Cotidiano
Diorgnes Silva Queiroz
Médico Clínico-Geral
Diabetes Mellitus é uma doença que tem como característica a elevação da glicose na corrente sanguínea (hiperglicemia). 
Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, produzido no pâncreas, pelas células beta. A função principal da insulina é promover a entrada de glicose para as células do organismo de forma que ela possa ser aproveitada para as diversas atividades celulares. A falta da insulina ou um defeito na sua ação resulta, portanto em acúmulo de glicose no sangue, o que chamamos de hiperglicemia.

Classificação do Diabetes
Sabemos hoje que diversas condições que podem levar ao diabetes, porém a grande maioria dos casos está dividida em dois grupos: Diabetes Tipo 1 e Diabetes Tipo 2, que será o nosso foco.
Diabetes Tipo 1 (DM 1) – Essa forma de diabetes é resultado da destruição das células beta pancreáticas por um processo imunológico, ou seja, pela formação de anticorpos pelo próprio organismo contra as células, beta levando a deficiência de insulina. O diagnóstico costuma acometer crianças e adultos jovens, mas pode ser desencadeado em qualquer faixa etária.

Os sintomas
Sede, aumento urinário, fome excessiva, emagrecimento importante, cansaço e fraqueza. Se o tratamento não for realizado rapidamente, os sintomas podem evoluir para desidratação severa, sonolência, vômitos, alterações visuais, dificuldades respiratórias e coma. Esse quadro mais grave é conhecido como Cetoacidose Diabética e necessita de atendimento medico imediato.
Diabetes Tipo 2 (DM 2) – Nesta forma de diabetes está incluída a grande maioria dos casos (cerca de 90% dos pacientes diabéticos). Nesses pacientes, a insulina é produzida pelas células beta pancreáticas, porém, sua ação está dificultada, caracterizando um quadro de resistência insulínica. Isso vai levar a um aumento da produção de insulina para tentar manter a glicose em níveis normais. Quando isso não é mais possível, surge o diabetes. Os sintomas costumam serem os mesmo, porém de forma mais lenta e acomete uma parcela de adultos jovens principalmente acima dos 50 anos. Tem associação a obesidade. Contudo, observa-se, cada vez mais, o desenvolvimento do quadro em adultos jovens e até crianças. Isso se deve, principalmente, pelo aumento do consumo de gorduras e carboidratos aliados à falta de atividade física. 

Como Posso Saber se Estou Diabético?
O diagnóstico é feito através dos níveis de glicemia no sengue. Procure a unidade de saúde para verificação.  O diagnóstico precoce do diabetes é importante não só para prevenção das complicações agudas já descritas, como também para a prevenção de complicações crônicas.
A Importância do Acompanhamento Médico
É importante que o paciente compareça às consultas regularmente, conforme a determinação médica, nas quais ele deverá receber orientações sobre a doença e seu tratamento. Só um especialista saberá indicar de forma correta:
• A orientação nutricional adequada;
• Como evitar complicações;
• Como usar insulina ou outros medicamentos;
• Como usar os aparelhos que medem a glicose (glicosímetros) e as canetas de insulina;
• Fornecer orientações sobre atividade física;
• Fornecer orientações de como proceder em situações de hipo e de hiperglicemia.
Pacientes com Diabetes, não diagnosticados tem risco maior de apresentar AVC, INFARTOS DO MIOCÁRDIO e doença vascular periférica em relação as pessoas que não têm diabetes. Isso reforça a necessidade de um diagnóstico precoce que permita evitar tais complicações.
Como se prevenir? 
Manter uma dieta adequada, mudança de estilo de vida, realizar exercícios físicos, manter um peso ideal, as pessoas com obesidade (perder peso) e procurar um médico para falar sobre o assunto.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.