Cotidiano

Nesta quinta-feira (27), a Seleção Brasileira iniciou os trabalhos para as próximas rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Catar 2022. Na academia do Centro de Excelência do Futebol Brasileiro, a comissão técnica comandou uma bateria de testes físicos e médicos com os jogadores que já se apresentaram na Granja Comary, em Teresópolis (RJ).

Os jogadores da Seleção foram divididos em três grupos e passaram por um circuito Médico da Seleção Brasileira, Rodrigo Lasmar explicou o trabalho realizado nesta quinta-feira.

“Os jogadores chegando, esse é o primeiro dia. Eles passaram por uma avaliação interdisciplinar, onde existe uma parte de avaliação médica, uma parte de avaliação fisioterápica, uma parte de avaliação fisiológica, com testes de função e força. O objetivo é que possamos conhecer um pouco melhor a situação de todos os atletas antes de iniciarmos os trabalhos”, comentou Lasmar.

Foram realizadas também avaliações com exames de ultrassonografia em alguns atletas, a fim de conhecer o histórico de lesões antigas, além avaliar a condição muscular e articular atual desses jogadores. Guilherme Passos conduziu os exercícios fisiológicos e revelou o cuidado maior por receber jogadores em reta final de temporada europeia.

“Eles vêm em final de temporada, então fizemos algumas avaliações nesse sentido, para medir o nível de fadiga desses atletas ao chegarem aqui. Além disso, também fizemos algumas avaliações fisiológicas e biomecânicas, para avaliar equilíbrio e recrutamento musculares desses atletas. Com isso, a gente verifica se esse atleta tem um desequilíbrio muscular grande ou pequeno. E isso serve de informação para a comissão técnica, principalmente a parte de preparação física, para utilizar nosso trabalho de preparação para a programação de treinos desses atletas”, detalhou o fisiologista da Seleção Brasileira.

Os testes de potência foram comandados pelos preparadores físicos Fábio Mahseredjian e Ricardo Rosa. Após colher os resultados dos testes, a comissão técnica poderá definir, de maneira individualizada, as cargas e o trabalho que será realizado com cada atleta nos próximos dias, tentando corrigir detalhes que podem ser importantes para o desempenho de cada um dentro de campo.

“Após essa bateria de testes de avaliação de aptidão física, o Guilherme (Passos) vai passar todos os resultados para nós, para que possamos, em casos específicos, individualizar a carga para trabalhos de potência, individualizar a carga de trabalho para desenvolver a potência dos atletas. Outros testes são feitos para você diagnosticar possíveis assimetrias, desequilíbrios entre musculaturas posteriores de coxa e até a avaliação ultrassonográfica, para que possamos saber, junto com o histórico de lesões, que já acompanhamos desde 2019, se tem alguma correlação e se temos que tomar algum cuidado na prevenção de qualquer tipo de lesão”, descreveu Fábio Mahseredjian.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.