Agricultura

A longa estiagem que afeta as lavouras desde meados de 2019 motivou a antecipação do aumento, que está ainda mais acentuado do que em períodos anteriores

O preço da mandioca teve elevação de aproximadamente 50% nas últimas semanas, segundo estimativa do vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) Ivo Pierin Junior. A alta está atrelada à menor oferta da raiz no mercado e favorece os produtores, garantindo melhor remuneração.

Pierin Junior afirma que o último trimestre geralmente é marcado pelo crescimento no valor da matéria-prima repassada para a indústria, por ser o momento de preparação da lavoura para a segunda colheita.

Ivo Pierin Junior estima crescimento de 50% nos preços ao longo das últimas semanas
Foto: Arquivo DN

Neste ano, no entanto, a longa estiagem que afeta as lavouras desde meados de 2019 motivou a antecipação do aumento, que está ainda mais acentuado do que em períodos anteriores. O grama do amido está custando aproximadamente R$ 1.

O vice-presidente da Faep destaca que o número de produtores colhendo mandioca deve aumentar a partir de agora. Aqueles que souberem aproveitar a oportunidade acumularão resultados positivos.

Se a previsão se confirmar, a indústria voltará a ser abastecida de maneira regular, ampliando a produção – quem operava com 30% da capacidade, por exemplo, passaria a 60%.

A tendência, diz Pierin Junior, é que o mercado se normalize somente quando chover de forma satisfatória. Mesmo assim, é possível que os preços se estabilizem, ou seja, não deverão sofrer quedas bruscas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.