Colunista
PRESIDENTE Bolsonaro incentivou caminhoneiros a darem entrada no pedido de porte de arma de fogo e afirmou que, quem tiver armamento, deve usá-lo. “Quanto mais arma, mais segurança”, disse após ouvir relatos sobre falta de infraestrutura nas estradas do país, o que, segundo os caminhoneiros, se traduz por falta de policiamento e vias esburacadas. As declarações foram feitas durante almoço com caminhoneiros em Anápolis-GO num encontro casual. 
 
SEGUNDO a assessoria, Bolsonaro decidiu de última hora parar em Anápolis, na estrada que liga Goiânia (onde se encontrou com representantes de igreja evangélica) e Brasília. Depois de ouvir relatos em silêncio, Bolsonaro interrompeu o almoço para indagar: “Porte de armas, a maioria apoia?” Em resposta, três dos presentes levantaram o braço e aos poucos, após insistência do presidente no tema, outros foram se dizendo adeptos.
DOS 30 deputados federais paranaenses eleitos em outubro de 2018, pelo menos 14 fazem parte da bancada da bala, composta por 199 parlamentares.
São eles: Aline Sleutjes (PSL), Boca Aberta (Pros), Christiane Yared (PR), Evandro Roman (PSD), Felipe Francischini (PSL), Filipe Barros (PSL), Luísa Canziani (PTB), Luiz Nishimori (PR), Paulo Martins (PSC), Pedro Lupion (DEM), Stephanes Junior (PSD), Sargento Fahrur (PSD), Toninho Wandscheer (Pros) e Vermelho (PSD).
INDICE de brasileiros que fumam voltou a cair, após período de estagnação. Dados do Ministério da Saúde apontam que 9,3% da população adulta se declarava como fumante em 2018. Nos dois anos anteriores, esse percentual estava estagnado entre 10,2% e 10,1%. Os dados são da última edição da pesquisa Vigitel, estudo realizado todos os anos e que monitora fatores de risco para doenças crônicas. Foram ouvidas 52.395 pessoas acima de 18 anos em todas as capitais do país. 
DESDE que a pesquisa Vigitel começou a ser realizada o percentual de pessoas que se declaram fumantes caiu 40% –passou de 15,7% para 9,3%. O ritmo de queda, porém, vinha desacelerando nos últimos anos. Em 2018 seis capitais apresentaram taxa de fumantes superior à média nacional. É o caso, por exemplo, de Porto Alegre, onde 14,4% dos adultos se declaram fumantes, além de São Paulo, com 12,5%, e Curitiba, com 11,4%. Já os menores percentuais foram registrados em Salvador e São Luís — ambas com 4,8%.
APOSENTADO, Newton Ishii, o Japonês da Federal, fez uma visita no meio da semana à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde trabalhou. Com livre acesso, resolveu ir à cela de Lula. Quando estava na escada, foi orientado a não ir até o líder petista. O ex-presidente tinha sido consultado sobre a sua intenção de vê-lo e deixou claro que não queria receber Ishii. Informado, o Japonês deu meia volta e foi embora.
BRDE iniciou 2019 com o desafio de superar os resultados do ano anterior, manter a busca por novas fontes de recursos e investir R$ 1 bilhão no Paraná por meio do apoio a produtores rurais, cooperativas, empresas de todos os tamanhos, empreendedores, comerciantes e prestadores de serviço. Dados divulgados nesta semana.
INADIMPLÊNCIA cresceu nas quatro cidades do Paraná pesquisadas no último mês de fevereiro pela Associação Comercial do Paraná/Boa Vista/SCPC. A pesquisa foi feita em Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel. Esta foi a que apresentou o maior índice de crescimento de inadimplência em relação a janeiro (0,9%).
