Cotidiano
O ano de 2019 será, para muitos, um divisor de águas. Um exemplo é o setor da construção civil, que percebeu seu mercado retrair e cair a sua participação no PIB (Produto Interno Bruto – soma de toda a riqueza produzida no país) em quase 30% desde 2014. No entanto, a expectativa é que o segmento volte a ter números positivos até o final desse ano. 
A confiança no setor ainda é grande, por mais que haja estagnação, “é um período que acontece em todos os setores e por diversos fatores; pode levar um pouco mais de tempo, mas a certeza é de que quem conseguir se manter até o retorno do crescimento, terá feito um ótimo negócio”, diz o empresário e CEO do Empresômetro, Otávio Amaral. 
Segundo dados do Empresômetro, empresa especialista em inteligência de mercado, somente empresas de construção de obras em alvenaria somam mais de 341 mil, afora outras atividades como administração de obras ou perfuração de poços.
Uma das atividades mais importantes para o país, a construção civil, é responsável por residências, prédios, indústrias, infraestrutura e emprega milhares de pessoas em todo o Brasil, sendo responsável por arrecadar mais de 100 bilhões de reais em tributos.
“A redução do poder de compra, oferta de crédito reduzida e pouco dinheiro para investimentos públicos pesam no setor, fazendo com que ele se retraia. O que vimos em nossos dados é que a confiança na construção civil ainda é grande, e deveria ser, pois é algo necessário a qualquer Estado”, afirma Amaral.
O estado de São Paulo é a sede de mais de 113 mil empreendimentos de obras em alvenaria; na região Nordeste o estado da Bahia, com projetos para a construção civil em sua capital, como o Marias na Construção, tem 163 empresas de Administração de Obras e mais de 15 mil de obras em alvenaria. 
No sul do país, o estado do Paraná, que tem mais de 44 mil empreendimentos, tem em Londrina 1.565 negócios de obras em alvenaria, 32 de administração de negócios e 158 de serviços especializados para construção (limpeza de fachada, construção de telhados, churrasqueiras, etc.). 
Na região Norte, somente Manaus, a capital do Amazonas, estado que conta com 2.069 empresas de obras de alvenaria, contabiliza 521 desses negócios. 
“Muito disso se dá pela mudança da legislação trabalhista, que facilitou a contratação de trabalhadores como empresas, pelos custos menores com pessoal, e a própria vontade de empreender. Vê-se cada vez mais empreiteiros construindo por conta própria”, esclarece Amaral. 
Os dados do Empresômetro ainda revelam que a média de abertura de empresas de obras em alvenaria foi de 56 mil Empreendimentos/ano nos últimos 6 anos.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.