AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE O PEDÁGIO

Deputados, prefeitos, vereadores e lideranças da sociedade civil organizada de Paranavaí e região Noroeste do Estado estiveram presentes na audiência pública organizada pela Frente Parlamentar sobre o Pedágio da Assembleia Legislativa do Paraná, ocorrida nesta quinta-feira (1°).

O encontro remoto para debater o novo modelo de pedágio no Estado foi um pedido do deputado estadual Tião Medeiros (PTB), membro da frente parlamentar, presidente da Comissão de Obras Públicas Transportes e Comunicação da Alep, e representante da Região Noroeste no Legislativo Paranaense.

Na audiência foram debatidas as demandas do Noroeste, que integra o lote 4 da licitação proposta pelo Governo Federal e engloba cerca de 690 km de estradas, com a manutenção das atuais três praças de pedágio e a instalação de cinco novos postos de cobrança em Guairaçá, Jussara, Cianorte, Umuarama e Francisco Alves.

Segundo o deputado Tião Medeiros, a região é a mais impactada de todo o Paraná. “Cinco novas praças de pedágio e um degrau tarifário de 40% é inadmissível. Nós precisamos ser competitivos na indústria, no agronegócio e, também, no setor de comércio. Não podemos, de novo, pagar o preço por mais três décadas de uma decisão política equivocada”, afirmou.

O parlamentar defendeu, ainda, a duplicação imediata da BR-376, no trecho da cidade de Paranavaí até a cidade de Diamante do Norte, e não somente até a cidade de Guairaçá. “O fluxo de carros diário é intenso na região e justifica a duplicação”, completou.

Três critérios deverão ser adotados na nova modelagem de concessão: menor preço, mais obras e em menos tempo. Os atuais contratos encerram no fim deste ano, quando a nova proposta deve entrar em vigor valendo por 30 anos.

Nós precisamos mudar, os erros do passado devem servir de ensinamentos para possamos conduzir o nosso futuro de maneira a não prejudicar a sociedade mais uma vez”, disse Tião.

MENOR TARIFA – Um dos pontos destacados em todas as audiências públicas feitas pela Frente Parlamentar do Pedágio é que a licitação seja pela menor tarifa e não pelo modelo híbrido, como sugere do Governo Federal.

PEDIDO PROTOCOLADO – Na última semana, Tião Medeiros protocolou junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, e junto ao DER-PR, sugestões para as novas concessões.

 No documento enviado para a ANTT e para o DER-PR, Tião Medeiros pede que sete itens sejam analisados e incluídos na proposta. O primeiro é a cancela automática para veículos oficiais, como ambulâncias e viaturas das polícias civil, militar, científica e do corpo de bombeiros.

O documento sugere a duplicação imediata da BR-376, a inclusão do contorno de Jandaia do Sul (BR 369) e Peabiru, a interligação do Contorno de Arapongas ao Contorno de Rolândia, a construção de novo trecho da PR-182, para desviar totalmente de Itaúna do Sul e Nova Londrina, o fornecimento do dispositivo “TAG” pelas concessionárias de pedágio, sem custo mensal e com valores de adesão acessíveis aos usuários e, ainda, a inclusão dos trechos da PR 408 (Lote 2), que ligam as cidades de Antonina e Morretes, que dão acesso ao Porto de Antonina.