Destaque

Durante a reunião desta semana, o Comitê de Operação Emergencial (COE) de Paranavaí deve reavaliar se vai liberar ou não a retomada de novos segmentos nos próximos dias. Isto porque dois fatores bastante alarmantes estão preocupando e devem pesar na tomada de decisões: o cenário atual de ocupação de 100% dos leitos de UTI da ala Covid da Santa Casa e os reflexos ainda incertos das aglomerações registradas no último fim de semana com feriado prolongado na cidade e em toda a região.

Na última reunião realizada no dia 3 de setembro, o COE cobrou a possibilidade de medidas efetivas por parte da Secretaria de Estado da Saúde no sentido de restringir o acesso às prainhas de Porto Rico. Mas o que se registrou no fim de semana com o feriado prolongado de 7 de setembro foi um cenário de muita aglomeração e total desrespeito às medidas prevenção e distanciamento social para evitar o contágio em massa do novo Coronavírus.

Com a clara percepção de que parte da população relaxou nos cuidados, a preocupação do COE é com o aumento desenfreado no número de infectados e, consequentemente, a superlotação na ala Covid da Santa Casa, que recebe pacientes de todos os municípios que compõem a Amunpar (Associação dos Municípios da Região Noroeste do Paraná).

A preocupação com um possível colapso no sistema de Saúde se agravou ainda mais nos últimos dias, já que no boletim divulgado pela Santa Casa na última segunda-feira (7), a ocupação dos leitos de UTI da ala Covid está em 100%.

Diante destes fatores alarmantes, o COE deve repensar a liberação para a retomada de novas atividades. A ideia é esperar pelo menos 15 dias para avaliar os reflexos das aglomerações do último fim de semana e como se comporta a movimentação de ocupação dos leitos da ala Covid da Santa Casa, para só então permitir ou não que novos segmentos possam voltar a funcionar.

Assessoria Prefeitura

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.