio de empresas de fachada”. Temer agora é réu em cinco ações penais. O ex-presidente responde a processos perante a Justiça Federal em Brasília (2), em São Paulo (1) e no Rio (2). As informações são do BR18, Estadão.
DEPUTADO Ademar Traiano (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa, destacou a importância da conquista do Prêmio Redes WeGov, pelo aplicativo “Agora é Lei no Paraná”, desenvolvido pela equipe de comunicação da Assembleia. A conquista foi na última sexta-feira em Florianópolis-SC. Traiano lembrou que o projeto enfrentou e venceu algumas as maiores instituições do serviço público brasileiro. “A conquista desse prêmio revela, mais uma vez, que a comunicação da Assembleia nada fica a dever a ninguém”, disse Traiano, lembrando que o APP da Alep concorreu com 25 projetos nacionais e foi escolhido como a melhor ferramenta tecnológica na comunicação do setor público. 
PRODUÇÃO de etanol no Brasil na safra 2018/2019 deve alcançar 33,58 bilhões de litros, um aumento de 23,3% ou 6,3 bilhões de litros em relação à safra 2017/2018. Os dados divulgados pela Conab confirmam o novo recorde de produção de etanol, batendo o índice anterior de 30,5 bilhões na safra de 2015/2016.  
AO analisar os dados de quatro pesquisas mensais feitas recentemente a diretora-executiva do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari, afirma que, de janeiro a abril, as taxas de avaliação do governo Jair Bolsonaro como ruim e péssimo subiram em todas as sondagens. Mas as taxas de ótimo e bom caíram só até março, e ficaram estáveis em abril, o que poderia indicar neste caso um piso para as avaliações. Governos recém-empossados despertam otimismo entre os eleitores, mesmo entre os que não votaram no vencedor. O que é raro, indica a análise das pesquisas do Ibope, é a “lua de mel” durar tão pouco. Pelos dados, o presidente Jair Bolsonaro não conseguiu manter por muito tempo a janela de boa vontade, o que é afirmado até por aqueles que votaram no candidato do PSL no ano passado. 
EM Brasília levantamento do Paraná Pesquisas entre os dias 22 e 26 de abril, encomendado pelo Diário do Poder, indica que 57,3% dos eleitores locais aprovam o governo Bolsonaro (PSL), contra 35,9% que o desaprovam. Isso mostra que a aprovação do presidente no Distrito Federal aumentou 2,2 pontos em relação a sua eleição de 2018, quando obteve 55,1% dos votos. Sua desaprovação é hoje 8,9 pontos menor que a votação obtida pelo candidato do PT Fernando Haddad (PT) no DF: 44,8%. Governo Bolsonaro é ótimo para 12,8% do DF e bom para 26,1%, superando avaliações péssimas e ruins, 11% e 16,4%, respectivamente. O presidente obteve o seu melhor resultado entre quem tem 60 anos ou mais: 59,7%. O menor é entre quem tem 45 a 59 anos com 53,5%. Notoriamente mais bem avaliado entre o público masculino com 61,2%, Bolsonaro subiu entre as mulheres e a aprovação feminina é de 53,9%.
FRASE: Sempre que possível, converse com um saco de cimento. Nessa vida só devemos acreditar naquilo que um dia pode ser concreto (Frase de Auto Ajuda).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.