Destaque

Encontros em Paranavaí serão conduzidos pelo representante da Organização Pan-Americana de Saúde Rafael Gomes França

Desde o início da pandemia de Covid-19, os profissionais de saúde enfrentam um grande desafio: planejar e executar respostas adequadas para o enfrentamento da doença. Os resultados efetivos dependem de uma série de fatores, por exemplo, o rastreamento de pessoas que tiveram contato com os pacientes.

Para falar sobre o assunto com gestores e profissionais técnicos do Noroeste do Paraná, o representante da Organização Pan-Americana de Saúde Rafael Gomes França estará em Paranavaí hoje e amanhã. O objetivo falar sobre como deve ser feito o monitoramento, para interromper, ao máximo, a cadeia de contágio.

Foto: Ivan Fuquini

A efetividade das ações requer a integração dos serviços de saúde, em especial da Vigilância Epidemiológica e da Atenção Primária. Também é preciso reduzir a circulação de pessoas com sintomas leves da doença nos pontos de atendimento médico, garantindo aos pacientes com manifestações mais graves a facilidade de acesso a serviços de urgência e emergência.

Os trabalhos do representante da Organização Pan-Americana de Saúde serão divididos em três etapas. Nesta terça-feira, conversará com a equipe da 14ª Regional de Saúde, depois se reunirá com os gestores municipais, na Câmara de Vereadores de Paranavaí. Na quarta-feira, terá um encontro online com técnicos de Vigilância e Atenção Primária.

INCIDÊNCIA – O número de confirmações de Covid-19 mostra a necessidade de estruturar ações em todo o Noroeste do Paraná. De 16 a 28 de agosto foram 132 casos. De 23 a 29 de agosto, 77 confirmações. De 30 de agosto a 5 de setembro, 67 casos positivos. De 6 a 12 de setembro, 85 confirmações. De 13 a 19 de setembro, 69 resultados positivos.

Foto: Ivan Fuquini

A última semana foi marcada pela alta incidência de casos em alguns municípios do Noroeste do Paraná. Para fazer o cálculo, consideram-se grupos de 100 mil habitantes, e o índice é obtido proporcionalmente ao número de moradores de cada município.

De 13 a 19 de setembro, São Pedro do Paraná registrou cinco casos positivos de Covid-19. Se fossem 100 mil habitantes, teria alcançado 216 confirmações da doença. Nas três semanas anteriores, nenhum teste para coronavírus deu positivo.

Ainda durante o período de 13 a 19 de setembro, Cruzeiro do Sul teve quatro resultados positivos, chegando à incidência de 89 para cada grupo de 100 mil pessoas. Uma semana antes, as confirmações representavam a metade dessa incidência, 44 para 100 mil habitantes.

Chefe regional de Vigilância Epidemiológica, Samira Silva afirmou que “alguns municípios estão com aumento de incidência”. Significa que as baixas taxas de internamento não podem dar a sensação de situação controlada e que a população deve manter os cuidados para diminuir os riscos de transmissão da doença. “Caso contrário, teremos um retrocesso.”

A percepção é de que as pessoas estão retomando a rotina sem qualquer preocupação com as medidas sanitárias de segurança. “Podemos observar nas ruas que nem todos estão fazendo uso de máscara”, avaliou Samira Silva. Vale destacar que o item é obrigatório em todo o Paraná para pessoas que estiverem fora de suas residências, conforme a Lei 20.189 de 28 de abril de 2020.

PARANAVAÍ – Até a tarde de ontem, a Secretaria de Saúde de Paranavaí havia contabilizado 715 confirmações da doença. O primeiro caso em Paranavaí foi positivado no dia 22 de março, sendo o paciente um homem de 70 anos de idade. A primeira morte aconteceu no dia 14 de abril – uma mulher de 40 anos. Desde então, 16 pessoas morreram em decorrência de Covid-19.

No Paraná, os primeiros registros positivos foram feitos no dia 12 de março. No Brasil, a primeira confirmação foi em São Paulo, no dia 26 de fevereiro, um homem de 61 anos.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.