Cotidiano

Vivem em condição de extrema pobreza as famílias com renda mensal per capita abaixo de R$ 145, conforme critérios do Banco Mundial. Segundo levantamento feito pela equipe do escritório regional da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), 6.820 núcleos familiares do Noroeste do Paraná estão incluídos nessa faixa.

Os dados são de julho deste ano e mostram que 11.216 famílias estão inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do Governo Federal, com perfil para receber auxílios e benefícios. Isso representa 35.132 pessoas, sendo 20.024 mulheres e 15.108 homens. Em toda a região, 113 famílias vivem sem água encanada e 59 não têm banheiro em casa.

De acordo com a Sejuf, o repasse mensal do Governo Federal através do Bolsa Família contempla 6.820 núcleos familiares do Noroeste do Paraná. “Muitos têm o perfil, mas não recebem o benefício”, disse a chefe do escritório regional, Marly Bavia. Segundo o levantamento, 2.199 famílias aguardam para ingressar no programa.

Bolsa Família contempla 6.820 núcleos familiares. Outros 2.199 esperam para ingressar no programa
Foto: Ivan Fuquini

Exclusões e inclusões são comuns e resultam de uma série de fatores. A falta de atualização de dados, por exemplo, pode fazer com que uma família tenha o repasse suspenso ou bloqueado definitivamente. A expectativa de Marly Bavia é que o Bolsa Família seja expandido, para alcançar mais pessoas.

Programas de transferência de renda são necessários para garantir que as famílias que vivem em condição de extrema miséria tenham recursos mínimos para sobreviver. Além do Bolsa Família, é possível contar com programas estaduais e municipais e benefícios eventuais, entre os quais está a distribuição de cestas básicas.

PANDEMIA – Desde março deste ano, as instâncias governamentais têm ampliado a distribuição de recursos financeiros e alimentos para a população, por causa da crise agravada pela pandemia de Covid-19.

Não houve crescimento no número de cadastros e solicitações para requerer o repasse do Bolsa Família. A explicação está no auxílio emergencial de R$ 600 disponibilizado pelo Governo Federal. Recentemente, foi anunciada a queda do valor para R$ 300, com duração até dezembro deste ano.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.