Destaque

Secretária de Educação de Paranavaí, Adélia Paixão disse que reclamações sobre maus-tratos e violência doméstica têm chegado às escolas com frequência. A afirmação foi feita durante a oficialização da parceria entre o órgão municipal e o Núcleo Maria da Penha (Numape), da Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

A ação conjunta consiste na distribuição de panfletos com explicações sobre os tipos de violência e a rede de proteção a crianças, adolescentes e mulheres. O material gráfico também aponta maneiras de realizar denúncias e buscar ajuda em casos de agressões e maus-tratos.

Serão entregues para as mães dos alunos que forem até as escolas para buscar as atividades pedagógicas dos filhos e as cestas básicas disponibilizadas pela prefeitura. Com essa dinâmica, as informações chegarão às mãos das pessoas que eventualmente estejam passando por situações de violência.

Coordenadora do Numape, a professora Maria Inez Barboza Marques disse que se trata de uma demanda real. Para se ter uma ideia, no período de abril a junho foram registrados 300 boletins de ocorrência na Delegacia da Mulher. “Sem contar os casos que não são informados.”

Na avaliação da secretária de Educação, o trabalho em parceria com o Numape marcará a “história das crianças e das mães que estão sendo vítimas de violência neste período de pandemia”. O material gráfico que será distribuído nas escolas municipais “vai fazer a diferença, vai melhorar a situação dessas pessoas”.

Com os panfletos em mãos, a equipe da Secretaria de Educação receberá instruções sobre como fazer a entrega de maneira a não colocar em risco a integridades de mães e crianças. A expectativa é que a distribuição tenha início a partir de 13 de julho.

Os recursos para a confecção foram repassados pelo Governo do Estado. A montagem e a impressão dos panfletos também receberam patrocínio da Fundação Fafipa.

REDE DE PROTEÇÃO – O Numape integra a rede de proteção a mulheres de Paranavaí. Com equipe multidisciplinar, oferece atendimentos psicológicos, assistenciais e jurídicos às vítimas de violência doméstica. Atualmente, por causa da necessidade de distanciamento social, os serviços são realizados pela internet.

Outros órgãos públicos e não governamentais forma a rede de proteção: secretarias municipais de Saúde, de Assistência Social e de Educação, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Polícia Militar/Patrulha Maria da Penha, Delegacia da Mulher e Guarda Municipal.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.