Destaque

São considerados microempreendedores individuais aqueles com faturamento anual de até R$ 81 mil. De 1º de janeiro a 17 de maio deste ano, foram 309 novos negócios nessa modalidade

As vendas online começaram em 2018. Utilizando as redes sociais, Igor da Silva Miranda e Bianca Vanucchi dos Santos Miranda perceberam uma oportunidade de negócios e decidiram investir em produtos voltados para o consumo de tererés. Os resultados não demoraram para aparecer e a comercialização ultrapassou as barreiras de Paranavaí, chegando a outros estados brasileiros e até mesmo ao exterior. Motivados pelo desempenho positivo, decidiram abrir uma loja física na região central da cidade e iniciaram as atividades no dia 11 de março deste ano.

De 1º de janeiro a 17 de maio de 2021, Paranavaí registrou saldo favorável na abertura de empresas. Considerando todas as classificações de negócios, de acordo com o faturamento anual, foram 594 novos empreendimentos e 198 baixas, totalizando 396. Os microempreendedores individuais tiveram destaque: 353 abriram as portas e 44 encerraram as atividades, alcançando a marca de 309. Em contrapartida, as empresas de grande porte atingiram marca negativa, já que, no mesmo período, foram 32 aberturas e 34 baixas, saldo de -2.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Carlos Emanuel Rodrigues, aponta possibilidades. “Pode ser por causa da pandemia.” Diante das dificuldades econômicas que acompanham o avanço da Covid-19, “quem perdeu o emprego decidiu investir no próprio negócio”. É provável que o ritmo acelerado da construção civil também tenha motivado a abertura de empresas no setor para o fornecimento de matéria-prima e prestação de serviços.

Novos negócios geram mais postos de trabalho, e quando o número de trabalhadores cresce, a economia aquece. “Estamos em um bom momento para recuperar o que foi perdido”, diz Rodrigues. Cita as campanhas de fomento da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (Aciap) e as iniciativas do poder público para estimular a retomada econômica. A segunda fase do Programa Paranavaí 5.0 deve ter início no próximo mês e, da mesma forma que em 2020, promoverá ações de fortalecimento da classe empresarial.

A contratação do programa disponibilizado pelo Sebrae-PR está sendo concluída e, desta vez, incluirá três eixos: o plano de retomada econômica, o estímulo à participação dos empresários nas licitações públicas e o investimento na criação do parque tecnológico voltado para o agronegócio. Todas as decisões terão como base os dados coletados junto às empresas. O diagnóstico será essencial para planejar os investimentos e viabilizar o desenvolvimento.

BENEFÍCIOS – O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo fala da necessidade de modernizar a lei de incentivo fiscal para a atração de empresas. O texto vigente é de 2010, “antigo para os padrões atuais”. Ele explica que no início de 2020 as propostas apresentadas à Câmara de Vereadores foram aprovadas, mas o advento da pandemia de Covid-19 barrou novas legislações de concessões. A expectativa é que seja possível retomar o processo ainda este ano.

De acordo com a lei atual, são garantidas isenções totais de IPTU, alvará de funcionamento, taxa de aprovação de localização, taxa de aprovação de projeto e ITBI, além da redução de ISS. Para conseguir os benefícios é necessário gerar pelo menos 15 empregos, regra que vale tanto para novos empreendimentos quanto para ampliação de empresas. As isenções e reduções valem por tempo proporcional ao número de postos de trabalho, podendo chegar a 20 anos.

Diante das oportunidades que se desenham para a economia de Paranavaí, Rodrigues revela estar otimista e diz esperar grandes resultados no segundo semestre deste ano. “Promovemos capacitações para empresários e funcionários, investimos em ações de fomentos e temos uma sinergia voltada para a recuperação.”

Essa também é a expectativa de Bianca Vanucchi dos Santos Miranda, proprietária da empresa apresentada no início da matéria. Espera que a aceleração da vacinação contra a Covid-19 traga mudanças no cenário econômico e incentive o consumo. Até lá, divide as apostas entre o novo empreendimento e as vendas online. “Vamos torcer para que continue indo tudo certo.”

CLASSIFICAÇÕES – As empresas são classificadas de acordo com o faturamento anual. Microempreendedores individuais são aqueles que alcançam até R$ 81 mil. Microempresas têm até R$ 360 mil. Empresas de pequeno porte chegam a R$ 4,8 milhões. Grandes empresas faturam acima de R$ 4,8 milhões.

Conforme os dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Paranavaí, de janeiro a 17 de maio deste ano, foram contabilizados, em média, 2,25 novos microempreendedores individuais por dia. Considerando todas as classificações empresariais, no mesmo período Paranavaí teve média diária de 2,89 empreendimentos abertos. A título de comparação, em todo o ano de 2020 o município alcançou média geral de 1,16 nova empresa por dia.

Outra informação da Administração Municipal compara a quantidade de empresas em Paranavaí em abril e maio deste ano por setores de atuação. Antes, eram 36 atuando na agropecuária, 9.120 no comércio, 970 na indústria, 13.806 nos serviços e 1.482 em outros segmentos. Agora, são 39 na agropecuária, 9.143 no comércio, 974 na indústria, 13.941 nos serviços e 1.488 nos demais setores.

Bianca e Igor Miranda abriram a loja física no Centro de Paranavaí em março deste ano

Foto: Arquivo pessoal

Média diária de abertura de empresas chegou a quase três de janeiro a 17 de maio de 21

Foto: Ivan Fuquini

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.