Destaque

Em entrevista exclusiva para o DN, o Delegado Luiz Carlos Mânica comentou a redução em comparação com 2019

A pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19) também teve reflexos no trabalho dos policiais de Paranavaí. De acordo com os dados obtidos pelo Diário do Noroeste, o número de prisões caiu de 583 para 480 em comparação com o mesmo período de 2019 (até agosto), ou seja, uma redução de 17,6% nos oito meses. O delegado-chefe da 8ª Subdivisão Policial de Paranavaí, Luiz Carlos Mânica, explicou que a queda aconteceu por causa do isolamento social, efeito da pandemia. O planejamento de prevenção de crimes também pode ter contribuído.

“É nítido que a redução aconteceu por conta da pandemia. Mais pessoas ficaram em suas casas no período de isolamento social e, consequentemente, as prisões também diminuíram”, disse o delegado que ainda explicou o que considera alto índice de soluções de homicídios, “Cerca de 80% dos casos de homicídios que acontecem em Paranavaí e região são solucionados. O que mais dificulta o nosso trabalho de investigação, até para que nós pudéssemos melhorar esse índice, é a linha do tempo, pois muitas vezes, durante as apurações, faltam provas concretas e isso acaba atrasando a solução dos casos”, declarou.

A comparação feita pelo DN traz os dados para cada caso específico: Embriagues ao volante diminuiu de 51 para 35; Tráfico de drogas passou de 55 para 39; desacato/desobediência caiu de 33 para 26 presos. O crime de estelionato e a quantidade de armas apreendidas tiveram o mesmo índice no período: o primeiro manteve-se em seis prisões, e o segundo em 10 apreensões.

O único aumento aconteceu nos casos de homicídios, passando de 10 em 2019 para 14 em 2020. Dos 14, sete casos foram solucionados até o momento, e três apontados como autores dos crimes estão presos.

ASSASSINATO DE ODAIR GALHARDO – Na entrevista o delegado afirmou que já existe uma linha de investigação que apura o assassinato do chefe regional do IAT de Paranavaí (antigo IAP), Odair Galhardo, de 54 anos, no dia 28 de agosto, em Amaporã. Segundo o laudo do Instituto Médico Legal, Galhardo foi assassinado com seis tiros na cabeça e na região lombar.

O crime é encarado como complexo pela Polícia Civil, pois não teve testemunhas e nem câmeras de segurança no local onde aconteceu. A Polícia não descarta a possibilidade de o crime ter sido cometido por desavença pessoal ou retaliação pelas atividades de fiscalização desenvolvidas pelo antigo IAP.

“Apesar de termos uma linha de investigação com fortes indícios, por se tratar de um crime muito complexo não podemos afirmar nada ainda”, disse o delegado que também comentou ser natural que as pessoas relacionem o crime ao trabalho que Galhardo desenvolvia na instituição pública. “Isso é natural, porém, pelo menos por enquanto, nada comprova a relação com o trabalho que ele desenvolvia”, completou.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA – Em meio à pandemia, muitas mulheres no Brasil acabaram se vendo confinadas com seus agressores. Enquanto os casos dessa natureza aumentaram no âmbito nacional, em Paranavaí houve uma redução das ocorrências registradas. As agressões às mulheres caíram de 60 casos para 41.

Para essas ocorrências, a Delegacia da Mulher de Paranavaí conta com a parceria da Unespar (Universidade Estadual do Paraná) por meio do programa Núcleo Maria da Penha (Numap). O objetivo é promover o acolhimento, o atendimento jurídico e psicológico gratuito a mulheres que estejam em situação de violência e que necessitam da proteção para que seja assegurada a tutela de seus direitos e a desvinculação do agressor.

As ações desenvolvidas pela rede de atendimento abrangem as cidades de Paranavaí, Amaporã, Nova Aliança do Ivaí e Tamboara, bem como dos distritos de Mandiocaba, Quatro Marcos, Piracema, Graciosa e Sumaré.

SERVIÇO – A Delegacia da Mulher de Paranavaí está localizada na Avenida Heitor Alencar Furtado, 4300, no Jardim Farroupilha. O telefone é (44) 3421-1550. Já o Numape localiza-se no prédio da Unespar – Campus Paranavaí, na Av. Gabriel Esperidião, s/no, sala 17. O horário de atendimento ao público é de segunda à sexta-feira, das 9:00 às 17:00 horas, no telefone (44) 3424-0100, ramal 158.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.