Destaque

Números do Caged, divulgados ontem, mostram que o mercado de trabalho de Paranavaí incorporou 771 pessoas durante o primeiro mês de 2021. No mesmo período, 625 trabalhadores perderam o emprego

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado ontem pelo Ministério da Economia, mostra que Paranavaí teve saldo positivo na geração de postos de trabalho em janeiro deste ano. Foram 771 admissões contra 625 desligamentos. O setor de maior destaque foi a indústria, com 49 contratações a mais do que demissões.

Os números registrados no primeiro mês de 2021 superam os do mesmo período de anos anteriores. Em janeiro de 2017, Paranavaí teve saldo negativo, -86. O cenário mudou a partir do ano seguinte. Em 2018, foram 22 admissões a mais do que demissões. Em 2019, mais um desempenho positivo, 17 novos postos de trabalho. Em 2020, saldo de 21 empregos com carteira assinada.

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Carlos Emanuel Rodrigues, alcançar a marca de 146 novos empregos formais revela o potencial de crescimento. “Os empresários querem investir, porque entendem a necessidade de retomada da economia. Estão injetando recursos e contratando.”

Ao mesmo tempo, avalia Rodrigues, os consumidores seguem fazendo aquisições e movimentando a economia, ainda que tenham sentido os impactos negativos da pandemia de Covid-19 sobre as finanças. O chamado poder de compra do brasileiro também diminuiu, levando em conta o valor do salário mínimo (R$ 1.100) e o preço da cesta básica, estimado em R$ 696,70 pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

SETORES PRODUTIVOS – Em janeiro deste ano, a indústria contabilizou 237 admissões e 188 desligamentos. Foi seguida de perto pela construção civil, com 71 contratações e 23 demissões – saldo de 48 novos postos de trabalho. “Quando a construção civil está bem, é sinal de que a economia está aquecida”, afirma o secretário municipal.

O setor de serviços contratou 186 pessoas e demitiu 159 e atingiu a marca positiva de 27 empregos. O comércio ficou logo atrás, com saldo de 26 novas admissões. O único setor que teve desempenho negativo em janeiro deste ano foi a agropecuária: 30 pessoas contratadas e 34 desligadas – saldo de -4.

A gerente da Agência do Trabalhador de Paranavaí, Elen Dela Pria Kumatsu, informa que o resultado favorável de janeiro foi possível mesmo sem haver contratações volumosas por parte de grandes empresas. Ela comemora os números, afinal “ainda estamos em uma situação complicada e a economia continua sendo afetada”, diz, referindo-se aos efeitos da pandemia de Covid-19.

Carlos Emanuel Rodrigues diz que março pode ter saldo negativo na geração de emprego

PERSPECTIVAS – O secretário municipal Carlos Emanuel Rodrigues calcula que o saldo na geração de empregos ao longo de fevereiro tenha seguido o fluxo de janeiro, mas os números ainda não foram divulgados pelo Ministério da Economia. Março, no entanto, deve seguir na direção contrária. “Com o lockdown em todo o Estado, é possível que haja retração.”

Da mesma maneira que em outras regiões do Brasil, o Paraná viu crescer a quantidade de diagnósticos positivos de Covid-19, com aumento na demanda por leitos hospitalares. Os registros de mortes também saltaram desde o início do ano. À beira do colapso do sistema de saúde, o Governo do Estado decretou uma série de restrições, com o objetivo de conter o avanço da doença.

Um dos setores incluídos nas decisões foi o comércio. As lojas paranaenses permaneceram fechadas por 12 dias (27 de fevereiro a 10 de março), reabrindo no último dia 11. Ao longo desse tempo de paralisação, a Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap) registrou redução de pouco mais de 7% nas vendas, na comparação com o mesmo período de 2020.

Diante da situação, Rodrigues diz que Paranavaí só deverá voltar a ver números positivos no segundo semestre deste ano. Além do contexto de pandemia, ele leva em consideração a temporada de entressafra no campo, entre maio e julho, que também gera maior volume de demissões e desequilibra a balança econômica.

DEZEMBRO DE 2020 – Segundo o Caged, Paranavaí registrou saldo negativo na geração de empregos em dezembro do ano passado. Foram 501 contratações e 669 demissões: -168. Ao longo de todo o ano passado, 7.597 pessoas foram admitidas e 7.658 trabalhadores perderam o emprego, ou seja, 2020 terminou com desempenho negativo (-61).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.