Destaque

Objetivo geral é convidar as comunidades de fé e pessoas de boa vontade para pensar e reavaliar suas práticas, suas ações e suas condutas em busca de um caminho que é o diálogo

Foi lançada ontem (17) pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021 com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”.

De acordo com dom Mário Spaki, bispo da Diocese de Paranavaí, a campanha tem como foco o diálogo no intuito de superar a intolerância que é percebida principalmente nas redes sociais, quando o assunto é polarização política e pandemia.

Ele explica que através do diálogo, somos capazes de perceber e respeitar as diferenças entre as pessoas. “É preciso ter consciência que o ser humano tem opiniões e visões diferentes uns dos outros, seja no lar, no trabalho ou até mesmo entre católicos e evangélicos e precisamos ter o que chamamos de diálogo da vida, uma comunicação respeitosa e harmoniosa, caso contrário não há convivência”.

A campanha é realizada sempre no tempo da Quaresma, período que antecede a Páscoa, e neste ano é ecumênica, ou seja, congrega diversas denominações cristãs com o objetivo de valorizar a união entre as igrejas para o bem comum da sociedade.

Dom Mário Spaki, que faz parte do Conselho Permanente da CNBB, afirma que “o tema foi escolhido por ser o mais agudo no momento e que precisa ser discutido amplamente”.

O bispo relembra as últimas eleições, período em que “o Brasil inteiro virou brigas, muitas delas iniciadas nas redes sociais, deixando o país claramente divido”. Por isso, ele afirma “que há a necessidade do diálogo, se vier a faltar essa comunicação que é tão importante na sociedade, isso atingirá não só as famílias, mas as empresas e a própria igreja, devido à intolerância que se vive hoje”.

Segundo ele, “o objetivo geral é convidar as comunidades de fé e pessoas de boa vontade para pensar e reavaliar suas práticas, suas ações e suas condutas em busca de um caminho que é o diálogo”. Ele diz ainda: “Estamos construindo um mundo com muitos muros e essas barreiras, essa intolerância vista nos dias de hoje coloca em risco nossa convivência e o futuro da humanidade”.

O biso comenta que, “podemos destruir a paz em apenas uma palavra, que é dita a uma pessoa próxima, usamos como exemplo as redes sociais, onde há muitas agressões, pelo simples fato de uma pessoa não concordar ou não respeitar a visão da outra”. Ele cita o texto bíblico de Mateus, capítulo 5, versículo 9, que diz: “Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus”.

O padre Maycon Renan da Silva Santos Boni, da paróquia Nossa Senhora de Fátima de Amaporã, que é coordenador da Campanha da Fraternidade na Diocese de Paranavaí, informa que “as paróquias devem desenvolver atividades no âmbito da caridade para ajudar as pessoas mais necessitadas, além de incentivar as mesmas a participarem das celebrações e de momentos de oração”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.