Colunista
NÚMERO de veículos em geral aumentou 1,13% (de 64.115 para 64.842) em Paranavaí nos últimos cinco meses (dados de maio em relação a dezembro). Os dados foram concretizados pelo Detran-PR nesta semana até maio. No caso, os números de Paranavaí são praticamente idênticos aos do Estado de modo geral, que registrou uma evolução de 1,14% (de 7.214.384 para 7.269.999). 
QUANTO ao número de automóveis licenciados no município o aumento foi de 0,29% (de 31.524 para 31.617) e no Estado de 0,99% (de 4.227.902 para 4.269.999) e o de motos (incluindo motonetas) o aumento foi de 1,40% em Paranavaí (de 18.711 para 18.974). Já o aumento do número de motos no Estado foi menor que em Paranavaí: 0,99% (de 4.227.902 para 4.269.999). Em relação a motos o aumento do número de motonetas foi maior em todo o Estado: 1,55% por 0,77 (de 276.921 para 281.234 motonetas e de 1.060.238 para 1.068.438 motos). Em Paranavaí o número de motonetas aumentou mais que o de motocicletas: 1,95% (de 6.392 para 6.517) contra 0,30% (de 12.319 para 12.357).
FALTA de demanda interna voltou a ganhar importância entre os principais problemas enfrentados pela indústria ao longo do mês de junho. O percentual de empresários que assinalam essa dificuldade é o maior desde o 3º trimestre de 2016. Nos últimos seis meses esse índice aumentou 10 pontos percentuais, chegando a 41,1%.
JUSTIÇA Federal suspendeu uma liminar que determinava a redução de 77,63% das tarifas de pedágio da concessionária Caminhos do Paraná. A decisão, divulgada anteontem, foi tomada na sexta-feira (19), três dias depois da concessão da medida, no último dia 16, pelo juiz 4ª Vara Federal de Curitiba, Marcos Roberto Araújo dos Santos. O governo do Estado anunciou que vai recorrer. A Caminhos do Paraná responde por um trecho de 405,8 km nas rodovias BR-277, entre Guarapuava e São Luís do Purunã; BR-373, na região do Trevo de Caetano; BR-476, entre Lapa e Araucária e na PR-427, entre Porto Amazonas e Lapa. Os valores das tarifas variam de R$ 12,00 a R$ 13,70.
JUIZ Rafael Kramer Braga, da Vara da Fazenda Pública de Paranaguá, determinou a suspensão da nomeação de Luiz Fernando Gasparini de Oliveira Lima do cargo de diretor financeiro da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Na decisão, o magistrado determinou também o bloqueio de R$ 181.495,68 de suas contas – importância correspondente aos salários que percebeu desde 16 de janeiro deste ano, quando foi nomeado pelo governador Ratinho Jr. A decisão judicial atende a um pedido do Ministério Público do Paraná.
AO desembarcar nesta terça-feira (23) em Vitória da Conquista-BA para a inauguração do Aeroporto Glauber Rocha o presidente Bolsonaro fez elogios ao prefeito de Salvador e presidente do Democratas, ACM Neto. O prefeito da capital baiana recebeu Bolsonaro ao lado do prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão (MDB). Em discurso, o presidente elogiou o prefeito soteropolitano e disse que ele poderia ser presidente. “Lá na frente, se Deus quiser, você ocupará um dia a honrosa cadeira que eu hoje ocupo”, disse Bolsonaro, aplaudido por correligionários.
DE férias no Pará o ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou ao Twitter para comentar a discussão que protagonizou em um hotel de Santarém, quando um grupo de manifestantes entregou a ele um prato de kafta. Como se sabe, durante um evento o ministro empregou a palavra kafta (um prato da cozinha árabe) ao se referir ao escritor tcheco Kafka. Weintraub criticou veículos da grande mídia por repercutirem o bate-boca que ele teve com moradores e indígenas.  
TRIBUNAL de Contas do Estado acatou recurso e absolveu o ex-superintendente de Desenvolvimento da Educação (Sude) Jaime Sunyé Neto de acusações de que teria facilitado o desvio do dinheiro público destinado à construção e reforma de escolas públicas no Paraná – fato investigado pela Operação Quadro Negro. O TCE reconheceu que Sunyé não era o gestor de contratos e, portanto, não era responsável pelas medições e outros procedimentos que autorizaram pagamentos baseadas em documentos fraudados produzidos por outros agentes públicos da secretaria da Educação. Ele não era nem gestor ou fiscal dos contratos, não tendo participação direta ou indireta nas irregularidades.
MDB de Curitiba realizará convenção nesta quinta-feira para a eleição do novo diretório e nova executiva municipal. Será na sede do partido das 17 às 21 horas. Segundo o presidente do MDB municipal, Rafael Xavier, o novo dirigente do partido será escolhido “do grupo que está atraindo novos filiados, renovando o partido há dois anos na Capital e que tem nos princípios do MDB e do requianismo paranaense sua real identidade”. Em encontro recente o MDB de Curitiba lançou a pré-candidatura do ex-deputado João Arruda, presidente estadual do partido à sucessão do prefeito Rafael Greca.
LEVANTAMENTO feito pelo Ibope, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco), indica que 59% de todos os cigarros que circulam no Estado são contrabandeados, vindos do Paraguai. Esse volume equivale a cerca de R$ 292 milhões que os cofres públicos do Estado deixaram de arrecadar em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços.
A evasão de impostos que deixam de ser recolhidos em função do mercado ilegal de cigarros (R$ 11,5 bilhões) no País é maior do que a arrecadação (R$ 11,4 bilhões). O valor que deixa de ser arrecadado é 1,6 vez superior ao orçamento da Polícia Federal para o ano, e poderia ser revertido para a construção de 121 mil casas populares ou 6 mil creches.
PESQUISA ainda aponta que, considerando todo o Brasil, o mercado ilegal de cigarros atingiu um patamar inédito. Em 2018, de acordo com levantamento do instituto, 54% de todos os cigarros vendidos no país foram ilegais. Crescimento de seis pontos porcentuais em relação ao ano anterior. Desse total, 50% foram contrabandeados do Paraguai e 5% foram produzidos por empresas que operam irregularmente no país. O principal estímulo a esse crescimento é a enorme diferença tributária sobre o cigarro praticada nos dois países. O Brasil cobra em média 71% de impostos sobre o cigarro produzido legalmente no país, chegando a até 90% em alguns estados, enquanto no Paraguai as taxas são de apenas 18%, a mais baixa da América Latina.
EM 2018 as duas marcas mais vendidas no Brasil foram contrabandeadas do Paraguai: Eight, campeã de vendas com 15% de participação de mercado, e Gift, com 12%. Outras duas marcas fabricadas no país vizinho compõem a lista dos 10 cigarros mais vendidos: Classic e San Marino (ambas com 3% de mercado). A marca contrabandeada mais popular no Paraná é a Classic, que com 34% de market share, é a mais vendida, à frente de todas as marcas produzidas legalmente no Brasil. Segundo a própria Polícia Federal, o contrabando de cigarros é fonte de financiamento para outros crimes, como o tráfico de drogas, armas e munições.
FRASE: Não podemos mudar os ventos, mas podemos ajustar as velas (Ditado Chinês).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.