Cotidiano
Da Redação
A Polícia Civil de Alto Paraná deflagrou, na manhã de ontem, a operação “Tríbus”, com o objetivo de combater o crime organizado em diferentes municípios do Noroeste do Paraná. Foram cumpridos mais de 100 mandados judiciais, sendo 61 de prisão ou apreensão e 51 de busca domiciliar. 
Até a tarde de ontem, 35 pessoas tinham sido presas. Outras 20 já estavam detidas em cadeias públicas e unidades penitenciárias. As buscas resultaram, ainda, em duas prisões em flagrante, por tráfico de drogas, e na apreensão de dinheiro, crack, cocaína, maconha e telefones celulares. 
As investigações duraram cerca de dez meses. Ao longo desse período foram realizadas oitivas de pessoas, diligências de campo, análises periciais e outras medidas de inteligência. Com isso, a polícia reuniu provas suficientes para demonstrar a autoria dos crimes. 
Três células criminosas agiam a partir de Alto Paraná, chegando aos municípios de São João do Caiuá, Paranvaí, Nova Esperança, Paranacity, Inajá, Marilena, Cruzeiro do Oeste, Guaíra e Dois Vizinhos, no Paraná, e Pedreiras, em São Paulo. Os líderes agiam de dentro do sistema prisional.
Segundo a polícia, os grupos criminosos utilizavam principalmente adolescentes para o comércio de drogas e a prática de furtos e roubos na região. Os veículos eram trocados por entorpecentes em cidades brasileiras e paraguaias. Também foram identificados crimes de porte de arma de fogo, receptação e homicídio qualificado.
Os presos responderão pelos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, furto qualificado, roubo majorado e homicídio. Todos foram encaminhados e apresentados na sede da Delegacia de Polícia Civil de Alto Paraná.
O nome da operação, “Tríbus”, faz referência à palavra tríade, em latim, que significa conjunto de três elementos. Foi atribuído por causa das três células criminosas descobertas durante as investigações da Polícia Civil. 
A ação contou com a participação de 120 policiais das subdivisões de Paranavaí, Maringá, Londrina, Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Arapongas e Umuarama. Também participaram o Grupamento de Operações Aéreas, o Departamento de Narcóticos, a Divisão de Combate ao Crime Organizado e a Polícia Militar.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.