Cotidiano
Motoristas começam a manifestar indignação com a situação das estradas estaduais na região do Extremo-Noroeste. Em alguns pontos, é uma “aventura” transitar nas vias por causa dos inúmeros buracos. A insatisfação pode ser medida por reclamação de motoristas através de emissoras de rádios de Paranavaí, mas também em mídias sociais. Gestores municipais também começam a reclamar.
Um dos piores trechos da região Noroeste está na PR-218, que liga Paranavaí às cidades de Amaporã, Planaltina do Paraná, Santa Isabel do Ivaí, Santa Cruz de Monte Castelo e Porto Rico. O motorista precisa prestar muita atenção para não danificar o veículo e até mesmo sofrer um acidente. 
“No fim da gestão passada enviamos um ofício ao governo do estado pedindo melhorias nas estradas. Nesse governo mandamos outro ofício, mas até o momento não fomos respondidos”, disse Andreia Shiroff, secretária administrativa da Prefeitura de Planaltina do Paraná. 
Outro trecho da PR-218, que apresenta o mesmo problema, é o que liga a cidade de Santa Cruz de Monte Castelo a Querência do Norte, único acesso à cidade com pavimentação. Só para ter uma ideia da situação, a Prefeitura de Querência do Norte, há algumas semanas, realizou o serviço de tapa-buracos nas proximidades da cidade. 
“Sabemos das condições precárias em que se encontra esta estrada e todo o transtorno que isso tem trazido para nossa população. Há meses estamos cobrando o governo do Estado para uma solução. Então decidimos realizar este serviço de forma emergencial com o intuito de estabelecer as condições mínimas necessárias de segurança e trafegabilidade na região”, declarou a prefeita Roze Raggiotto de Oliveira.
A exemplo de Querência do Norte, a Prefeitura de Planaltina do Paraná também realizou o trabalho de tapa-buracos em um trecho de pouco mais de três quilômetros da PR-218.
OUTRAS RODOVIAS – A PR-180, que liga a cidade de Guairaçá a Terra Rica, e a PR-557, que liga Santo Antônio do Caiuá a Terra Rica e Diamante do Norte, também apresentam problemas com a falta de manutenção. 
Moradores dessas cidades estavam se organizando durante o dia de ontem para realizarem uma manifestação, pedindo melhorias nas rodovias.  
São estradas utilizadas para escoamento da produção agrícola e agroindustrial, além de serem utilizadas para o transporte de estudantes e pacientes que necessitam de tratamento em outras cidades. O risco de acidentes cresce a cada dia. 
“Não tem como transportar, o frete já é baixo e as estradas estão em condições precárias, que só danificam o caminhão”, disse o caminhoneiro Carlos Amorim da Rocha,        
Os prefeitos de Loanda, Sargento Santos; de Diamante do Norte, Daniel Pereira; de Terra Rica, Júlio Leite também já estiveram em Curitiba pedindo para que o governo do estado tome providências.  
CONTRATOS SUSPENSOS – O chefe da Casa Civil do Governo do Estado, Guto Silva, foi indagado sobre o assunto quando esteve em Paranavaí na última quinta-feira. Disse que contratos elaborados pelo DER foram suspensos pela justiça e o governo tenta liberá-los para fazer pelo menos obras emergenciais. Para ele, tapa-buracos não seria mais ideal a ser feito em função das condições das estradas em algumas regiões do Estado, como é o caso do Noroeste.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.