NÚMERO de decolagens domésticas e internacionais realizadas a partir dos aeroportos paranaenses entre 2014 e 2018 caiu 16%. De acordo com levantamento realizado por equipe técnica foram 57.223 decolagens em 2014, ante 48.051 no ano passado. A queda no número de embarques foi acompanhada por aumento do preço das passagens. Nas 128 principais linhas dos cinco maiores aeroportos do estado (Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina, Maringá e Cascavel), houve aumento da passagem ou interrupção do serviço em 103 delas (80% do total das linhas analisadas). 
EM Curitiba, o Aeroporto Afonso Pena, mais movimentado do estado, os aumentos bateram na casa dos 201% no voo para Viracopos, em Campinas, e 160% no voo para Londrina. O cenário negativo para a aviação comercial não é uma exclusividade paranaense, mas, ao lado de Minas Gerais e Rio de Janeiro, o Paraná foi um dos mais prejudicados. No Sul, o Paraná apresentou a maior queda no número de embarques pagos, decolagens e consumo de querosene para aviação. No mesmo período, o Estado vizinho de São Paulo, maior hub logístico do país, viu o total de embarques pagos aumentar 8%.
TURMA a favor da legalização dos jogos – parlamentares e grupos empresariais – voltou a se reorganizar no Congresso, apostando suas fichas na possível tolerância do governo Bolsonaro com a atividade. Já está previsto o relançamento da Frente Parlamentar Mista pela Aprovação do Marco Regulatório dos Jogos, no início de maio. E até um jantar numa churrascaria, a módicos R$ 250,00 por cabeça. O lobby, porém, esbarra num grupo forte de apoio e ascendência sobre o presidente: os evangélicos. Não querem saber de roleta e carteado.
PRODUÇÃO de carne bovina foi recorde no Paraná em 2018, de acordo com o IBGE: o estado produziu quase 350 mil toneladas da proteína vermelha, incremento de 12% frente ao ano anterior em volume e no número de abates, que totalizou 1.441.473 cabeças. A quantidade de carne produzida representa quase 11 mil toneladas a mais que o recorde anterior, de 2010, que apresentou 338,5 mil toneladas.
DURANTE o lançamento da Frente em Defesa das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde – Frente Holística – o ex-ministro da Saúde, deputado federal Ricardo Barros (Progressistas-PR) defendeu que um maior investimento nesse tipo de terapias pode economizar recursos públicos. Terapias integrativas compreendem um grupo de práticas não alopáticas e biomédicas de atenção integral à saúde, desenvolvidas com racionalidade própria de olhar integral, físico, energético e espiritual, sendo consideradas holísticas.
PRÁTICAS Integrativas e Complementares se enquadram no que a Organização Mundial de Saúde denomina de Medicina Tradicional, Complementar e Integrativa e, sobre este tema, a OMS recomenda aos seus Estados-membros a elaboração de Políticas Nacionais voltadas à integração/inserção das MTCI aos sistemas oficiais de saúde, com foco na atenção primária de saúde. Entre essas práticas estão a acupuntura, auriculoterapia, constelação familiar, homeopatia, osteopatia, masssagens, entre outras. O objetivo é ajudar o paciente a melhorar a qualidade de vida e chegar ao seu ponto máximo de equilíbrio físico e emocional. 
FRENTE Holística conta com mais de 200 parlamentares do Congresso Nacional, tanto deputados federais quanto senadores, todos envolvidos com a pauta. Ao longo de sua gestão à frente do Ministério da Saúde, Ricardo Barros editou portaria incluindo Práticas Integrativas e Complementares (PICS) na lista de tratamentos do Sistema Único de Saúde. Os tratamentos utilizam recursos terapêuticos, baseados em conhecimentos tradicionais, voltados para prevenir diversas doenças, como depressão e hipertensão. São elas: apiterapia, aromaterapia, bioenergética, constelação familiar, cromoterapia, geoterapia, hipnoterapia, imposição de mãos, ozonioterapia e terapia de florais. Com as novas atividades, ao todo, o SUS passou a ofertar 29 procedimentos à população.
FRASE: Canso menos, me divirto mais e não perco a fé por constatar o óbvio: tudo é provisório, inclusive nós (Martha Medeiros).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.