NOROESTE DO PARANÁ

“Não dá para apertar um botão e desligar o risco [de transmissão da Covid-19]”. O alerta é do chefe regional de Vigilância em Saúde, Walter Sordi Junior, que demonstra preocupação por causa do turismo em municípios com prainhas, especialmente durante este final de semana prolongado, com feriado na segunda-feira (7). Ele exemplificou: se 100 pessoas estão com o vírus, 1.000 saem contaminadas e passam para outras centenas.

Em Porto Rico, por exemplo, o movimento deve ser grande. Segundo a secretária de Turismo Jussara Maria Stachoviak, os estabelecimentos funcionarão normalmente e a prainha também estará aberta para os visitantes, seguindo todos os cuidados sanitários impostos pela legislação.

Mas a avaliação de Sordi Junior é que os municípios da região não têm equipe e estrutura suficientes para fazer a fiscalização. Por isso, é fundamental que os gestores solicitem reforço policial e das demais forças de segurança. Também é importante disponibilizar canais de comunicação para que sejam feitas denúncias em casos de descumprimento das determinações legais.

De acordo com o chefe de Vigilância em Saúde, nos dias em que as equipes policiais estiveram nos pontos turísticos do Noroeste do Paraná, foi possível controlar a situação de maneira mais efetiva. A expectativa, portanto, é que a ação se repita ao longo deste final de semana prolongado.

Sordi Junior lembra que a região soma 35 mortes por Covid-19 e que a situação não está controlada. O medo é que aglomerações de pessoas façam aumentar o número de pacientes com a doença, elevando a necessidade de internações. O hospital de referência para o Noroeste do Paraná é a Santa Casa de Paranavaí, que tem apenas 10 leitos de UTI e 20 de Enfermaria.

A capacidade para receber pessoas com sintomas graves é reduzida. “Se 100 pessoas precisarem de atendimento, não temos como fazer”, destaca Sordi Junior. O trânsito de pacientes com Covid-19 é outro fator que torna o cenário preocupante, sejam de Paranavaí ou de municípios da região.

COE DE PARANAVAÍ – Nesta semana, o Comitê de Operação Emergencial (COE) de Paranavaí discutiu o assunto e pediu um posicionamento da Secretaria de Estado da Saúde quanto ao turismo em Porto Rico. O Ministério Público enviou documento solicitando informações à 14ª Regional de Saúde.

O COE é formado por representantes de diferentes segmentos, inclusive profissionais de saúde. O grupo é responsável por avaliar o cenário e traçar estratégias de combate à Covid-19. Parte das decisões é tomada com base no número de internações na Santa Casa de Paranavaí.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.