Colunista
DADOS divulgados pelo IBGE apontam que em 2017, ano mais recente com dados disponíveis, havia 135.761 empresas ativas no Paraná. O número é o pior para o setor desde 2009, quando havia 127.215 estabelecimentos comerciais em todo o estado. Apenas na comparação com 2016, inclusive, verifica-se que 4.254 estabelecimentos fecharam as portas. Na comparação com 2011, quando se alcançou o recorde de 143.516 empresas ativas, houve uma redução de 5,7% no ramo comercial. A crise econômica que desde 2014/2015 assombra o Brasil fez com que o comércio e a indústria paranaense encolhessem significativamente nos últimos anos, praticamente retornando ao estágio em que se encontravam em 2009 e 2010, últimos anos do segundo mandato do ex-presidente Lula. 
NA indústria o número de estabelecimentos com 5 ou mais pessoas ocupadas (único recorte que permite a visualização de dados por unidade federativa) era de 17.555 no último ano pesquisado, o menor valor desde 2010, quando havia 17.301 indústrias em funcionamento no Paraná. O recorde histórico do estado foi registrado em 2015, quando havia 18.860 indústrias no estado. Desde então, portanto, verificou-se uma redução de 7,4%. 
SE o número de estabelecimentos comerciais e industriais está em queda, por outro lado a boa notícia é que o número de pessoal ocupado apresentou sinais de melhora. No comércio, por exemplo, havia 788.737 trabalhadores em 2017, número 3,6% superior ao verificado no ano anterior. Em 2014, contudo, o número de pessoal ocupado era de 802.268. 
QUANTO à indústria o aumento verificado em 2017 na comparação com 2016 foi de 1,3%, alcançando a marca de 630.236 pessoas empregadas na área. Ainda assim, é o segundo pior resultado acerca deste tópico desde 2010, com valor 12,4% inferior a 2013, quando se atingiu o recorde de 708.576 empregados na indústria paranaense. Os dados foram compilados de duas pesquisas divulgadas recentemente pelo IBGE: a primeira é a Pesquisa Anual do Comércio 2017, divulgada anteontem; a outra é a Pesquisa Industrial Anual (PIA), divulgada no começo deste mês.
MENOS de dois dias depois de fazer piadas com o PT e o caso do militar preso com cocaína no avião da FAB na Espanha, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou a usar sua rede social para atacar o Partido dos Trabalhadores. Na manhã desta sexta-feira (28), o ministro começa ressaltando “para uma minoria que ainda não percebeu” que aquela conta era pessoal e que “caso queiram informação institucional, sigam o (perfil) do MEC; ninguém é obrigado a me seguir ou ver o que escrevo, tem o link do MEC para isso; tenho vida fora do trabalho”. 
WEINTRAUB segue dizendo que é “bem-humorado” e que não faz piada com dinheiro suado do pagador de impostos. “Não estou aqui para ganhar dinheiro ou arrumar emprego em faculdade privada com a qual interagir como ministro; estou aqui para arrumar o belo trabalho que o PT fez […] Esse é meu Twitter e ao contrário do Congresso (local do debate), aqui não quero gente chata e de esquerda (sim, há exceções). Pode ser chato (Constantan e “isentinho”) ou petezinho (mas tem que ser engraçado). Caso contrário, bloqueio”, finaliza (A informação é do jornal Correio Braziliense).
DEPUTADA paranaense e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, anunciou durante a sessão de quinta-feira (27) da Câmara Federal que o partido irá processar o ministro da Educação, Abraham Weintraub. “Ele será acionado judicialmente pelas injúrias lançadas contra Dilma Rousseff e Lula”, disse ela, ressaltando que o ministro “não está à altura do cargo” e “se comporta como um moleque”. Informação do Alerta Paraná. A manifestação de Gleisi foi uma resposta ao ministro, que pela manhã havia postado no Twitter a seguinte frase: “No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?”..
JORNAL Correio Braziliense informou que parlamentares da Câmara Federal e do Senado “estão dizendo que o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, caiu” E especula:  “Nos corredores do Parlamento já se comenta à boca-pequena que há dois nomes em estudo para substituí-lo: o do atual secretário de Previdência, Rogério Marinho, negociador da reforma previdenciária; e o do senador Eduardo Gomes (MDB-TO). No Senado, quem acredita ainda na sobrevivência de Onyx no cargo é o presidente da Casa, Davi Alcolumbre”. 
DE acordo com o jornal da capital federal, “contribuem para esse desgaste precoce do ministro: a confusão gerada a partir da profusão de decretos das armas, a perspectiva de adiamento da votação da reforma da Previdência para agosto e a retirada da articulação política da Casa Civil”. A publicação adianta que se a queda de Lorenzoni se confirmar, pela primeira vez um governo estará diante da troca de quase todos os ministros palacianos ao completar seis meses de gestão. “Sobrará só o general Heleno, que a oposição planeja convocar ao Congresso para explicar como um taifeiro que servia alguns voos presidenciais traficou 39 quilos de cocaína sem que os serviços de inteligência do governo percebessem. O general hoje está atrás da mesma resposta”.
FALTAM 15 meses ainda para as eleições municipais, mas alguns partidos já definem seus candidatos a Prefeituras e vereadores. O MDB é um deles e já lançou quarta à noite a candidatura do ex-deputado João Arruda à sucessão do prefeito Rafael Greca em Curitiba, com apoio dos deputados Anibelli Neto e Requião Filho. Sobrinho de Roberto Requião, Arruda disputou o governo do Estado no ano passado. O MDB terá candidatos a prefeito na maioria das cidades paranaenses – disse ele – e, além de João Arruda, o partido já definiu as pré-candidaturas de Julio Küller em Ponta Grossa e João Nieckars, em Guarapuava.
SUSPEITA de que o gasto eleitoral de candidatas do PSL de Minas Gerais em gráficas não tenha passado de simulação foi um dos elementos que reforçaram o pedido e a autorização das prisões e buscas realizadas pela Polícia Federal em Brasília e Minas Gerais quinta-feira (27). Na primeira fase da operação, em abril, os policiais federais foram a seis endereços em Minas, mas em praticamente nenhum deles encontrou indícios de que tenha havido efetiva prestação de serviço para as candidatas investigadas, conforme revelou o jornal Folha de S.Paulo. 
NA quinta a PF prendeu, com autorização da Justiça, um assessor especial do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e dois ex-assessores que chefiaram sua campanha no Vale do Aço, em Minas. A investigação da PF começou após a Folha de S.Paulo revelar, em fevereiro, que Álvaro Antônio patrocinou esquema de candidaturas laranjas do PSL no estado -apesar de quatro delas terem recebido R$ 279 mil de verbas da sigla, tiveram pouco mais de 2 mil votos, claro indicativo de que não houve campanha real. Parte desse dinheiro voltou para empresas ligadas ao gabinete do hoje ministro. O PSL nacional – comandado por Luciano Bivar, também suspeito de replicar o mesmo esquema em Pernambuco – divulgou nota dizendo que as investigações são seletivas, visando atingir o partido do presidente da República.
FRASE: O mais importante da vida não é a situação em que estamos, mas a direção para a qual nos movemos (Oliver Wendell Holmes – 1809-1894 – escritor e médico estadunidense).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.