Destaque

“Como a aurora precursora

Do farol da divindade

Foi o 20 de Setembro

O precursor da liberdade”

Vista aérea do CTG Fazenda Velha Brasileira

 ADÃO RIBEIRO – Adã[email protected] 

A Invernada Artística do CTG

A primeira estrofe do Hino do Rio Grande do Sul eterniza que neste domingo (20) é comemorado o Dia do Gaúcho. A letra de Francisco Pinto da Fontoura nos lembra que nesta data, em 1835, um estado se levanta para aquele que entrou para a história como o mais longo movimento revolucionário do País – a Guerra dos Farrapos – que durou até 1845. Paranavaí, onde se localiza neste ato de bravura? A cidade recebeu em sua trajetória sexagenária milhares de sul-rio-grandenses, hoje homenageados pelo Diário do Noroeste.

Alfredo Simonetti, o primeiro patrão do CTG Fazenda Velha Brasileira

Presença em toda a região, os gaúchos deixam suas marcas nos costumes diários (churrasco, chimarrão, vestimenta etc.), mas também se organizam em associações culturais, os chamados CTGs (CTG – Centro de Tradição Gaúcha).

Premiação em rodeio no município de Nova Aliança

Paranavaí fundou o seu CTG em 1966. Ata datada de 29 de junho daquele ano indica que 12 homens se reuniram na sede social do Paranavaí Tênis Clube, mais precisamente na área da churrasqueira. A reunião, secretariada por Solstício Pinto de Asevedo, culminaria na escolha do primeiro presidente, o patrão do CTG Fazenda Velha Brasileira, Alfredo Simonetti. Também estiveram na reunião: Hiberwille Paulo D’Athaíde, João Batista de Almeida, Marny Hoff, Antonio Rodrigues Cardoso, Avelino Baldasso, Arquilino Adão da Silva, Antão Gonçalves Pinheiro, Olinto Simonetti, Alcides Correa e Enio Ramos Berthier.

A galeria dos presidentes. Cada patrão, diretoria e geração deram contribuições

PIONEIROS – Como explicou ontem o atual patrão do CTG, Cosme Boareto, muitas pessoas se juntaram ao grupo que consta na ata, fazendo a grandeza do CTG. Dentre elas, a família Dal-Pra (Dionísio, Claudino), Carlos Costa, Luiz Mânica, José Mânica, Geraldo Longo, família Kramer, família Caldas (Nenê, Valdomiro). Como lembra o patrão, o produtor rural Dalton Costa Goetten e tantos outros deixaram suas marcas na valorização das tradições, incluindo as provas de laço e outras manifestações culturais.

Turma do laço comprido
O patrão Cosme Boareto e a esposa Maria Alice Boareto

Cosme Boareto participa do CTG Fazenda Velha Brasileira desde os 20 anos de idade. Está no quarto mandato de presidente e elogia a renovação atual do movimento, com a chegada de jovens, nas atividades campeiras, entre outras.

(colaborou o tradicionalista Paulo Mazaro)

Missa Crioula é uma das tradições do CTG

 

HOMENAGEM

Vânio, um lutador e amigo sincero

Vânio: décadas dedicadas ao tradicionalismo e amizade

Um batalhador, mais do que amigo, um irmão. Assim Cosme Boareto define o tradicionalista Vânio Plínio de Moraes, falecido na semana passada aos 62 anos. Vânio era da equipe de laçadores e liderava o trabalho sempre com muita determinação. Entre os melhores da modalidade, integrou a seleção de laçadores da 5ª Região. Ultimamente laçava na Categoria Máster.

Administrador de fazendas, Vânio era querido e respeitado, resume Boareto. “Laçamos juntos por muito tempo, pelo menos 30 anos”, informa. Através do tradicionalista Vânio de Morais, o DN reforça a homenagem a todos os pioneiros, de modo especial, aos que fizeram a rica história do CTG Fazenda Velha Brasileira.

 

TRADIÇÃO

Rodeio Crioulo e Costelão Fogo de Chão:

dois eventos oficiais de Paranavaí

 

O Rodeio Crioulo e o Costelão ao Fogo de Chão são dois eventos que mobilizam Paranavaí e região. Tanto que fazem parte do calendário oficial da cidade, instituído pela Lei 3.077/2007, fruto do Projeto de Lei 123/2007, de autoria do Poder Executivo, aprovado pela Câmara de Vereadores. A lei foi sancionada no dia 28 de dezembro de 2007 pelo então prefeito Maurício Yamakawa.

O artigo 4º da lei cita que “Celebrar-se-á no dia 20 de setembro de cada ano o Dia do Gaúcho Paranavaiense, reconhecendo-se como um dos trajes oficiais, para fins de cerimonial e eventos sociais em geral, a indumentária descrita no manual de pilchas da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha”.  

 

 

20 DE SETEMBRO

Semana Farroupilha e Dia do Gaúcho

Rodeio é uma das tradições do povo gaúcho

A Semana Farroupilha é um evento festivo da cultura gaúcha, que se comemora de 13 a 20 de setembro, com desfiles em homenagem aos líderes da Revolução Farroupilha. A comemoração relembra a Guerra dos Farrapos contra o Império, de 1835 a 1845. O Marco Inicial ocorreu no amanhecer de 20 de setembro de 1835. Naquele dia, liderando homens armados, Gomes Jardim e Onofre Pires entraram em Porto Alegre pela Ponte da Azenha. Nesse movimento revolucionário, que tinha como ideal liberdade, igualdade e humanidade, e durou cerca de dez anos, sendo a mais longa revolução do Brasil, mostrava como pano de fundo os ideais liberais, federalistas e republicanos.

CTG

DIA DO GAÚCHO Especialmente no dia 20 de Setembro comemora-se o Dia do Gaúcho, sendo feriado no Estado do Rio Grande do Sul desde 1916 quando esta data foi oficializada. Neste dia em especial o povo rio-grandense relembra a sua história, os acontecimentos da Revolução Farroupilha, através de desfiles que peões e prendas realizam, geralmente montados em seus cavalos, utilizando a pilcha gaúcha. Os CTGs também realizam em seus centros festejos através das danças tradicionalistas gaúchas para homenagear em especial os líderes do movimento da revolução. Esta comemoração está inserida na Semana Farroupilha, sendo que oficialmente ocorre no último dia.

CTG

Comemorar a Semana Farroupilha é comemorar a história de um povo que tem identidade, cultura e tradição, é reviver e rememorar os caminhos e os processos que definiram nosso território e nossas características.

(Extraído de http://entreverocultural.curitibanos.ufsc.br)

CTG

1 comentário em “CTG/DIA DO GAÚCHO: Cultura que ajudou a construir Paranavaí

  1. Parabéns Adão, por este seu belo trabalho, dando ênfase ao dia DO GAÚCHO, aos fundadores do CTG – Fazenda Velha Brasileira, e àqueles que contribuíram e ainda contribuem para divulgação e manutenção da cultura sul brasileira – o tradicionalismo gaúcho. Obrigado Adão !

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.