Cotidiano
Depois de permanecer por quatro anos no mesmo valor, o preço da arroba do boi reagiu nas últimas semanas e nesta foi comercializada a R$ 220,00. Desde novembro de 2015, a cotação não passou dos R$ 158,00.
De acordo com o vice-presidente do Sindicato Rural de Paranavaí, pecuarista Carlos Costa Júnior, a oscilação de preço foi motivada por três fatores principais: a seca que castigou as pastagens brasileiras, o aumento de vendas de carne bovina para a China, diminuindo a oferta para o mercado interno, e a falta de fêmeas, que reduziu a oferta de bezerro para a engorda. “Como o mercado não reagia, muitas fêmeas foram descartadas”, diz Costa.
Ele não se arrisca a apontar o futuro do mercado da carne bovina, mas levanta a hipótese de os preços se balizarem com o mercado do Uruguai (60 dólares a arroba) e dos Estados Unidos (65 dólares). Se isto acontecer, o mercado interno deve chegar em torno de R$ 250,00.
E as condições para a manutenção do preço atual ou mesmo para novas elevações continuam. As chuvas ainda são poucas e muito irregulares, inviabilizando a recuperação rápida das pastagens, o mercado com a China continua aquecido e a regularização da oferta de bezerros deve demorar uns três anos. “É difícil fazer previsão, mas as condições são pela manutenção da atual cotação ou até mesmo uma oscilação para cima”, comenta o vice-presidente do Sindicato Rural.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.