Cotidiano

O Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) se reuniu com a Associação Nacional dos Fabricantes de Trailers, Reboques e Engates (Anfatre), em uma videoconferência no último dia 16, para discutir sobre a importância das fiscalizações deste tipo de veículo e estabelecer melhorias para diminuir o risco de fraudes.

Geralmente, este tipo de veículo não passa por vistoria, o que facilita o emplacamento de veículos que não tenham as mesmas características técnicas do produto homologado pelo Denatran, conforme seu Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito (CAT) e Certificado de Capacidade Técnica do Inmetro (CCT) ou tenham passado por algum tipo de adulteração. Além disso, um dos maiores riscos é a produção sem seguir normas básicas de segurança, principalmente as “carretinhas” (reboques de pequeno porte), conhecidas também como “fazendinhas”, utilizados para transporte de objetos e que são engatados aos carros.

“Somos muito rígidos nas vistorias feitas no Detran e mesmo assim temos um índice alto de veículos com diversas irregularidades. Um exemplo é um veículo descrito como ‘carretinha’ no documento, mas foi alterado para um ‘food truck’. Por isso, estamos estudando medidas para aumentar a fiscalização evitando adulterações, garantindo a segurança veicular e procedência destes veículos”, comenta o diretor de operações do Detran-PR, Mauro Celso Monteiro.

Segundo a Anfatre, estes equipamentos devem seguir o padrão do projeto aprovado pelo Denatran, contendo, por exemplo: iluminação adequada, materiais novos e compatíveis, e tamanhos aprovados, chassi e ano de fabricação devidamente gravadas, plaqueta contendo dados do fabricante e dados técnicos, entre outros, e serem produzidos por empresas homologadas junto aos órgãos competentes. Em 2019, mais de 60% destes veículos foram fabricados por empresas não homologadas e emplacados por um processo de compra e venda, numeração de chassi e notas fiscais ilegais.

Apesar do Detran do Paraná ser um dos únicos do país a executar fiscalizações rigorosas para eliminar o número alto de fraudes e irregularidades desses veículos, a ANFATRE necessita de apoio para fazer com o que o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) crie legislação, procedimentos e sistemas de controle mais rigorosos, promovendo que os outros Detrans do país também fiscalizem de maneira mais eficaz, prezando principalmente pela segurança no trânsito.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.