Cotidiano
O temporal que atingiu cidades do Mato Grosso no último dia 13 derrubou o maior telhado solar do Estado. Quase 5 mil m² de painéis solares caíram sobre veículos que estavam estacionados no pátio de uma concessionária em Várzea Grande. A empresa informou que acionou o seguro, mas não divulgou quantos carros foram atingidos. Para evitar transtornos, a orientação é pedir o laudo de suportabilidade estrutural durante a instalação, porque a análise estrutural é um pré-requisito para execução do serviço. 
O laudo é emitido por Engenheiros Mecânicos e Civis. O Crea-PR (Conselho de Engenharia e Agronomia do Paraná) ressalta que o acompanhamento de um profissional técnico habilitado garante o sucesso do projeto e minimiza problemas futuros aos clientes, uma vez que as placas solares podem causar sobrecarga nos telhados. 
Em relação às instalações em coberturas já existentes, o Engenheiro Civil Nivaldo Barbosa reforça ser imprescindível a orientação de profissional habilitado, porque o projeto original não previa o sobrepeso. “O laudo vai apontar se o telhado suporta ou não o acréscimo de carga na estrutura. Caso haja necessidade de um dimensionamento, o projeto terá que ser feito por Engenheiro Civil ou Engenheiro Mecânico”, alerta. 
Apesar de não existir uma regra de peso, em média cada módulo pesa 25 kg. Então, um projeto sem uma análise técnica pode trazer diversos problemas na estrutura que receberá as placas solares, como quedas, acidentes e até mesmo mortes. Por isso, a instalação deve ser tratada com o rigor que a Engenharia exige e possibilita. 
O Engenheiro Eletricista Marcelo Saldania, inspetor do Crea-PR em Cianorte, ressalta que a análise estrutural é necessária em qualquer instalação fotovoltaica, seja em telhados residenciais, comerciais ou coberturas. “Deve-se ter a consciência que a instalação trará o benefício da redução da conta de energia elétrica, mas como será feita uma alteração estrutural, é necessário contratar uma empresa com Engenheiro responsável”, destaca. 
Ele explica que o ideal durante a contratação do serviço ainda é o bom senso, principalmente por parte do comprador. “Não existe mágica, se o cliente identificar um preço muito abaixo do valor de mercado, desconfie. Busque referências da empresa, 
saiba quais obras ela já fez e exija o acompanhamento de um Engenheiro responsável durante a instalação”, conclui. 
CARGAS GRAVITACIONAIS DE PAINÉIS – Peso próprio (cálculo depende dos materiais empregados e geometrias das estruturas); 
– Peso das telhas (de 7kgf/m2 a 12 kgf/m2, para telhas metálicas simples, por exemplo); 
– Placas fotovoltaicas, incluindo o sistema de fixação (15 kgf/m2); 
– Utilidades (10 kgf/m2 tipicamente) – acessórios que não fazem parte da estrutura, mas podem estar apoiados ou dependurados nela, como instalações elétricas e hidráulicas, forros, etc. 
NORMAS TÉCNICAS PARA A INSTALAÇÃO: 
– ABNT NBR 8800/2008 – Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios; 
– ABNT NBR 14762/2010 – Dimensionamento de estruturas de aço constituídas por perfis formados a frio; 
– ABNT NBR 6123/1988 – Forças devidas ao vento em edificações; 
– ABNT NBR 6120/1980 – Cargas para o cálculo de estruturas de edificações; 
– ABNT NBR 14323/1999 – Dimensionamento de estruturas de aço de edifícios em situação de incêndio – Procedimento; 
– NBR 8681/1984 – Ações e segurança nas estruturas. 
Crea-PR – O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), autarquia que este ano comemora 85 anos, é responsável pela regulamentação e fiscalização da atuação de profissionais e empresas das áreas da Engenharias, Agronomias e Geociências. A Regional Maringá contempla 112 municípios, conta com aproximadamente 9 mil profissionais habilitados e três mil empresas registradas. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de atualização e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.