Agricultura

Pensada inicialmente para ser uma entidade de âmbito regional, a associação que reúne técnicos e produtores que utilizam a técnica da irrigação na produção agropecuária, ganhou peso maior: ela tem abrangência estadual. Esta foi uma das sugestões acatadas durante a Assembleia Geral de fundação da Associação de Produtores Irrigantes do Paraná (APIP), realizada na sede do Sindicato Rural de Paranavaí (SRP), que reuniu interessados de vários municípios da região.
Na mesma ocasião foi eleita uma diretoria provisória, que terá prazo de um ano para organizar a entidade, apresentar proposta de estatuto, submetê-la à apreciação dos associados e organizar eleição para escolha da diretoria definitiva, que terá mandato de três anos.
Para o presidente da diretoria provisória, o pecuarista Demerval Silvestre, a adoção da irrigação na produção agropecuária do Paraná poderá levar o Estado a ser o maior produtor de grãos do país, posição ocupada atualmente pelo Mato Grosso. O Paraná vem em seguida.
PROGRAMA – Em setembro do ano passado, o Governo do Paraná lançou o Programa Estadual de Irrigação, o Irriga Paraná, atendendo solicitação do SRP. O pedido, que teve o apoio da Sociedade Civil Organizada de Paranavaí e Região, que tem Silvestre como um dos coordenadores, e Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, foi feito durante a edição 2019 da ExpoParanavaí.
Apesar de existir oficialmente, o programa ainda engatinha. “Não podemos depender apenas do Governo. Temos que fazer a nossa parte”, conclamou o presidente do Sindicato, Ivo Pierin Júnior, que foi eleito vice-presidente da APIP. “Temos que sair da zona de conforto”, acrescentou ele ao fazer a saudação aos presentes.
Por sua vez, Silvestre asseverou que a irrigação dará aos produtores paranaenses as condições para enfrentar os longos períodos de estiagem e o chamado veranico. “Estamos trabalhando dentro das recomendações técnicas”, disse ele, aduzindo que o grupo que vinha trabalhando para viabilizar a entidade teve a assessoria da Associação do Sudoeste Paulista de Irrigantes e Plantio de Palha (ASPIPP), através de sua diretora Priscila Silvério Sleuyjes. Ele ainda reforçou a necessidade de produtores e técnicos se capacitarem para a adoção da técnica. “A irrigação não é coisa para amadores”.
O presidente disse que em Paranapanema, sudoeste paulista, onde fica a sede da ASPIPP, 75% da região é irrigada e os produtores de grãos colhem cinco safras a cada dois anos
Segundo Silvestre, o Paraná tem hoje apenas 0,7% de sua área agrícola irrigada. “Podemos avançar muito e nos tornar no maior produtor de grãos do Brasil”, enfatizou.
Por outro lado, ao responder questionamentos sobre a necessidade de melhorar a rede de energia elétrica da região para fazer frente à nova demanda com a irrigação e, principalmente, sobre a necessidade de os órgãos governamentais agilizaram a concessão de outorga para o uso da água na irrigação, Silvestre disse que é preciso vencer a “burrocracia”. “É isso mesmo, é ‘burrocracia’, porque é burrice criar obstáculos para quem quer aumentar a produção”, alfinetou.
O secretário da Agricultura de Paranavaí, Tarcísio Barbosa de Souza, parabenizou o Sindicato Rural pela iniciativa e defendeu o fortalecimento do associativismo no campo. Segundo ele, a organização dos produtores é essencial para conquistas e acesso a novas tecnologias. Ele colocou a equipe técnica de sua secretaria à disposição para contribuir com o projeto de irrigação.
DIRETORIA – A diretoria provisória da APIP ficou assim constituída – presidente: Demerval Silvestre; vice-presidente: Ivo Pierin Júnior; secretário: Leandro da Silva; 2º secretário: Antônio Teruo Kato; tesoureiro: Gilberto Pratinha; e 2º tesoureiro: Elson Luiz Nogara.
O Conselho de Administração será formado pelos representantes das Câmaras Técnicas. Cada Câmara indicará um titular e um suplente.
As Câmaras Técnicas deverão ganhar novas adesões, mas, na assembleia já ficam definidos alguns nomes. A de Citrus já tem a participação de Marco Valério, Alex Eduardo Zaniboni, Marcos Calzavara e Marlene Fátima Calzavara.
Na Câmara Técnica de Grãos estão Marcos Rogério Franco, Alfredo Fabrão Neto e Caíque Fachin; Na de pecuária participam Rogério Michelette Pierin, Luiz Paulo Lorenzetti e Claudia Dias; na de mandioca está Marcel Thuronyi e mais os representantes a serem indicados pela ABAM e SIMP; na Câmara de Várzeas participa Kleber Hudson Canassa, Élcio Beltrame e a Associação de Produtores de Arroz Irrigado do Paraná – APAI PR; e na Câmara das demais áreas estão Márcio Garcia Cid e Mateus Augusto Pasquali.
A diretoria provisória deverá propor a criação de outras Câmaras Técnicas e convidar mais pessoas para as integrarem e também para as já definidas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.