Destaque

Todo o volume distribuído em Paranavaí é captado dos ribeirões Araras e Floresta e de poços distribuídos em diferentes pontos da cidade

Paranavaí tem mais de 36.300 unidades consumidoras de água. São ligações residenciais, comerciais e industriais, além de entidades de utilidade pública e órgãos governamentais. A cada mês, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) produz 651.461 metros cúbicos de água, e o consumo médio mensal por pessoa é de 5,81 metros cúbicos. Todo esse volume é captado dos ribeirões Araras e Floresta e de 12 poços distribuídos em diferentes regiões da cidade.

Nesta segunda-feira (22), comemora-se o Dia Mundial da Água. Para marcar a data, o Diário do Noroeste conversou com o gerente regional da Sanepar, Heterley Ubaldo. Ele falou sobre a importância do consumo consciente, orientou a evitar o desperdício e avaliou as condições dos mananciais de Paranavaí.

Heterley Ubaldo afirma que a preservação das nascentes garante “nosso abastecimento e a qualidade do manancial”

Ubaldo destacou que a preservação das nascentes é fundamental, porque garantem “nosso abastecimento e a qualidade do manancial”. Nos últimos anos, as nascentes do Ribeirão Araras foram afetadas diretamente pelo período de estiagem, mas “vêm se recuperando aos poucos, devido às chuvas que tivemos em janeiro e início de fevereiro”. Na avaliação do gerente regional da Sanepar, as precipitações ainda não foram suficientes para retomar a situação de normalidade.  “Precisamos de um ano com bastante chuva para recuperarmos.”

Desde a metade de 2019 até os últimos meses de 2020, o Paraná foi castigado por uma das piores temporadas de seca da história. Com os mananciais comprometidos, foi preciso adotar o sistema de rodízio de distribuição água em algumas cidades do Estado, por exemplo, Curitiba e Região Metropolitana. Em Paranavaí não foi necessário alternar o fornecimento, mas Ubaldo chegou a dizer, em entrevistas ao Diário do Noroeste, que o risco de chegar a esse ponto existia.

CONSUMO – Em muitas ocasiões, como agora, o gerente regional da Sanepar chamou a atenção dos moradores para a necessidade do consumo racional da água. “Significa que teremos maior volume reservado de água tratada para o uso essencial das pessoas.” Entre as orientações estão evitar o uso de jato de mangueira na varreção, desligar a torneira ao escovar os dentes e reutilizar a água do enxágue da máquina de lavar roupas.

A Sanepar também indica a redução do tempo do banho: a cada cinco minutos embaixo do chuveiro ligado são consumidos aproximadamente 70 litros de água. É importante fazer a manutenção de torneiras e descargas regularmente e não jogar cigarros, absorventes ou papéis no vaso sanitário. Antes de viajar, vale a pena fechar o registro do cavalete de entrada de água, evitando desperdícios e vazamentos.

INVESTIMENTOS – Ubaldo informou que a Sanepar investiu mais de R$ 9,5 milhões para ampliar os reservatórios dos jardins São Jorge, Oásis e Santos Dumont e do Distrito de Sumaré. Além disso, foram mais R$ 27 milhões para a coleta e o tratamento de esgoto, com a ampliação das estações das vilas City e Operária.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.