Colunista
PROGRAMA de trabalho conjunto para agilizar o julgamento de prestações de contas de prefeitos que estão represados nas câmaras municipais está sendo definido pelo Tribunal de Contas e Ministério Público do Paraná. Levantamento realizado pelo TCE aponta que ainda existem 1.058 contas anuais de prefeitos a serem julgadas pelas câmaras. Atualmente apenas 85 das 399 câmaras estão em dia com seu processo legislativo, ou seja, julgaram todas as contas do município. Em compensação, existem 17 câmaras (4,3%) que não informaram nenhum julgamento.
EM função desta situação, a partir do ano que vem o Tribunal de Contas do Estado do Paraná vai enviar duas listas ao Tribunal Regional Eleitoral para subsidiar o registro ou indeferimento de candidaturas às eleições municipais. Além da tradicional relação dos gestores públicos com contas já julgadas e desaprovadas, será encaminhada uma listagem com o nome dos prefeitos cujas contas tiveram pareceres prévios do TCE pela rejeição, mas que ainda não foram julgados pelas câmaras municipais.
PDT decidiu suspender provisoriamente os oito deputados federais que, contrariando a questão fechada pelo partido, votaram a favor da reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro. Segundo o presidente nacional do PDT, a punição impede que os parlamentares “falem em nome” ou utilizem a estrutura do partido. 
OS Requião, pai e filho, não escondem mais o incômodo com a legenda do MDB  presidida pelo sobrinho e primo João Arruda. No twitter o deputado estadual Requião Filho diz que não encontra motivos que justifiquem a permanência da dupla no partido. Os mais cautelosos aguardam os próximos capítulos para entender o que se passa no partido, que inicia reconstrução para 2020.
AQUELA fezinha que alimenta sonhos e esperanças de melhorar a situação financeira pessoal vai ficar mais cara. A Caixa Econômica Federal deve anunciar nos próximos dias novos preços para as loterias, com reajustes que chegam a 67%. Se o pedido feito pelo banco for acatado pelo Ministério da Economia, o valor mínimo para jogos da Mega-Sena, por exemplo, passará de R$ 3,50 para R$ 4,50 – alta de 29%. De acordo com cálculos de analistas da Ativa Investimentos, o impacto na inflação pode ser de 0,13 ponto percentual.
Ainda não está definido quando será o início da cobrança dos novos valores, mas a expectativa é de que a nova tabela comece a vigorar em agosto. A Lotofácil, que é uma das mais jogadas pelos apostadores, poderá ter um custo 25% maior. Os jogos Loteca e Lotogol devem ter incremento de 50% no valor. A Lotomania será a modalidade que mais vai encarecer: 67%.
CAIXA Econômica informou que a análise de viabilidade de reajuste nos valores das modalidades lotéricas existentes é competência do Ministério da Economia e, em caso de autorização daquele órgão, caberá ao banco implementar a atualização dos preços das apostas. As informações são do jornal Correio Braziliense.
COMO ficam os preços: Mega Sena (de R$ 3,50 para R$ 4,50); Lotofácil (de R$ 2,00 para R$ 2,50); Quina (de R$ 1,50 para R$ 2,00); Lotomania (de R$ 1,50 para R$ 2,50); Timemania (de R$ 2,00 para R$ 3,00); Dupla Sena (de R$ 2,00 para R$ 2,50; Loteca (de R$ 2,00 para R$ 3,00); Lotogol (de R$ 1 para R$ 1,50).
BRASIL tem pelo menos 812.564 presos, segundo o Banco de Monitoramento de Prisões, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os dados mostram que, do total da população carcerária, 41,5% (337.126) são presos provisórios – pessoas ainda não condenadas. E que há em todo o país 366,5 mil mandados de prisão pendentes de cumprimento, dos quais a grande maioria (94%) de procurados pela Justiça. Os demais estão foragidos. A marca de 800 mil presos foi ultrapassada há duas semanas. O número de presos pode ser ainda maior porque alguns estados não completaram totalmente a implantação do sistema e por isso ainda fornecem informações parciais.
DESIGUALDADE de renda dos brasileiros atingiu o maior patamar já registrado no primeiro trimestre de 2019. Segundo pesquisa do estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE), o índice que mede a desigualdade vem subindo consecutivamente desde 2015 e atingiu em março o maior patamar desde o começo da série histórica, em 2012. Informações do G1. O indicador estudado pela pesquisa é o índice de Gini, que monitora a desigualdade de renda em uma escala de 0 a 1 – sendo que, quanto mais próximo de 1, maior é a desigualdade. O do Brasil ficou em 0,6257 em março. 
PESQUISA também demonstra que as pessoas que ganham menos sofreram mais os efeitos da crise que os que possuem renda maior. Além disso, os mais pobres estão demorando mais para se recuperar na comparação com os mais ricos. Os números que revelam isso são os da variação da renda média acumulada pelos 10% mais ricos da população e os 40% mais pobres: Antes da crise, os mais ricos tiveram aumento de 5% da renda acumulada; os mais pobres, de 10%. Após a crise, os mais ricos tiveram aumento de 3,3% da renda acumulada; os mais pobres, queda de mais de 20%. Em 7 anos a renda acumulada dos mais ricos aumentou 8,5%; a dos mais pobres caiu 14%.
LEITOS de Unidade de Terapia Intensiva em estabelecimentos públicos, conveniados ao Sistema Único de Saúde ou particulares estão disponíveis em somente 532 dos 5.570 municípios brasileiros, segundo o Blog do Servidor. Se considerados apenas os leitos de medicina intensiva da rede pública, apenas 466 destes municípios oferecem tratamento em Medicina Intensiva no país. Ao todo, o Brasil tem quase 45 mil leitos de UTI, segundo informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. Pouco menos da metade (49%) está disponível para o SUS e a outra parte é reservada exclusivamente à saúde privada ou suplementar (planos de saúde), que hoje atende a 23% da população.
ELEITO por São Paulo, Tiririca é um dos deputados federais que mais perdeu votos entre a eleição de 2014 e 2018: foram 571 mil a menos. Já havia perdido mais de 300 mil votos entre 2010 e 2014. Se mantiver o ritmo, não se reelegerá em 2022.
VEM aí mais uma data que motiva as pessoas a oferecerem presentes para entes queridos: 11 de agosto, Dia dos Pais. Uma pesquisa divulgada pela IEMI – Inteligência de Mercado, analisou as intenções de compra de presentes para o Dia dos Pais pelos consumidores brasileiros. A análise indica que 63% dos consumidores irão comprar um presente na data e 81% deles revelaram que o presente será um artigo de vestuário. O tíquete médio dos presentes será de R$ 146,29, sendo que mais de 36% dos consumidores pretendem gastar até R$ 200,00 na compra. Mas 42,5% dos pesquisados afirmam que pretendem gastar até R$ 100,00. 
ANÁLISE foi realizada a partir do estudo sobre Comportamento de Compra do Consumidor de Vestuário 2019. Entre os itens de vestuário mais procurados, destaque para as camisetas, eleitas por mais de 20% dos consumidores, seguidas por calças jeans (19%), camisas polo (13%), shorts e bermudas (8,2%) e outros artigos. Mas ainda há dúvidas para 13,7%, que ainda não decidiram o que comprar.
FRASE: Nem todos os caminhos são para todos os caminhantes (Johann Goethe)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.