Artigos
O Brasão de Armas do Município de Paranavaí foi criado pelo prefeito Ulisses Faria Bandeira em 14 de agosto de 1958, pela lei nº 205/1958 e tem as seguintes ca¬racterísticas: DESCRIÇÃO HERÁLDICA  – Escudo Redondo Português; ESQUARTELADO  – Separando os quartéis, uma cruz retilínea ro¬mana, azul celeste: 1º De branco, com mãos entrelaçadas; 2º De prata com um archote de ouro, sobreposto um livro; 3º De prata, com um pé de café frutificado de vermelho, ladeado por uma roda de engrenagem; 4º De verde, cortado por um rio ladeado de cinco estrelas de prata; COROA MURAL – Lavrada de ouro, privativa das municipalidades, de quatro torres e portas, ao seu centro sobreposto um escudo de prata; DIVISA – ln Fide Unitatis, Laboris et Scientiae Civitas Inter Primarias Quinque Brasilíae (Na Fé, na União, no Trabalho e na Ciência, entre as pri¬meiras cinco cidades brasileiras), de prata, um listeal vermelho, datas nas extremidades. Obs: A inscrição em latim foi idealizada pelo frei Ulrico Goevert e pelo professor João Albino Werlang; MEMENTO JUSTIFICATIVO: O escudo redondo, também conhecido como português ou hispânico, foi o es¬colhido para acompanhar o tipo de tradicional para quase todas as cidades do Brasil, firmando-se, assim, as origens de nossa formação ibérica colonial. A cruz romana retilínea, azul celeste, que divide os quatro quartéis, simboliza em primeiro plano a fé cristã dos paranavaíenses, inabaláveis em sua crença religiosa. O azul celeste evoca o céu (querido) de nosso Brasil, também fi¬xado na bandeira nacional. As mãos entrelaçadas sobre o imaculado branco, do primeiro quartel, simbolizam a pureza de sentimentos e altos ideais dos paranavaienses irmanados na luta pelo engrandecimento de nossa terra.
O archote de ouro, sobreposto um livro aberto, no segundo quartel, simbólico heráldico do saber, das luzes e do progresso, evoca nossas escolas, nossas atividades espirituais e nobres ideais dos paranavaíenses no amor a sua terra, a ufanidade de seus sentimentos no branco de prata deste quartel.
Um pé de café, no campo de prata, do terceiro quartel, caracteriza o elemento básico da agricultura e povo-amento de Paranavaí. O café enseja ao município posição de destaque no conjunto dos grandes centros agrícolas do Brasil, a este produto se deve o desbravamento de nossos sertões e implantação da civilização onde antes imperavam as feras, os selvagens e a mata bravia. A roda de engrenagem significa trabalho em todos os setores e o surgimento da indústria paranavaíense; o campo de prata atesta abundância de água cristalina nas terras do município.
No quarto quartel, o verde evoca os extensos cafezais e luxuriante vegetação que cobre as terras de Para-navaí, o rio ladeado de cinco estrelas de prata, recorda a origem do nome da cidade, as estrelas as cinco cidades de maior índice progressista do Brasil, dentre elas “Paranavaí”, cujo diploma de honra foi conferido pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal e entregue ao prefeito da época, José Vaz de Carvalho, pelo presidente da República, Juscelino Kubitschek de Oliveira, em 19 de outubro de 1956, no Rio de Janeiro, então capital federal.
A Coroa Mural é a mesma da simbologia heráldica luso brasileira, relembrando com seu escudo. Nos suportes, os ramos de café e algodão assinalam os produtos agrícolas que mais têm cooperado para a riqueza do município.
A divisa “In Fide Unitatis Laboris et Scientae Civitas Inter Primarias Ouinuue Brasíliae” ( Na Fé, na União, no Trabalho e na Ciência, entre as cinco Primeiras Cidades do Brasil) de prata num listel vermelho, traduz a causa da evolução e desenvolvimento vertiginoso alcançado em pouco tempo pelo município; nas extremidades, à esquer¬da data da fundação da cidade, direita da diplomação como um dos mais progressistas municípios do Brasil (SB).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.