Colunista
EMBORA o centro político e financeiro seja Curitiba, se o Paraná é hoje um dos estados mais ricos da União isso se deve às riquezas produzidas no interior, embora historicamente os governantes não deem tanta importância a isso. Uma pesquisa divulgada nas últimas semanas pelo IBGE confirma isso, colocando a agropecuária paranaense como uma das mais pujantes no cenário nacional. Os dados, que constam do recente relatório Estatística da Produção Pecuária colocam o Paraná como o estado que mais abateu frangos em 2018; o 2º que mais abateu suínos; o 3º que mais produziu laticínios; e o 4º que mais produziu ovos. 
AO longo de todo o ano passado, por exemplo, foram abatidas 5,7 bilhões de cabeças de frango em todo o país. E o Paraná lidera amplamente na participação nacional, com 31,4% (1,79 bilhão de cabeças), seguido por Rio Grande do Sul (15%) e Santa Catarina (13,4%). Seguindo a tendência nacional, contudo, a produção teve queda no estado (-50,50 milhões). Com relação aos suínos, o Paraná respondeu por 21% das 44,2 milhões de cabeças abatidas, atrás apenas de Santa Catarina (26,2%). A produção no estado, inclusive, teve crescimento (+86,80 mil). Em 2018 foram abatidas 31,9 milhões de bovinos em todo o país. 
ESTADOS do Centro-Oeste lideram a produção: Mato Grosso (16,4% da participação nacional), Mato Grosso do Sul (10,3%) e Goiás (10,1%). Nesse caso, porém, a boa notícia ao Paraná é que o estado foi o 3º que mais expandiu sua produção, com 157,5 mil abates a mais em relação a 2017. Quanto aos laticínios sob serviço de inspeção sanitária, verificou-se a captação de 24,45 bilhões de litros, com o Paraná em 3º lugar (12,6%) de participação nacional. Por fim, a produção de ovos de galinha chegou a 3,6 bilhões de dúzias no Brasil no ano passado, um recorde da série histórica iniciada em 1987.
TSE baixou nova resolução dando prazo até 29 de junho para que partidos com órgãos de direção provisória com vigência superior a 180 dias constituam comandos definitivos. A intenção é acabar com a prática disseminada entre muitas legendas de manterem indefinidamente comissões provisórias, deixando assim de realizar eleições internas. Pela nova norma, os órgãos provisórios têm validade de 180 dias, salvo se o estatuto partidário estabelecer prazo inferior. O prazo é contado a partir de 1º de janeiro de 2019.
EM 2016 o TSE já havia tentado acabar com essa prática, estipulando que esses órgãos provisórios só poderiam durar 120 dias. Em reação, o Congresso aprovou na reforma política uma emenda que permite aos partidos políticos continuarem a definir livremente a duração de seus diretórios provisórios.
NO Paraná, muitas siglas funcionam com direções provisórias, como o Podemos do senador Alvaro Dias, o PDT do ex-senador Osmar Dias, o PSL do deputado estadual Fernando Francischini e o PSC, por exemplo. 
FERROESTE (Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A.) faturou R$ 3,12 milhões em fevereiro de 2019 com a movimentação de 105.973 toneladas de produtos. A marca representa um recorde absoluto da empresa em apenas um mês em trinta anos de história. No acumulado do ano, o volume de cargas chegou a 210.172 toneladas. 
EXPORTAÇÕES brasileiras de suco de laranja concentrado, congelado, registraram queda de 11% nos oito primeiros meses do ano – safra 2018/2019 em relação ao mesmo período da safra anterior. A queda mais acentuada foi registrada nos embarques para os Estados Unidos, com 27% a menos que o volume um ano antes.
CURITIBA comemorou nesta sexta-feira (29) seu 326º aniversário de fundação em 29 de março de 1693. Foi nesse dia que, ao menos oficialmente, começou a ser escrita a história da Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. Três séculos depois a vila virou cidade, em verdade, um dos maiores municípios brasileiros e capital do Paraná. O nome também mudou: é Curitiba, palavra de origem guarani (kur yt yba quer dizer “grande quantidade de pinheiros, pinheiral, em referência à grande quantidade de Araucaria angustifolia, o pinheiro-do-Paraná, presente no território nos primórdios da ocupação humana).
PT anunciou que vai promover uma caravana “Lula Livre” no Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina nos próximos dias 5, 6 e 7 de abril, respectivamente, com Fernando Haddad, ex-candidato do partido à presidência. Após os atos em Porto Alegre-RS e Florianópolis-SC, nos dias 5 e 6 de abril, a caravana se junta ao Comitê “Lula Livre”, que organizou uma mobilização com uma jornada na Capital paranaense no domingo, dia 7, data em que completa um ano da prisão do ex-presidente.
PRESIDENTE nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, diz que, “embora o governo de Jair Bolsonaro seja confuso”, com “prioridades contraditórias” e problemas de articulação, falar em afastamento seria “coisa de semigolpista”. “Nós questionamos a eleição do Bolsonaro pela forma como ele foi eleito, com a prisão do Lula, fake news, mas tem uma regra no país. Agora, quem o colocou lá já está falando em afastá-lo porque tem interesse que algumas coisas andem mais rápido, como a reforma da Previdência”, diz ela. A afirmação foi feita durante uma agenda com deputados do PT de Minas Gerais, quinta-feira (28) em Belo Horizonte.
PESO dos tributos sobre a economia subiu no ano passado. Em 2018, a carga tributária equivaleu a 33,58% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país), segundo estimativa divulgada nesta semana pelo Tesouro Nacional. Em 2017 a carga tributária, conforme a metodologia usada pelo Tesouro, tinha ficado em 32,62%. O indicador é o maior desde 2010, quando o órgão começou a calcular a estimativa. O número oficial da carga tributária só será calculado pela Receita Federal em outubro e divulgado próximo do fim do ano. No entanto, o Tesouro precisa fazer um cálculo preliminar em março para repassar os dados à Controladoria-Geral da União (CGU), que usa a carga tributária para avaliar as contas do presidente da República.
CARGA tributária subiu nos três níveis de governo. No Governo Central, passou de 22,13% para 22,66%. Nos estados, subiu de 8,42% para 8,65%. Nos municípios, aumentou de 2,06% para 2,27%. Na esfera federal os principais tributos que impulsionaram a carga tributária foram o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), com acréscimo de 0,23 ponto percentual; o Imposto de Renda Retido na Fonte, com impacto de 0,13 ponto percentual; e o Imposto sobre Importação, com efeito de 0,1 ponto percentual.
NOS estados a carga tributária foi influenciada pelo aumento das receitas do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), com 0,24 ponto percentual. Nos municípios, os principais responsáveis foram o Imposto sobre Serviços (ISS), 0,11 ponto; e o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), com 0,08 ponto.
FRASE: Não mexa no meu silêncio se não puder lidar com o meu barulho (Popular).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.