Agricultura

O evento se destaca por ser referência em pesquisa e aplicação de tecnologias associadas ao mercado de citros no Brasil

O mercado brasileiro de suco de laranja foi o tema de um evento ao vivo, nesta sexta-feira (28), e contou com a participação do empresário de Paranavaí, Paulo Pratinha, diretor da empresa Suco Prat´s. O 1º Encontro Digital Técnico e Científico de Citros (Encitros) aconteceu entre os dias 25 a 28 de agosto pelas plataformas digitais facebook e youtube, e teve a parceria na realização com o portal ACidade ON.

O evento se destaca por ser referência em pesquisa e aplicação de tecnologias associadas ao mercado de citros no Brasil. Durante a programação, palestrantes de renome da citricultura e de grandes empresas da área abordaram os seguintes temas: produção e atualidades, tecnologia e sustentabilidade, novas perspectivas e, mercado e tendências.

O empresário Paulo Pratinha durante o evento online

“O segredo do sucesso da Prat’s está na qualidade. O consumidor é o nosso patrão. Ele exige a qualidade e nós precisamos atender essa demanda. Além disso, nós também pegamos a ideia do McDonalds: qualidade, valor e preço justo. É preciso ter um valor que o consumidor brasileiro tenha condições de pagar. É trabalhando lado a lado do consumidor que conseguimos montar essa equação”, destacou Pratinha.

O encontro acontecia presencialmente desde 2012, ano da primeira edição. Contudo, por conta da pandemia, provocada pelo novo coronavírus, este ano o encontro teve a sua primeira edição de forma online. Segundo os organizadores, a ideia para os próximos encontros é mesclar entre o digital e o presencial. O principal objetivo do bate papo é trazer investimento, conhecimento e desenvolvimento socioeconômico para o setor, além de reunir os profissionais da citricultura e do mercado.

Pratinha também analisou a diferença do consumidor brasileiro para o estrangeiro. Segundo ele, é o nível de exigência, pois historicamente o brasileiro sempre teve a disponibilidade de frutas muito boas e, por isso, ele quer ter um produto igual à fruta. “É neste sentido que nossos produtos chegam aos consumidores, com a mesma qualidade do suco feito em casa”, disse.

A qualidade da produção nos pomares da Prat’s também foi comentada por alguns internautas que acompanhavam a live. A empresa se diferencia no mercado nacional pelos materiais genéticos utilizados, processos de plantio, irrigação constante e o acompanhamento permanente de engenheiros e técnicos que fazem um manejo sustentável, e respeito ao meio ambiente.

PANDEMIA CORONAVÍRUS – Pratinha também falou sobre a disponibilidade do suco de laranja de alta qualidade nos supermercados brasileiros, durante a pandemia do novo coronavírus. “Os produtos refrigerados representavam, antes da pandemia, cerca de 2% do e-commerce, agora já falam em números em torno de 11%, pós-pandemia. Esses produtos refrigerados dependem de condições de transportes adequados”, analisou.

Com a pandemia, empresas de diversos setores já planejam construir redes de armazenamento próximas aos centros urbanos, reduzindo o desafio logístico de fornecer produtos aos consumidores. Essa alternativa é para não sobrecarregar ou faltar espaço suficiente para lidar com a demanda.

DESAFIOS COM O GREENING – Quando perguntado sobre os desafios que os produtores de laranja enfrentam com a doença Greening, responsável por deixar as folhas com manchas, amareladas e com malformações nos frutos, Pratinha enfatizou que, apesar de todos os desafios a serem enfrentados, uma pequena propriedade com bastante prevenção consegue sobreviver ao Greening.

“Na região de londrina a doença foi mais severa. Já a região de Paranavaí é um pouco mais parecida com São Paulo, ou seja, existem produtores que perderam alguns pomares, mas existe também uma outra parcela que está conseguindo controlar a situação. Uma pequena propriedade bem cuidada, com bastante prevenção consegue sobreviver ao Greening. Entretanto, o setor como um todo tem que tomar cuidado para que isso não venha prejudicar a capacidade de oferta e a qualidade do produto”, comentou.

Além dos produtos e técnicas utilizadas para tentar inibir a doença dos pomares, outro tema que tem sido bastante discutido é sobre a sustentabilidade, ou seja, produção sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. O consumidor também está mais exigente com essa questão.

“Nós produtores temos que buscar cada vez mais a sustentabilidade da gestão dos nossos pomares. Essa é uma demanda do consumidor, tão grande quanto à qualidade do produto. Entendo que é difícil e complicado de fazer, mas é uma situação que precisamos nos adequar para que a cadeia de produção possa demonstrar que é sustentável. Essa leitura precisa ser feita pelos produtores para que posteriormente seja devolvido para o nosso consumidor final uma política e um comportamento de produção da geração atual”, apontou.

SUCO MISTO DE LARANJA COM ACEROLA – Outro produto que foi lançado, a pouco mais de um mês pela Prat’s, é o suco de laranja com acerola. Para Pratinha, a recepção e demanda tem sido boa, porém, precisa de mais tempo do produto circulando no mercado para conseguir entender qual é o verdadeiro tamanho desse mercado.

“É um produto que tem uma dose maior de vitamina C, consegue espelhar o sabor das duas frutas, laranja e acerola, em um só produto, portanto, a recepção tem sido bastante positiva. Sobre o tamanho desse mercado, ainda não temos essa informação. Mas inegavelmente o Suco de Laranja sempre vai ser o nosso carro chefe, o consumidor pode até experimentar outros sabores, mas ele acaba retornando para o seu ‘porto seguro’ que é o suco de laranja”, finalizou Pratinha.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.