Colunista
TARIFAS de pedágio voltaram a subir à meia-noite de ontem no Paraná. O Superior Tribunal de Justiça suspendeu decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região que havia determinado redução em 11 praças do pedágio das concessionárias Caminhos do Paraná e Viapar no Estado. O presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha, acatou os argumentos das concessionárias, segundo o qual a redução das tarifas “atentam contra a segurança jurídica, a ordem pública e – por que não dizer – a vida e a salubridade dos usuários das rodovias concedidas”.
TRF4 havia determinado corte de 25,7% no preço do pedágio da Caminhos do Paraná e de 19% da Viapar com base em denúncia do Ministério Público Estadual, que apontou a existência de um esquema de pagamento de propina por parte das concessionárias a autoridades em troca de aditivos do aumento das tarifas e cancelamento de obras nas rodovias. Com o aumento outra vez o gasto de uma viagem de Paranavaí a Londrina vai custar R$ 35,20 – sendo de R$ 14,20 em Presidente Castelo Branco e 10,50 em Marialva e Arapongas.
EX-GOVERNADOR Beto Richa (PSDB) virou réu pela 7ª vez. O juiz da 23ª Vara Federal de Curitiba, Paulo Sergio Ribeiro, acatou denúncia do Ministério Público Federal contra Beto; seu irmão, o ex-secretário de Estado da Infraestrutura, José Pepe Richa e outras cinco pessoas, no âmbito da operação Piloto, que investiga suspeitas de pagamento de propina em troca do favorecimento de empreiteiras em uma licitação para a duplicação da PR-323. Na denúncia, o MPF acusa Richa de ter recebido em 2014 R$ 7,5 milhões da Odebrecht para fraudar a licitação em favor do Consórcio Rota das Fronteiras, composto, entre outras, pela empresa Tucumann. Os envolvidos são acusados de crimes de fraude a licitação, corrupção e lavagem de dinheiro.
NO Brasil o crime dos políticos continua compensando. E muito. Cassado em 2016, o ex-senador Delcídio Amaral passará a receber aposentadoria de R$ 11,5 mil a partir deste mês. O pagamento foi autorizado pelo Senado em portaria publicada na semana passada. O valor representa 12/35 (doze trinta e cinco avos) do salário atual dos parlamentares, que é de R$ 33,7 mil.
Delcídio, que era filiado ao PT e foi líder do governo no Senado na gestão de Dilma Rousseff, perdeu o mandato após acusações de que teria tentado obstruir as investigações da Operação Lava Jato. Ele negociou um acordo de delação em que acusou o ex-presidente Lula de participar do esquema para comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró. Tanto Delcídio quanto Lula foram absolvidos no caso.
EM 2017 o Ministério Público Federal pediu que o senador cassado perdesse os benefícios previstos na colaboração sob a justificativa de que ele teria mentido. O acordo, no entanto, continua vigente. O ex-petista é um dos 31 delatores “inadimplentes” com a Justiça, após não pagar parte da multa estipulada no acordo de colaboração premiada. Delcídio deve R$ 85 mil, referentes a uma parcela do total de R$ 1,5 milhão que acordou pagar. Atualmente, Delcídio mora em uma fazenda localizada em Corumbá, em Mato Grosso do Sul. O ex-parlamentar ainda tentou voltar à cena política no ano passado, mas teve a candidatura ao Senado barrada por estar inelegível até 2027. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
SITE Congresso em Foco traz a lista dos parlamentares que respondem a processos e um paranaense – o deputado Boca Aberta (Pros), lidera este ranking. São 24 processos, a maioria por calúnia, injúria, difamação. Mas o deputado responde também processos por fraude processual e crime eleitoral.
Outros seis deputados paranaenses estão nesta lista. Nenhum dos três senadores do Paraná – Alvaro Dias e Oriovisto Guimarães, do Podemos; e Flávio Arns, da Rede – integra esta lista.
AUMENTO para todos ou para ninguém. O presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano, afirmou que nenhum servidor público do Paraná terá reajuste salarial neste ano se o governador Ratinho Jr. não enviar projeto de lei prevendo a reposição para os funcionários do Executivo. Traiano avisou que não colocará em pauta de votação os projetos já enviados pelo Tribunal de Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas reconhecendo a legalidade da data-base e propondo o reajuste de 4,94%, mesmo índice da inflação nos últimos 12 meses vencidos em maio passado.
PARA a maioria dos brasileiros (54,1%) a situação econômica atual está igual a antes: situação econômica familiar “não melhorou, nem piorou” nos últimos seis meses. Levantamento do instituto Paraná Pesquisas para o site Diário do Poder mostra também que 11,7% acham que a situação ficou melhor; para 10,7% “melhorou” e só 1% diz que “melhorou muito”. Foram ouvidos 2.102 brasileiros em 158 municípios, entre os dias 20 e 25 deste mês. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder. Para 31% a situação econômica se degradou: piorou, segundo entendem 22,9% dos entrevistados, e “piorou muito” para 8,1%. O grupo pesquisado mais otimista está na População Economicamente Ativa: 13,3% acreditam que melhorou a situação econômica em casa.
PARANÁ fechou o mês de maio com desempenho positivo na geração de empregos. Foram abertas 1.431 vagas de trabalho com carteira assinada, uma variação de 0,05% em relação a abril. Construção civil é a principal responsável pela geração de empregos no Paraná em maio. Setor abriu 2,3 mil vagas com carteira assinada.  
NÚMERO de empresas com contas em atraso e inseridas no cadastro de inadimplentes segue crescendo. De acordo com o indicador calculado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), a alta foi de 2,90% na comparação entre maio e o mesmo mês do ano anterior.
POLÍCIA Rodoviária Federal apreendeu 14,9 toneladas de drogas no Paraná durante o 1º semestre deste ano. Também foram apreendidas 11,8 milhões de carteiras de cigarro, 116 armas de fogo e 12,7 mil munições. O balanço foi divulgado pela PRF na manhã de ontem (2). Do total de drogas apreendidas, 13,7 toneladas são de maconha; 906 quilos de cocaína e 308 quilos de crack. No mesmo período de 2018 a PRF havia registrado 23,3 toneladas de maconha; 3.024 quilos de cocaína e 294 quilos de crack apreendidos.
O total de 11,8 milhões de carteiras de cigarro contrabandeadas do Paraguai representa um aumento de 42,2% em relação às 8,3 milhões de carteiras recolhidas no primeiro semestre do ano passado. As apreensões de armas cresceram 38,1%, passando de 84 para 116 unidades. E as de munições saltaram de 9 mil para 12,7 mil, uma alta de 40,7%. 
ENTRE os meses de janeiro e junho deste ano as equipes da PRF apreenderam ainda 56 mil unidades de medicamentos irregulares. No total, 153 pessoas foram presas por tráfico de drogas e outras 133, por contrabando ou descaminho. Ao longo de todo o ano passado, a PRF apreendeu 51 toneladas de drogas, 18,4 milhões de carteiras de cigarro, 142 armas de fogo e 20,7 mil munições no Paraná.
FRASE: A fronteira entre a curiosidade e o atrevimento às vezes pode ser sutil (Autor desconhecido).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.