Cotidiano

A construção do Plano Intermunicipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos passa por quatro etapas: participação social e mobilização, diagnóstico da situação atual, validação do diagnóstico e prognóstico. Na manhã de ontem, teve início a primeira fase do processo que será desenvolvido no Noroeste do Paraná, pelo Consórcio Intermunicipal Caiuá Ambiental (Cica).
O engenheiro ambiental Helder Rafael Nocko, representante da empresa responsável pela elaboração do plano de gestão de resíduos sólidos, explicou que a proposta inclui buscar soluções para os problemas enfrentados em cada município. A partir de então, será possível trabalhar na promoção do desenvolvimento sustentável.
Para se ter uma ideia, os municípios que integram o Cica produzem, juntos, 38 mil toneladas de lixo por ano. O reaproveitamento adequado desse material poderá gerar negócios e novas fontes de renda, com a criação de cooperativas e associações de reciclagem, por exemplo.
A ideia do plano de gestão dos resíduos sólidos é traçar metas para os próximos 20 anos, com revisões a cada quatro anos, levando em conta questões como proteção à saúde pública e preservação ambiental. Sendo assim, incluirá a destinação de lixo gerado em residências e estabelecimentos comerciais, materiais hospitalares, itens de construção civil e uma série de outros produtos.
Para a confecção do documento, profissionais da empresa que está à frente dos trabalhos visitarão todos os municípios e conhecerão as peculiaridades de cada um. Promoverão reuniões técnicas e farão levantamento de dados em aterros sanitários, áreas degradadas e associações de reciclagem de lixo. Ao final de todo o processo, realizarão audiência pública para expor os resultados.
A elaboração do plano deverá se estender até agosto deste ano. Com o documento concluído, o Consórcio Intermunicipal Caiuá Ambiental abrirá possibilidades para requerer recursos estaduais e federais destinados à gestão de resíduos sólidos. De acordo com Nocko, o documento é condição essencial para ter acesso a essas verbas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.