Cotidiano
Os créditos e sorteios do programa Nota Paraná ajudam a salvar vidas, colaborando com a manutenção de instituições de combate e prevenção ao câncer no Estado. Desde março de 2016 até setembro deste ano, R$ 13,8 milhões foram repassados a 16 instituições que dão apoio a pacientes e atuam no combate e prevenção à doença no Paraná.
O programa foi criado em 2015 com o objetivo de combater a sonegação de impostos e ampliar a arrecadação do Estado. No ano seguinte, o Nota Paraná passou a beneficiar entidades sociais, que recebem doações de notas fiscais de pessoas físicas e jurídicas e têm acesso aos créditos e sorteios do programa.
Desde então, já foram repassados R$ 151,8 milhões para 1.348 instituições cadastradas, uma média de R$ 112,6 mil por mês. São entidades das áreas de assistência social, saúde, cultura, esporte e defesa e proteção animal.
“O Governo do Paraná cumpre um papel social importante ao permitir que as entidades sem fins lucrativos recebam os créditos dos consumidores que não desejam informar o CPF na nota”, afirma a coordenadora do Nota Paraná, Marta Gambini. “Além de pacientes com câncer, esses valores têm contribuído para a qualidade de vidas de pessoas com deficiência, em situação de vulnerabilidade, animais abandonados e participantes de projetos de esporte e cultura”, destaca.
MARINGÁ – Uma das entidades apoiadas é a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Maringá, que participa do programa desde o início. Em média, R$ 40 mil são repassados mensalmente pela Secretaria de Estado da Fazenda através do programa. O valor cobre 40% do custo mensal da organização. A instituição espalhou 500 urnas em empresas e estabelecimentos comerciais para arrecadar as notas fiscais.
De acordo com a gestora institucional da entidade, Janaina Montovani, é esse valor que tem suprido as necessidades básicas da entidade, que já arrecadou R$ 1,7 milhão desde 2016. “O valor arrecadado desde o início é de grande importância para o cumprimento da missão da instituição, que é prover qualidade de vida da mulher em tratamento”, disse ela.
A Rede Feminina presta atendimento mensal a 283 pessoas, todos moradores de Maringá e Sarandi. Entre as vagas disponíveis, 206 são para mulheres e homens adultos e 45 para crianças e adolescentes.
Além dessas vagas, a instituição fornece medicamentos que não são fornecidos pelo SUS, fraldas e apoio psicológico aos pacientes. A rede conta com uma casa de apoio, com capacidade de atender até 32 pessoas, onde são disponibilizadas hospedagens, alimentação e transporte.
ENTIDADES APOIADAS – ACPAC de Guarapuava, AMEDV-RCC de Dois Vizinhos, Associação do Núcleo de Apoio ao Portador de Câncer de Irati, Grupo de Apoio a Mama de Pato Branco, Honpar em Arapongas, Instituto de Câncer de Londrina, Liga Paranaense de Combate ao Câncer de Curitiba, Mão Amiga – Grupo Beltronense de Prevenção ao Câncer de Francisco Beltrão, Rede de Combate ao Câncer de Astorga, Rede Feminina de Combate ao Câncer de Ponta Grossa, Rede Feminina de Combate ao Câncer de Maringá, Rede Feminina de Combate ao Câncer de Palmas, Rede Feminina de Combate ao Câncer de União da Vitória, Uopeccan de Umuarama, Uopeccan de Cascavel e Associação das Amigas da Mama de Curitiba.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.