Colunista
DEPUTADO estadual Requião Filho estará hoje (quinta) em Paranavaí. Às 18h se reunirá com emedebistas na sede do Diretório Municipal, presidido por José Fassbinder. O parlamentar vem incentivar os partidários locais a lançamento de candidatos às próximas eleições. No movimento dois nomes aparecem como prováveis postulantes a prefeito: Valdemar Delatorre, suplente de deputado federal e Eduardo Baggio, ex-deputado estadual.
REQUIÃO manterá outros contatos na cidade, antes de seguir viagem para Cianorte e Umuarama. Na sexta-feira às 9h fará visita ao Diário do Noroeste. 
PRESIDENTE da Câmara de Vereadores de Astorga, José Carlos Paixão (PTB), e um assessor de comunicação da Casa, foram presos em flagrante, em operação do Ministério Público. Segundo o MP, os dois foram presos no momento em que estavam pagando para que um representante de organização não-governamental (ONG) da cidade não denunciasse irregularidades que havia descoberto na gestão da Câmara. 

PARTIDO do presidente Bolsonaro, o PSL, decidiu anteontem por unanimidade expulsar o deputado federal Alexandre Frota (SP), eleito com 150 mil votos, por conta de críticas dele à legenda e ao governo do presidente Bolsonaro. Frota vinha demonstrando insatisfação com o veto do governo a indicações dele para cargos na Agência Nacional de Cinema (Ancine), e por ter perdido poder no diretório municipal de Cotia, região metropolitana da capital paulista.
 DECISÃO expõe a divisão do diretório estadual da sigla em São Paulo, comandado pelo filho do presidente da República, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A executiva nacional do PSL alegou que a saída foi motivada pela “infidelidade” de Frota ao atacar o governo e colegas de bancada. O deputado foi criticado também por se abster na votação do 2º turno da Previdência, o que foi considerado uma “traição”. A proposta foi aprovada por 370 votos a favor, 124 contra e uma abstenção, de Frota. “Não concordamos com os argumentos dele”, afirmou Luciano Bivar, presidente nacional do partido.
PARANÁ terá concessões de pedágio em mais seis rodovias que cortam o Estado. De acordo com o documento, além dos pedágios já existentes nos 2,5 mil km do chamado Anel de Integração, a União deve leiloar concessões para a cobrança do serviço em mais três estradas estaduais: a PR-092 (Norte Pioneiro), a PR-323 (Noroeste) e a PR-280 (Sudoeste). Além disso, o futuro leilão também deve abranger novos trechos paranaenses de rodovias federais nas BRs 163, 153 e 476. Acordo foi assinado nesta terça-feira (13) entre o governador Ratinho Junior (PSD) e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. As atuais concessões se encerram em 2021. Ao todo, serão licitados pela União 4,1 mil quilômetros de estradas estaduais e federais até 2021. 

PARA
analisar pedido da defesa para suspender na 1ª Instância ação em que é acusado de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht, na forma de um imóvel para sediar seu Instituto e um apartamento vizinho à sua residência em São Bernardo do Campo, a 2ª Turma do STF se reúne dia 27. A aposta em Brasília é que os ministros aproveitarão a oportunidade para soltar Lula, segundo o site O Antagonista. 
APENAS seis dias após ser nomeado titular da Secretaria de Imprensa pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), o jornalista Paulo Fona foi exonerado terça-feira (13) do cargo. A decisão pegou o próprio jornalista de surpresa: “O desafio era imenso, sempre soube, mas esperava maior profissionalismo, o que não encontrei”, lamentou ele. Fona foi chefe de Comunicação do Governo do Distrito Federal nos governos de Joaquim Roriz e de Rodrigo Rollemberg. 
LULA livre? A defesa do ex-presidente Lula entregou ao STF terça-feira (13) um novo pedido de habeas corpus. Os advogados do petista, entre eles Cristiano Zanin Martins, querem que seja reconhecida a suspeição dos procuradores da força-tarefa Lava Jato em Curitiba. Além disso, a defesa requer a liberdade imediata do ex-presidente, preso desde abril do ano passado, após condenação em 2ª Instância no Caso Triplex do Guarujá.
De acordo com os advogados, os procuradores falharam ao cumprir as garantias constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade e da imparcialidade. 
AO pedir a suspeição dos procuradores, a defesa do ex-presidente Lula citou as mensagens trocadas pela força-tarefa Lava Jato em Curitiba e por figuras centrais da operação, como o ex-juiz Sergio Moro. O conteúdo tem sido divulgado pelo portal The Intercept Brasil e veículos parceiros, como Folha de S.Paulo, Veja, UOL, BuzzFeed e pelo jornalista Reinaldo Azevedo. Um Habeas Corpus com 102 páginas foi protocolado pela defesa do petista ontem. O pedido de suspeição dos procuradores da República deve tramitar na 2.ª Turma do STF – a mesma que está julgando, desde novembro do ano passado, um pedido de suspeição contra Sergio Moro. O STF não tem prazo para analisar os pedidos de suspeição e liberdade.
JORNALISTA Mônica Bergamo informa nesta quarta-feira (14), em sua coluna no jornal Folha de S. Paulo, que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, pode sair do governo Bolsonaro e ir para o governo de São Paulo. “O círculo próximo de Bolsonaro recebeu a informação de que Sérgio Moro teria as portas abertas no governo João Doria, de SP, caso a crise entre o ministro e o presidente não fosse contornada”, escreve a jornalista. A relação política entre o ocupante do Palácio do Planalto e seu ministro da Justiça está desgastada. Bolsonaro tem dado demonstrações públicas de que a qualquer momento pode demitir o ex-juiz que era tido como “superministro”, quando da formação do governo. A mudança seria uma das grandes vitórias da corrupção que tem Moro como um dos principais combatentes no País.
CADA dia mais intensa a briga dos ministros do STF com o Ministério Público. É a chamada justiça brasileira em confronto sem igual num País da esculhambação. O Conselho Nacional do Ministério Público aprovou a abertura de processo administrativo disciplinar para investigar a conduta do procurador Diogo Castor de Mattos, que até abril deste ano integrava a força-tarefa da operação Lava Jato no Paraná. Segundo a investigação preliminar, o procurador classificou como “golpe” contra a operação Lava Jato uma decisão da 2ª Turma do STF, chamando ainda os ministros do órgão de “turma do abafa”. A investigação foi aberta a pedido do atual presidente do STF, Dias Toffoli. Este também se incomodou com a afirmação de que a Justiça Eleitoral “historicamente não condena ou manda ninguém à prisão”. Em sua defesa, Castor afirmou estar “desligado” da Lava Jato desde 5 de abril deste ano por razões “médicas e pessoais”. 

CONSELHO também aprovou a abertura de processo contra a procuradora do Trabalho no Paraná, Margaret Matos. Segundo a reclamação, em 26 de abril ela publicou na rede social Instagram manifestação com conteúdo ofensivo ao presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), insinuando a solicitação de vantagem ilícita. Na avaliação da corregedoria do MP, Margaret Matos deixou de guardar decoro pessoal, de manter conduta pública ilibada, de zelar pelo prestígio da Justiça e pela dignidade de suas funções, ao publicar essas declarações. 
FRASE: A realidade não tem sentido, mas ainda é o único lugar onde ainda se pode comer um bom biffe (Woody Allen).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.