Destaque

O perfil açucareiro do estado do Paraná retoma o protagonismo com a destinação para moagem de 54,6% da cana-de açúcar produzida no estado. É o que revela o 2º Levantamento da Safra de Cana de Açúcar divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), neste mês, em Brasília.

Maior parte da cana vai para a produção de açúcar no Paraná, informa Conab

De acordo com o boletim da estatal, o aumento de 18% no volume da gramínea para trituração ocorreu devido à queda na demanda pelo etanol e consequente baixa de preços do produto, e do preço do petróleo. Com isso a produção de açúcar passará de 2,1 para 2,5 milhões de toneladas, da safra 2019/20 para a de 2020/21, recuperando o caráter açucareiro do estado.

Com relação à área plantada, embora o estudo aponte um incremento, a área de corte ainda é 2% menor que a temporada anterior, pois concorre diretamente com o cultivo de grãos como soja e milho, que vem apresentando bons resultados econômicos. A diminuição de área também é reflexo da proibição da despalha com fogo a partir de 2025, já que as usinas não estão renovando contratos em áreas onde não é possível a colheita mecanizada.

O boletim mostra ainda que a estiagem histórica no estado reduziu a previsão da produtividade em 2% em relação ao último levantamento, mas ainda se mantém superior, passando de 64,7 t/ha para 65,7 t/ha, resultantes da redução da idade média dos canaviais. A nova estimativa de produção paranaense é de 34,17 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, representando 5,3% da produção brasileira.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.