Destaque

Ainda que em ritmo lento e muitas vezes prejudicada pela falta de insumos e doses, a vacinação em massa de sua população é mesmo a grande saída para o Paraná superar a grave crise de saúde pública e os prejuízos à economia causados pela Covid-19 que, em março deste ano, registrou o maior índice de mortes no Paraná e, em abril, já supera o número de nascimentos em alguns municípios.
Este é o caminho que apontam os dados de óbitos contabilizados pelos Cartórios de Registro Civil do País, que mostram uma redução de 72% nas mortes de pessoas entre 90 e 99 anos; de 44% entre aquelas de 80 a 89 anos; e de 6% entre os que possuem entre 70 e 79 anos – este último grupo ainda em período de quarentena entre as aplicações de doses e efeito da vacina -, na comparação entre a média de óbitos destes grupos desde o início da pandemia e os primeiros 15 dias do mês de abril deste ano.
Os idosos da faixa etária entre 90 e 99 anos representavam, em média, 5,9% do total de mortos pela Covid-19 desde o início da pandemia. Em março, já com os primeiros reflexos da vacinação para esta idade, passaram a representar 3,1% dos óbitos e, nos primeiros dias de abril, 1,6% do total de falecimentos. A faixa entre 80 e 89 anos, passou de uma média de 19,6% do total de mortos para 13,9% em março, e para 11,1% em abril. Já os óbitos entre a população de 70 a 79 anos que, em muitos Estados, acabou de receber a 2ª dose da vacina, passou de uma média 26,2% do total de óbitos para 24,6% em abril, dando início a uma redução.
Os dados constam no Portal da Transparência do Registro Civil (http://transparencia.registrocivil.org.br/inicio), base de dados abastecida em tempo real pelos atos de nascimentos, casamentos e óbitos praticados pelos Cartórios de Registro Civil do País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), cruzados com os dados históricos do estudo Estatísticas do Registro Civil, promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base nos dados dos próprios cartórios brasileiros.
“O portal da transparência é um excelente e relevante informativo para termos os dados, tanto de natalidade quanto de óbitos, da população brasileira”, destaca Elizabete Regina Vedovatto presidente do Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná (Irpen/PR).
MAIS JOVENS – Se no começo da pandemia, a faixa etária de pessoas com idades entre 60 e 89 anos eram aquelas que proporcionalmente mais vinham a óbito causado pelo novo coronavírus no Paraná, este cenário começa a se alterar, com o aumento proporcional de mortes entre pessoas de faixa etária mais jovem, que vão dos 20 aos 59 anos. A mudança teve início em fevereiro, com aumento em março, que se mantém nos primeiros dias de abril.
Os óbitos de pessoas com idades entre 20 e 29 anos, que até o mês de março representavam, em média, 0,97% dos falecimentos por Covid, passaram a ser 1% em abril, o que representa um crescimento de 8% no número de mortes. Já a quantidade de óbitos de pessoas entre 30 e 39 anos, que representavam, em média, 2,9% das mortes, subiram em abril para 5%, crescimento de 73% no número de mortes por Covi-19.
A faixa de pessoas entre 40 e 49 anos é a mais afetada pelo aumento no número de falecimentos causados pela nova fase da pandemia. Até janeiro de 2021, representavam 5,5% dos óbitos causados pela doença. Em fevereiro passaram a representar 6,8%, em março 9,7% e, nos primeiros dias de abril, representam 7,9% do total de mortos pela doença no Estado. Em relação à média de óbitos desde o início da pandemia, esta faixa etária, que representava 6,6% dos óbitos, deu um salto e agora corresponde a 44% do número de mortes nos primeiros dias de abril.
Também bastante afetada pela Covid-19 nesta 2ª onda da pandemia, a população com idade entre 50 e 59 anos representava, em média, 13,5% do total de mortes pelo novo coronavírus no primeiro ano completo da pandemia. Em fevereiro passou a representar 14,2%, em março para 17,1% e, nos primeiros dias de abril, representa 19,4% do total de mortos por Covid-19, um aumento de 44% no número de mortes pela doença.

Fazendo parte agora do calendário de vacinação no Paraná, a população entre 60 e 69 anos segue sendo afetada pela pandemia. Até março de 2020 representavam, em média, 23% dos óbitos por Covid no Estado. Este número vem subindo nos últimos meses, passando para 25% em março e 28,7% na primeira quinzena de abril, o que representa um aumento de 25% nos óbitos causados pela doença.

SOBRE – O Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná congrega os 519 cartórios de Registro Civil do Estado do Paraná distribuídos por todos os municípios e distritos paranaenses, responsáveis pelos principais atos da vida civil dos cidadãos, entre eles os registros de nascimentos, casamentos e óbitos.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.