Destaque

Em entrevista exclusiva para o DN, tenente-coronel Jefferson Luiz, comenta que, apesar disso, tem sido difícil desarticular o tráfico de drogas na cidade e região

O microtráfico é uma forma encontrada pelos traficantes para aumentar a circulação de drogas em Paranavaí e municípios da região. Essa metodologia utilizada gera dificuldades para o trabalhado da Polícia Militar. De acordo com dados da PM, apurados com exclusividade pelo DN, o volume de apreensão de drogas na cidade diminuiu. Entre 2019 e 2020 (até agosto), a apreensão de maconha reduziu cerca de 35 quilos. Já no caso da cocaína a redução foi de 74 quilos. A quantidade de policiais na unidade ainda continua sendo um grande desafio para o 8º Batalhão de Polícia Militar.

Geograficamente, Paranavaí está próximo de divisas com dois Estados: Mato Grosso do Sul e São Paulo. As drogas que chegam da Colômbia, Bolívia e Paraguai pela rota regional e rapidamente são divididas em pequenas porções e espalhadas por diversos pontos da cidade e municípios do Noroeste. Em menor quantidade, os entorpecentes são facilmente escondidos, o que dificulta o trabalho dos policiais.

“O ‘microtráfico’ dificulta a apreensão. O traficante espalha a droga com outras pessoas para que haja melhor circulação. Com isso, a droga não fica parada em grande volume apenas em um local. O tráfico de grande circulação fica mais em rodovias por conta das rotas que os traficantes usam para circular. Em algumas ocasiões, até damos apoio para a Polícia Rodoviária Estadual e Federal, que são órgãos que fazem essa fiscalização constante na rodovia. Na última vez apreendemos 158kg de pastas de cocaína na BR-376, inclusive utilizamos o nosso canil”, explicou o tenente-coronel Jefferson Luiz de Souza, comandante do 8º Batalhão de Polícia Militar.

Cães do 8º Batalhão ajudam nas operações contra o tráfico. Foto: Igor Lima

Em relação aos dados, o número de prisões aumentou: 961 (2019) para 1.010 (2020). Já as apreensões em quantidade de drogas diminuíram quase que em todos os cenários: Cocaína: 75kg para 0,901kg; Crack: 0,875kg para 0,734kg; Maconha: 1.274,345kg para 1.239,394kg. O Ecstasy foi o único que aumentou, de 13 comprimidos para 201 comprimidos apreendidos.

SEGURANÇA PREVENTIVA – O desafio da PM é com a segurança preventiva. Entretanto, para desenvolvê-la são necessárias estratégias para inibir a ação de bandidos ou que permitam uma intervenção antes que ela se concretize. A defasagem existente na corporação, em relação à quantidade de policiais aptos para trabalharem no dia a dia, é um fator que preocupa.

“Em termos de estrutura, como equipamentos e viaturas, a polícia do Paraná tem uma das melhores do Brasil. O problema é efetivo, existe uma defasagem significativa em relação ao número de policiais e isso não se restringe apenas a Paranavaí, é em todo o Paraná. Talvez o nosso batalhão tenha hoje a maior deficiência em efetivos na comparação com outros municípios. Inclusive o governador é sensível a essa questão. Ele autorizou a publicação do edital para o novo concurso, mas, por conta da pandemia, teve que ser paralisado. Quando for retomado, esperamos melhorar consideravelmente o nosso quadro de policiais do 8º Batalhão de Paranavaí. A nossa ideia é que os aprovados façam a formação dentro da unidade por conta da adaptação, e não em Maringá”, comenta Jefferson.

Tenente-coronel Jefferson falou sobre o trabalho da Polícia Militar. Foto: Igor Lima

Conforme o tenente-coronel explicou na entrevista, a grande quantidade de crimes que é atendida pelo 8º Batalhão está relacionada a drogas ilícitas ou lícitas. O consumo exagerado do álcool também é sinônimo de diversas outras ocorrências, como violência doméstica, perturbação do sossego alheio, brigas entre parentes, agressões a filhos, entre outros.

Os usuários de drogas acabam praticando pequenos roubos ou furtos para sustentar o vício. “Não temos como mencionar, em números, a quantidade de ocorrências relacionadas ao tráfico, mas posso garantir que é em torno de 70 a 80% de nossas ocorrências”, disse Luiz.

FISCALIZAÇÃO INTENSA – A fiscalização da Polícia Militar continua intensa mesmo no período de pandemia. A rotina operacional continua a mesma, contudo, todos os policiais têm tomado cuidados de higienização das viaturas, das mãos, utilizando álcool em gel, e o uso de máscaras. A corporação também tem utilizado ferramentas da internet na gravação de vídeos e fotos para instruções com os demais policiais.

SETOR DE INTELIGÊNCIA – A investigação criminal é de competência da Polícia Civil, contudo, existe uma ação da Polícia Militar que visa fazer levantamentos e subsidiar com informações o comando de inteligência. “Nas operações, são estabelecidos critérios para que a Polícia Militar aplique o policialmente de acordo com a necessidade para evitar que algum crime aconteça. É dessa forma que conseguimos fazer o policiamento ostensivo da melhor forma possível”, esclarece o oficial.

MARIA DA PENHA – A Delegacia da Mulher de Paranavaí conta com a parceria da Unespar (Universidade Estadual do Paraná) por meio do programa Núcleo Maria da Penha (Numap). O objetivo é promover o acolhimento, o atendimento jurídico e psicológico gratuito a mulheres que estejam em situação de violência e que necessitam da proteção para que seja assegurada a tutela de seus direitos e a desvinculação do agressor. Ações de prevenção também são promovidas por meio de práticas socioeducativas visando à conscientização da população.

Para o tenente-coronel, essa parceria tem sido eficaz. Em média, 100 ocorrências são registradas ao mês. “Temos trabalhado em rede para evitar as ocorrências. A maior parte dessa rede de proteção é formada por mulheres. Buscamos a capacitação desses policiais a esse tipo de atendimento para que eles sintam em que contexto familiar àquela mulher, vítima de violência doméstica, está inserida”, enfatiza Luiz.

As ações desenvolvidas pela rede de atendimento abrangem as cidades de Paranavaí, Amaporã, Nova Aliança do Ivaí e Tamboara, bem como dos distritos de Mandiocaba, Quatro Marcos, Piracema, Graciosa e Sumaré.

SERVIÇO – A Delegacia da Mulher de Paranavaí está localizada na Avenida Heitor Alencar Furtado, 4300, no Jardim Farroupilha. O telefone é (44) 3421-1550. Já o Numape localiza-se no prédio da Unespar – Campus Paranavaí, na Av. Gabriel Esperidião, s/no, sala 17. O horário de atendimento ao público é de segunda à sexta-feira, das 9:00 às 17:00 horas, no telefone (44) 3424-0100, ramal 158.

 

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.