Colunista
MAIS uma movimentação política aconteceu nesta semana em Paranavaí, depois da ocorrida pelo PP sábado passado e pela rápida presença em Paranavaí na segunda-feira do ministro do Desenvolvimento Regional, o paranavaiense Gustavo Canuto. Desta vez foi a reunião de lideranças de cinco partidos para um bate-papo em torno dos preparativos para as eleições municipais do ano que vem.
SEGUNDO participantes, a reunião foi para promover um entrosamento na conversa em torno dos futuros candidatos a prefeito, vice e vereadores, sem definir nomes no momento. Diante das sondagens efetuadas pelos partidos, as perspectivas são boas para o lançamento de candidaturas. Tanto é que pelo menos seis nomes vêm sendo cogitados por esses partidos, mas eles devem manter um diálogo visando a redução do número para o fortalecimento dos que forem realmente indicados para participar das convenções.
PT deve realizar reunião na próxima semana, quando já poderá definir seu futuro candidato a prefeito. A confirmação foi manifestada pelo César Alexandre, um dos tradicionais líderes petistas de Paranavaí. Indagado se o seu próprio nome já estaria definido como candidato a prefeito, Alexandre confirmou, mas “nada que não possa passar por um entendimento com outros partidos”, disse ele ao Diário do Noroeste. 
MINISTRA da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, apresentou quarta-feira (24) em Brasília os resultados do programa Abrace o Marajó, lançado no arquipélago paraense no último dia 12 para combater a exploração sexual e violência contra crianças, adolescentes, juventude, mulheres e pessoa idosa. Durante a apresentação, Damares fez uma revelação: as meninas da ilha do Marajó são estupradas porque não usam calcinha. Disse que já conseguiu muitas doações de calcinhas para mandar para o arquipélago – mas isto não basta: é preferível levar fábricas de calcinhas para lá para dar emprego e produzir calcinhas a preço mais baratinho.
GOVERNADOR Ratinho Jr. admite que poderá mudar o nome do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) como uma das estratégias para recuperar a imagem do órgão, pivô de uma série de irregularidades denunciadas pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal além da Polícia Federal nas operações Integração I e II, Piloto e Rádio Patrulha. A conveniência de mudar o nome será estudada mais à frente porque o empenho prioritário, agora, é aplicar as regras de compliance para prevenir que se repitam atos de corrupção como os ocorridos nos governos de Beto Richa, quando o DER foi um dos principais entes públicos de facilitação de conluio com concessionárias de pedágio e grandes construtoras, com farta distribuição de propinas.
DER – Departamento de Estradas de Rodagem tem este nome desde sua criação em 1946 (73 anos), na primeira gestão do governador Moysés Lupion (1946-1950). Entre outras obras o DER foi responsável pela administração direta de algumas das mais importantes rodovias do Paraná, dentre as quais a construção e pavimentação da histórica Rodovia do Café, ligando Curitiba a Londrina e assegurando a integração territorial por rodovias entre o Sul e o Norte do Paraná.
JUIZ Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, absolveu o ex-presidente Lula de dois crimes relacionados ao processo em que o ex-presidente é réu por supostamente ter ajudado a Construtora Odebrecht em Angola. Todavia, Lula continuará réu por suspeita de lavagem de cerca de R$ 7,7 milhões e US$ 355 mil, e também pelas acusações de corrupção e tráfico de influência. Lula, seu sobrinho Taiguara Rodrigues dos Santos e outros dois réus eram acusados do delito de organização criminosa. Vallisney argumentou que já há outro processo na Justiça Federal que trata disso. Assim, resolveu absolvê-los dessa acusação. O magistrado também considerou falha a acusação do MPF em relação a uma das supostas práticas de lavagem de dinheiro. Em razão disso, seis dos 10 réus da ação estão livres de acusações. Outros três, inclusive Lula, continuarão respondendo à ação. O ex-presidente também foi absolvido da acusação de ter lavado R$ 20 milhões de contratos firmados entre a Odebrecht e a empresa Exergia Brasil, de Taiguara. 
PRESIDENTE Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (25) que os hackers que teriam invadido seus celulares “não vão encontrar nada que comprometa”. Ele foi perguntado, durante entrevista coletiva em Manaus sobre o suposto ataque informado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. “Não estou nenhum pouco preocupado se porventura algo vazar aqui no meu telefone. Não vão encontrar nada que comprometa. Por exemplo: o que estamos tratando com outros chefes de estado, no tocante à Venezuela, as questões estratégicas para o Brasil, isso é conversado pessoalmente no gabinete. Perderam tempo comigo”, afirmou o presidente.
JORNALISTA Paulo Fona é o novo secretário de Imprensa da Presidência da República. O nome dele foi escolhido em consenso entre o ministro de Governo, Luís Ramos, o porta-voz Rego Barros e o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten. Fona foi secretário de Comunicação Social dos ex-governadores do Distrito Federal, Joaquim Roriz, e Rodrigo Rollemberg. Também foi secretário no governo de Yeda Crusius (PSDB) no Rio Grande do Sul, e coordenou a campanha ao Senado Federal do atual governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e à Presidência, de Antony Garotinho. Além da área de assessoria, Fona foi diretor de redação e colunista do Jornal do Brasil, editor do caderno de Cidades do Correio Braziliense e trabalhou no jornal Estado de S. Paulo.
BRADESCO divulgou nesta quinta-feira (25), que teve lucro recorrente de R$ 6,462 bilhões no 2º trimestre de 2019 – ou 25,2% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, de R$ 5,161 bilhões. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, a alta foi de 3,6%. As informações são de Veja/Estadão/Reuters. A carteira de crédito do banco foi a R$ 560,538 bilhões ao fim de junho, uma elevação de 2,2% ante março. No comparativo anual, cresceu 8,7%. Enquanto a carteira de indivíduos cresceu 4,8% em comparação aos três meses imediatamente anteriores, a de empresas avançou 0,8%. No comparativo anual, as altas foram de 14,8% e 5,4%, respectivamente. O patrimônio líquido do Bradesco chegou a R$ 133,636 bilhões no 2º trimestre, uma elevação de 18,2% em um ano. Em relação aos três primeiros meses o valor cresceu 5,5%.
CERVEJARIA Ambev também divulgou seu balanço trimestral na manhã desta quinta. O lucro líquido foi R$ 2,712 bilhões no 2º trimestre de 2019, resultado 16,1% maior que os R$ 2,335 bilhões registrados em igual período no ano passado. Com isso, na primeira metade de 2019 a Ambev reportou um lucro líquido de R$ 5,474 bilhões, valor 10,9% acima do registrado no mesmo período de 2018. A Ambev reportou também um aumento de 13,2% no custo dos produtos vendidos, para R$ 4,961 bilhões, parcialmente devido a efeitos cambiais, maiores preços de commodities e pressões inflacionárias na Argentina.
GRUPO Pão de Açúcar também divulgou seu lucro líquido consolidado aos acionistas controladores de R$ 432 milhões no 2º trimestre, superando previsões de analistas. O resultado foi puxado principalmente pelo firme desempenho da bandeira de ‘atacarejo’ Assaí. O desempenho operacional medido pelo lucro sem os juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 855 milhões entre abril e junho, também superior à estimativa média de analista.
FRASE: Vou devagar, mas jamais desandando o andado (ABRAHAM LINCOLN)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.