Cotidiano
A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuárias) deve lançar nos próximos meses mais uma variedade de mandioca precoce e adequada para o plantio direto. Trata-se da variedade BRS 420, que já foi encaminhada para registro e está protegida.
A informação foi dada pelos próprios pesquisadores da Embrapa na última reunião da Associação Brasileira de Produtores de Amido de Mandioca (ABAM), durante a qual pediram a continuidade da parceria com a entidade de classe. O presidente da Associação, Valter de Moura Carloto, disse que os trabalhos em conjunto devem continuar, pois as pesquisas que vêm sendo desenvolvidas são “de grande importância para o fortalecimento do setor”.
O coordenador de Pesquisa & Desenvolvimento da Embrapa Mandioca Fruticultura (Cruz das Almas – BA), Francisco Laranjeira disse que a participação da equipe da Embrapa na reunião da ABAM foi para “reforçar nosso compromisso de desenvolver tecnologias para reduzir os custos de produção e aumentar o valor do produto”, ofertando material de qualidade com preços mais competitivos. Sobre a BRS 420, fez questão de frisar que os avanços da variedade são “resultado do nosso trabalho conjunto”.
O pesquisador Marco Antonio Rangel, do campo avançado da Unidade no Centro-Sul, baseado em Londrina e que coordena as pesquisas no Oeste e Noroeste do Paraná, apresentou o trabalho que a Embrapa vem desenvolvendo na região e falou das vantagens das variedades BRS CS01, já lançada oficialmente e BRS 420.
Ele focou mais na BR 420, cuja qualificação havia sido feita com produtores e técnicos naquela tarde. Mostrou que a produtividade de amido foi igual ou superior – nos dois ciclos – em relação a outras variedades e em diversas regiões produtores do Centro Sul do Brasil. Expôs como se comportou o desenvolvimento da maniva e outros aspectos técnicos da pesquisa, como altura média da planta, número médio de raízes, peso médio da cepa, reação à bacteriose, reação ao superalongamento etc e que a variedade se mostrou adaptadas aos solos das regiões noroeste e oeste do Paraná, centro e sul do Mato Grosso do Sul.
RANQUEAMENTO – Ainda na reunião, realizada na noite da última quinta-feira (dia 30), o analista Helton Fleck apresentou o resultado do ranqueamento da BRS 420 que havia sido feito à tarde com produtores e técnicos de entidades parceiras. Foram eles que definiram os principais atributos de valor e o peso para cada um a fim de viabilizar a comparação com outras variedades.
Foram consideradas como principais atributos a produtividade de raízes, teor de amido, resistência a doenças, variedade precoce, rápida cobertura do solo, porte ereto, opção para segundo ciclo, tolerância à deterioração, tolerância à bacteriose e antracnose, raízes com película clara e lisa, tolerância a insetos-praga, facilidade de colheita, qualidade do amido, rendimento industrial e adaptação a vários tipos de solo). Em todos os itens, a BRS 420 alcançou média maior do que as variedades mais cultivadas na região. Os cinco primeiros atributos responderam por quase 60% dos atributos de valor, conforme apontado pelos produtores.
Carloto ficou satisfeito com o trabalho apresentado e disse que o setor espera sempre por novas variedades que possam aumentar a produtividade. “Nosso setor precisa ser mais competitivo e serão as pesquisas que vão permitir alcançar esta competitividade”, disse ele.
Também anunciou que vai esperar o documento que solicitou à Embrapa para formalizar a parceria com a empresa de pesquisa para mais um ano, mas adiantou que os trabalhos conjuntos vão continuar. A Diretoria da ABAM também vai aguardar o documento para avaliar apoio financeiro à Embrapa, que está com 55% de seus recursos contingenciados.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.