Cotidiano

Os trabalhos de robótica atraem o olhar de Alexandro Pandré, de 10 anos. O protótipo de elevador, que ajudou a construir, é o preferido, mas ele também gosta da réplica de vulcão e dos foguetes. Ontem, o menino visitou a segunda edição da Mostra Cultural Virtual realizada pelo Centro de Atendimento Especial à Criança e ao Adolescente de Paranavaí (Cecap), que reuniu os resultados das atividades remotas desenvolvidas ao longo deste ano. A exposição teve transmissão ao vivo pelas redes sociais da entidade e segue aberta para a visitação da comunidade até amanhã, seguindo os protocolos de segurança sanitária.

A coordenadora geral do Cecap, Kátia Batista da Silva, explicou que a Mostra Cultural Virtual é um compilado de cartazes, imagens e produções artísticas. Resultam das oficinas diárias e mostram a importância do trabalho a distância realizado pelos instrutores. Em datas comemorativas, como a Páscoa e o Dia das Mães, as atividades são especiais. O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (18 de maio) também foi lembrado.

Ela destacou que a maioria participa das oficinas de forma exclusivamente remota, mas alguns preferem ir até o Cecap e buscar as atividades. Tem os que apresentam os resultados pela internet e aqueles que levam pessoalmente. Independentemente do formato, o que conta é a interação das crianças e dos adolescentes com a equipe de instrutores e o apoio dos familiares. É necessário manter o vínculo, para que a integração da entidade com a comunidade não se perca.

Se depender da disposição Vagner Rodrigues de Amorim, de 7 anos, a proximidade será cada vez maior. É o primeiro ano dele no Cecap, e por causa da interrupção das atividades presenciais, ele ainda não conhecia as instalações físicas. Foi até o local para apreciar a Mostra Cultural Virtual e ficou contente com a visita. Disse que achou muito legal. Os pais, Jocelino e Luciana de Amorim, acompanharam o menino. Aprovaram o incentivo à criatividade e ao desenvolvimento do raciocínio lógico.

A avaliação de Luciana de Amorim é que as oficinas oferecidas pelo Cecap ajudaram o filho a perder a timidez. E além de conversar com outras crianças da mesma idade, conseguiu desenvolver um protótipo de foguete e investiu imaginação pensando nas incríveis viagens que poderia fazer. “As crianças são o futuro do Brasil, precisam ler, escrever e desenvolver habilidades”, disse a mãe do pequeno Vagner.

Instrutor de Robótica, Vander da Silva Gonçalves contou como faz para agregar a base teórica aos experimentos práticos. Une conhecimentos sobre eletrônica, física e eletricidade e motiva as crianças a colocarem as mãos na massa. Uma das maneiras de garantir que mantivessem o interesse em alta foi promover um campeonato e premiar aqueles que alcançassem as melhores pontuações.

A educadora social Maila Jaqueline Morais Ferreira, instrutora de Reciclagem Criativa, também faz parte do grupo e ensina as crianças e os adolescentes a utilizarem produtos recicláveis em suas criações. Cada etapa da construção do foguete que tanto alegrou o menino Vagner conta com algum tipo de material reutilizável, sendo um dos itens a garrafa pet. “Com isso, falamos da importância da reciclagem.”

O Cecap é uma entidade que atua na área de assistência social e a Mostra Cultural Virtual faz parte do serviço de convivência e fortalecimento de vínculo oferecido para a comunidade. A entidade fica na Vila Operária e tem mais de 200 crianças e adolescentes inscritos. Por causa da pandemia de Covid-19, tem realizado atividades online. Em algumas situações, quando a equipe de profissionais julga necessário, são feitas visitas domiciliares. Os atendimentos ocorrem de acordo com a demanda.

Jocelino, Vagner e Luciana visitaram o Cecap e apreciaram a exposição de trabalhos desenvolvidos nas oficinas

Foto: Ivan Fuquini

Kátia Batista da Silva falou da importância da interação da equipe que atua na entidade com toda a comunidade

Foto: Ivan Fuquini

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.