Destaque

Diretores temem novo lockdown para conter o avanço da pandemia com novo impacto sobre a economia

“Preocupação máxima”. Assim reagiu, na manhã desta sexta-feira, dia 19, o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap), Rafael Cargnin Filho, a respeito da elevação do número de casos da Covid-19 e de dengue na cidade. “Os cuidados devem ser redobrados”, alertou ele.

Segundo Cargnin, o relaxamento nos procedimentos de segurança (distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos), pode colocar a perder “tudo o que foi construído até aqui”.

Ele se referiu ao trabalho da Aciap junto ao Comitê de Operação Emergencial (COE), que permitiu a reabertura do comércio em abril do ano passado, depois de 19 dias fechado, e a manutenção das atividades econômicas em todo esse período sem necessidade de nova paralização. “Gradativamente fomos conseguindo a flexibilização das primeiras medidas que foram bastante duras. E agora tudo pode se perder”, advertiu o líder classista.

Rafael Cargnin Filho pediu aos empresários que se mantenham atentos às recomendações das autoridades sanitárias

Cargnin pediu aos empresários que se mantenham atentos às recomendações das autoridades sanitárias e que estendam os cuidados em relação à dengue, com a limpeza permanente de calhas e marquises. Segundo ele, esta deve ser uma preocupação dos empresários e dos colaboradores e precisa se estender além do ambiente de trabalho. “São cuidados que temos que tomar em casa, no ambiente social, nas igrejas, enfim no nosso dia a dia”, enfatizou.

O presidente da Aciap lamentou que a cidade já tenha passado de 50 mortos em consequência da Covid-19 e que esta semana tenha batido o recorde no número de casos confirmados num único dia, com mais de 100 positivados. “Estamos perdendo vidas, pessoas indo para o hospital, algumas sendo intubadas, famílias sofrendo. É um quadro triste. Esta situação pode comprometer a abertura do comércio. Se for decretado o isolamento social, teremos desemprego e empresas fechando definitivamente. Temos que agir para reverter a situação. É responsabilidade de todos nós”, disse.

LOCKDOWN NÃO ESTÁ AFASTADO – Vice-presidente das Aciap para assuntos de saúde e diretor-geral administrativo da Santa Casa de Paranavaí, Héracles Alencar Arrais compartilha da opinião de Cargnin. “Com este cenário, não podemos descartar a possibilidade de um lockdown”, admitiu, lembrando que este ano, em vários momentos, o hospital operou com 100% de ocupação de seus leitos de Covid, tanto de Enfermaria como de UTI.

O pior: ainda que a Santa Casa se dispusesse a abrir novos leitos para pacientes do novo coronavírus, isso seria quase que impossível. “Para abrir mais leitos teríamos que desativar outra ala, comprometendo o atendimento para pacientes com outras doenças”, explicou. “A população tem que se cuidar e manter os cuidados básicos de distanciamento social, mãos sempre limpas para evitar a contaminação e o uso permanente de máscara. Mesmo com a vacinação, esses cuidados têm que ser mantidos”, complementou.

Ele insistiu que não adianta só o governo fazer sua parte. “Houve um relaxamento nos cuidados. Basta andar por aí e prestar atenção: é gente sem máscaras, pessoas que levam as mãos ao olho, nariz e boca, que são a porta de entrada do vírus, gente se aglomerando”, disse Arrais.

Héracles Alencar Arrais: “Com este cenário, não podemos descartar a possibilidade de um lockdown”

Por outro lado, Arrais também comentou a escalada dos casos de dengue. “Se ela (a dengue) sozinha já incomoda, provoca desconforto e leva pacientes para o hospital, imagina uma epidemia de dengue combinada com a pandemia da Covid? E não vem do nada, só surge quando há água parada. Então, sempre que acontecem as chuvas, temos que fazer uma vistoria nos nossos quintais, nas calhas e nas marquises para verificar se não ficou água parada”, aconselho ele.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.