Colunista
GOVERNO estuda proposta para que os servidores dos demais poderes – Judiciário, Legislativo, Ministério Público e Tribunal de Contas – também tenham reajuste salarial parcelado até 2022, a exemplo do proposto para os funcionários do Executivo. O projeto do governo para a data-base dos servidores do Executivo prevê o pagamento de reajuste de 2% em janeiro do ano que vem, 1,5% em janeiro de 2021 e mais 1,5% em janeiro de 2022. O pagamento dos dois últimos índices está condicionado à disponibilidade de caixa do Estado. Ao contrário dos funcionários do Executivo, os servidores do Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas receberam, nos três anos anteriores, a reposição da inflação.
EM julho o Tribunal de Justiça, Ministério Público e Tribunal de Contas encaminharam à Assembleia proposta de reposição salarial para seus servidores de 4,94% – referente à inflação de maio de 2018 a abril de 2019 – com pagamento retroativo a maio deste ano, como prevê a data-base do funcionalismo estadual. Os servidores do Executivo – que estão com os salários congelados desde 2016 e acumulam perdas de 17% – reivindicavam o mesmo, mas o governo alega não ter condições financeiras de pagar a reposição integral da inflação no momento. As propostas serão votadas somente depois de um acordo, disse o presidente da Alep, Ademar Traiano. Uma reunião com representantes do Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores Públicos do Paraná está marcada para hoje no Palácio Iguaçu. 
PRESIDENTE da Gol, Paulo Kakinoff, vem a Curitiba nesta quarta-feira (7) para o lançamento do projeto do governo estadual Voe Paraná. De início, nove cidades do interior – entre elas Paranavaí – serão ligadas por voos regulares três vezes por semana, com 12 vagas para passageiros em aviões turbohélice Caravan. Se houver demanda, o número de voos e de passageiros pode aumentar. O lançamento do programa será feito pelo governador Ratinho Jr. às 16 h no aeroporto do Bacacheri. Serão atendidos os municípios de Cornélio Procópio, Paranavaí, Cianorte, Campo Mourão, Guaíra, Telêmaco Borba, Francisco Beltrão, União da Vitória, Paranaguá e Guarapuava.
PARANÁ tem 6,3 milhões de trabalhadores que se enquadram e podem sacar de contas ativas e inativas R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). No Estado os trabalhadores podem sacar ao todo R$ 2,4 bilhões na 1ª fase do programa, em 2019 e 2020. Os saques do FGTS obedecerão a um calendário, como ocorreu na liberação das contas inativas em 2017 e terão duas modalidades: uma que libera até R$ 500 e outra que permitirá o saque anual de acordo com o aniversário do trabalhador, chamado pelo governo de “saque-aniversário”. Entre os paranaenses, segundo dados da Caixa Econômica Federal, são 4,2 milhões de trabalhadores que podem sacar os recursos em 2019, o que representa um total de R$ 1,8 bilhão; e 2,1 milhões de trabalhadores poderão sacar em 2020, chegando a R$ 626,5 milhões no total. 
DETRAN-PR já está recebendo o pagamento do Certificado de Registro de Licenciamento Veicular (CRLV) 2019, que permite a circulação dos veículos e é documento de porte obrigatório. A cobrança da taxa de emissão é de competência do Detran, que inicia neste mês e finaliza no fim de novembro.
O prazo para pagamento do Licenciamento Anual é conforme o final das placas. Os automóveis com placas finais 1 e 2 devem ser quitados em agosto. Já para as placas que terminam com dígito 3, 4 e 5, o vencimento ocorre em setembro, e para as que possuem final 6, 7 e 8, o prazo expira em outubro. Em novembro, o prazo termina para placas com dígitos 9 e 0. A guia de recolhimento é no valor de R$ 86,50 para todos os veículos. Os proprietários que estão em atraso com débitos de multas, Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA) ou Seguro Dpvat, além do valor do Licenciamento 2019, terão que efetuar o pagamento desses débitos para a emissão do Licenciamento.

ESTATAL
de energia do Paraná – a Copel – está colocando em operação a primeira usina de biogás do país, que produzirá energia a partir de biomassa da suinocultura, informa a revista Veja. A usina fica no município de Entre Rios do Oeste. A prefeitura cedeu o terreno para instalação da central termelétrica e os produtores rurais entraram com a instalação dos biodigestores. A capacidade total da usina é de 480 KW, transformando por dia 215 toneladas de um agente poluidor em energia limpa. O investimento da Copel foi de R$ 17 milhões.

EX-GOVERNADOR Roberto Requião prometeu que vai se desligar do MDB – único partido a que pertenceu durante toda a sua carreira política – se o deputado Requião Filho não for confirmado como presidente do diretório municipal da legenda em Curitiba. Convenção municipal do MDB realizada em 25 de julho último elegeu a nova direção da sigla, ocasião em que Requião Filho se colocou como candidato a presidir a Executiva. No entanto, grupos contrários, liderados pelo deputado Anibelli Neto e pelo presidente estadual, João Arruda, contestam o resultado da convenção: não foi atingido o quórum mínimo de votantes para legitimar o resultado, argumentam. Se a ala contrária insistir em anular o resultado, o ex-governador e ex-senador avisou aos presentes na reunião de segunda-feira (5) que se desfiliará do partido.
PESQUISA inédita do Ibope, feita entre 20 e 23 de junho por encomenda da CNI, revela que seis em cada dez brasileiros (60%) concordam que a reforma da Previdência em discussão no Congresso é necessária. Desses, 32% “concordam totalmente” e 28% “concordam em parte” com a afirmação. Outros 34% dizem que a reforma é desnecessária. Quase dois terços (65%) dos brasileiros sabem que o governo Bolsonaro apresentou ao Congresso uma proposta de reforma da Previdência. No entanto, apenas 35% conhecem o conteúdo. Entre os 35% que conhecem o texto, 52% são favoráveis e 46% são contrários à proposta.
INTEGRANTES da Receita Federal pediram segunda-feira (5) em carta assinada por quase 200 auditores, incluindo funcionários da alta cúpula do órgão, que o STF reveja decisão que suspendeu a investigação contra 133 pessoas, incluindo ministros da Corte. O jornal O Globo divulgou a carta ontem. Na última quinta-feira o ministro Alexandre de Moraes determinou a suspensão de investigação e o afastamento de dois servidores que participaram da apuração. Os auditores dizem que “todos os procedimentos de fiscalização executados observam rigorosamente os preceitos constitucionais da impessoalidade”. O caso está sob análise no âmbito do inquérito aberto pelo presidente do STF, Dias Toffoli, para apurar ofensas à Corte, prorrogado por mais 180 dias. 
NO documento, os funcionários da Receita respondem aos argumentos da decisão judicial. A carta também fala sobre a determinação do Tribunal de Contas da União que manda a Receita entregar a lista de servidores que acessaram dados de autoridades. “O pedido causa estranheza e perplexidade, pois, sem qualquer justificativa aparente, coloca sob suspeição todas as fiscalizações efetuadas pela Receita Federal contra agentes públicos federais nos últimos cinco anos”.
FRASE: Contrate caráter, treine habilidades (Peter Schultz).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.