Destaque

O problema foi provocado pelo uso excessivo do equipamento, em virtude do alto consumo de água

Ontem faltou água em parte do Distrito de Sumaré, em Paranavaí. Avarias em uma bomba do poço que abastece os imóveis da região exigiram a troca emergencial do equipamento, sendo necessário parar a produção. A interrupção na distribuição se estendeu pelo período da manhã até a tarde, sendo normalizada gradativamente à noite.

De acordo com o gerente regional da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Heterley Ubaldo, o problema foi provocado pelo uso excessivo do equipamento, em virtude do alto consumo de água. “Equipamento trabalhando 24 horas para atender a demanda”, informou.

Em recente entrevista do Diário do Noroeste, Ubaldo havia dito que as temperaturas elevadas registradas nas últimas semanas fizeram o consumo de água alcançar índices históricos. De 1º a 4 de outubro deste ano, a produção da Sanepar em Paranavaí superou 86,5 milhões de litros, 12% a mais que no mesmo período de 2019.

O aumento no consumo provocou o desabastecimento em alguns pontos da cidade durante o último final de semana. Em outros locais, o fluxo de água foi menor do que o normal. O problema se repetiu ontem, mesmo havendo três poços operantes no Distrito de Sumaré.

Com apenas dois pontos de captação em funcionamento, a produção ficou restrita, afetando principalmente as áreas mais altas. Em uma padaria faltou água pela manhã e o fornecimento ainda estava comprometido à tarde. Em uma mercearia, a pressão voltou ao normal no período vespertino. Nos locais menos elevados não houve desabastecimento.

CONSERTO – Na tarde de ontem, a equipe do Diário do Noroeste esteve no local onde está a bomba do poço de captação que precisou ser substituída. Era perto das 15 horas, momento em que o Instituto de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) indicava 40,2 graus.

De acordo com a equipe que trabalhava na substituição, foi preciso buscar novo equipamento em Maringá, o que atrasou o processo e a regularização do abastecimento.

RESERVATÓRIOS – O gerente regional da Sanepar destacou que em situações como a de ontem, a falta de água afeta principalmente as unidades consumidoras que não possuem reservatório. A recomendação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é que cada imóvel tenha uma caixa d’água de pelo menos 500 litros.

CONSUMO – Por enquanto, não há riscos de desabastecimento contínuo ou necessidade de rodízio. No entanto, se as altas temperaturas e a falta de chuva se prolongarem, pode ser necessário adotar o sistema de alternância de distribuição entre os bairros, conforme apontou Heterley Ubaldo.

A orientação para amenizar os efeitos das condições do tempo é utilizar a água de maneira racional, evitando desperdícios. É preciso fechar a torneira na hora de ensaboar a louça, fazer a barba e escovar os dentes. Outras recomendações são: reduzir o tempo de banho, reaproveitar a água da máquina de lavar roupa e não usar jato de água para varrera quintal e calçada.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.